Revista Movimento Movimento Movimento: crítica, teoria e ação

37 anos sem Cartola

Há 37 anos, morria no Rio de Janeiro o sambista Agenor de Oliveira, um dos maiores compositores populares da música brasileira no século XX.

Cartola durante o programa Ensaio, em 1974.
Cartola durante o programa Ensaio, em 1974.

Há 37 anos, morria no Rio de Janeiro o sambista Agenor de Oliveira, um dos maiores compositores populares da música brasileira no século XX. Nascido em 1908, o genial Cartola teve uma vida cheia de percalços e dissabores, que seriam incorporados em seus característicos sambas a um só tempo concisos, lacônicos e existencialistas. Identificado eternamente com o verde e rosa da Estação Primeira de Mangueira, o sambista negro seria redescoberto tardiamente pelo mercado fonográfico, deixando apenas 5 discos gravados. Suas canções sobrevivem até hoje como exemplos insuperáveis da riqueza subjetiva do povo brasileiro.

Ouça abaixo a música “O sol nascerá”, tocada pelo próprio compositor no programa Ensaio da TV Cultura em 1974. A canção, composta de forma improvisada em parceria com Elton Medeiros em 1961, teve sua primeira gravação na voz de Nara Leão em 1964 no seu álbum de afirmação artística “Opinião”.

 

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

Neste mês de março, preparamos uma nova edição da Revista Movimento, dedicada especialmente para a reflexão e elaboração política sobre a luta das mulheres. Selecionamos um conjunto de materiais - artigos teóricos, textos políticos, documentos e uma especial entrevista - com o intuito de aprofundar o esforço consciente demonstrado por nossa organização nos últimos anos em avançar na compreensão sobre o tipo de feminismo que defendemos, bem como sobre o papel essencial e a importância estratégica que a luta feminista tem para a construção de um projeto anticapitalista. Um desafio exigido pela atual conjuntura, marcada pela ascensão de governos de extrema-direita no mundo, na qual o movimento feminista tem se apresentado como contraponto e trincheira de resistência fundamental. Por isso, esta edição pretende, antes de mais nada, auxiliar e fortalecer nossas intervenções feministas nesse momento, a começar por duas datas muito significativas que inauguram este mês: o 8 e o 14 de março, dia em que se completará um ano do brutal assassinato de nossa companheira Marielle Franco. Esperamos que seja proveitoso e sirva como instrumento para as nossas batalhas. Boa leitura!

Solzinho

MES: Movimento Esquerda Socialista MES: Movimento Esquerda Socialista