Quem for de direita toma cloroquina, quem for de esquerda, toma a vacina!

Enquanto as vacinas já chegaram para fase de testes no Brasil saúda a cloroquina em ato de apoiadores.

Maitê Ferreira 22 jul 2020, 16:19

A CoronaVac já está em fase de testes no Brasil: trata-se de uma vacina do laboratório chinês Sinovac Biotech, que já conta com 90% de eficácia e é uma das mais avançadas no Brasil. A partir de negociação do governo de São Paulo 20 mil doses chegaram no Brasil e a vacina será testada em 9 mil pessoas — preferencialmente em profissionais da Saúde. Os testes já começaram no Hospital das Clínicas. Caso apresente eficácia, a vacina poderá ser produzida no Brasil pelo Instituto Butantã e distribuída no Sistema Único de Saúde em 2021. [1] Tudo nos conformes protocolares da ciência experimental, porém empírica e promissora.

Enquanto isso, Bolsonaro segue atuando como o curandeiro das massas. Em seu segundo teste, continua infectado pelo Covid-19 [2]. Há quem o chame de louco, mas burro ele certamente não é, pois monitora os efeitos cardíacos da cloroquina ao menos duas vezes por dia [3]. O resultado pareceu surpreender o presidente: seu tratamento milagroso não está funcionando nem lhe rendeu a cura. Todavia, este revés não lhe impediu de “saudar a cloroquina”, para um caloroso aplauso de bolsonaristas em mais uma aglomeração no Palácio do Planalto [4].

O Presidente tem motivos ocultos para insistir na “cloroquina de jesus”. Está sendo investigado pelo Tribunal de Contas da União por superfaturamento na produção de milhões de comprimidos de cloroquina [5] — um protocolo que mata mais do que cura, sem qualquer eficácia comprovada e que foi rejeitado até nos Estados Unidos da América. Bolsonaro segue em seu curso solitário como o último garoto-propaganda da Cloroquina no globo terrestre.

O militarizado Ministério da Saúde, apesar de deixar Bolsonaro exercer seu devir curandeiro a própria sorte, está apostando na vacina britânica AstroZeneca, que também está sendo testada pelo Instituto Fiocruz [6]. Doria aposta na vacina chinesa, seguindo o princípio de que a solução para a pandemia virá do mesmo país onde ocorreram os primeiros casos.

Com a imunidade de rebanho dando ou não um fim natural — e catastrófico — à pandemia brasileira até o final do ano, alcançando talvez 200.000 mortes (uma em cada mil brasileiros) até setembro, a vacina certamente passará a ser produzida no Brasil. Bolsonaro de toda maneira vai precisar dar um destino aos 4,2 milhões de comprimidos de cloroquina que estão no país: 2,2 milhões produzidos pelo Exército, e mais 2 milhões doados por Trump (presente de grego!) [7]. Caso contrário, poderá ser indiciado por superfaturamento. A este impasse, oferecemos uma singela sugestão:quem for de direita, toma cloroquina, e quem for de esquerda, toma a vacina!

Os estudos já indicam que as cidades com maior taxa de eleitores de Bolsonaro lideraram os contágios do Covid-19 [8], e se seguirem tomando a cloroquina, também liderarão as taxas de morte. Em especial aqueles apoiadores idosos, cardiopatas e diabéticos — que são os mais vulneráveis à medicação. Vamos ver até que ponto os bolsonaristas sustentam seu discurso negacionista: afinal de contas, quem há de confiar em uma vacina da ‘China comunista’?

Referências

[1] https://super.abril.com.br/saude/coronavac-vacina-chinesa-comeca-a-ser-testada-no-brasil/

[2] http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/bolsonaro-testa-positivo-novamente-para-covid-19/

[3] https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2020/07/08/interna_politica,870583/bolsonaro-monitora-efeitos-da-hidroxicloroquina-no-coracao-2-vezes-ao.shtml

[4] https://tv.estadao.com.br/politica,bolsonaro-sauda-cloroquina-em-ato-de-apoiadores,1107886

[5] https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/brasil/2020/06/18/interna-brasil,865031/cloroquina-mp-cita-bolsonaro-e-pede-que-tcu-investigue-superfaturamen.shtml

[6] https://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/47132-brasil-entra-em-parceria-para-producao-de-vacina-contra-covid-19

[7] https://movimentorevista.com.br/2020/07/imunidade-de-rebanho-e-o-fim-da-pandemia-no-brasil/

[8] https://oglobo.globo.com/sociedade/cidades-pro-bolsonaro-registraram-maior-taxa-de-contagio-pela-covid-19-indica-estudo-24409329


TV Movimento

Palestina livre: A luta dos jovens nos EUA contra o sionismo e o genocídio

A mobilização dos estudantes nos Estados Unidos, com os acampamentos pró-Palestina em dezenas de universidades expôs ao mundo a força da luta contra o sionismo em seu principal apoiador a nível internacional. Para refletir sobre esse movimento, o Espaço Antifascista e a Fundação Lauro Campos e Marielle Franco realizam uma live na terça-feira, dia 14 de maio, a partir das 19h

Roberto Robaina entrevista Flávio Tavares sobre os 60 anos do golpe de 1º de abril

Entrevista de Roberto Robaina com o jornalista Flávio Tavares, preso e torturado pela ditadura militar brasileira, para a edição mensal da Revista Movimento

PL do UBER: regulamenta ou destrói os direitos trabalhistas?

DEBATE | O governo Lula apresentou uma proposta de regulamentação do trabalho de motorista de aplicativo que apresenta grandes retrocessos trabalhistas. Para aprofundar o debate, convidamos o Profº Ricardo Antunes, o Profº Souto Maior e as vereadoras do PSOL, Luana Alves e Mariana Conti
Editorial
Israel Dutra e Roberto Robaina | 16 maio 2024

Tragédia no RS – Organizar as reivindicações do movimento de solidariedade

Para responder concretamente à crise, é necessário um amplo movimento que organize a luta pelas demandas urgentes do estado
Tragédia no RS – Organizar as reivindicações do movimento de solidariedade
Edição Mensal
Capa da última edição da Revista Movimento
Revista Movimento nº 49
Nova edição traz o dossiê “Trabalho em um Mundo em Transformação”
Ler mais

Podcast Em Movimento

Colunistas

Ver todos

Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Ver todos

Podcast Em Movimento

Capa da última edição da Revista Movimento
Nova edição traz o dossiê “Trabalho em um Mundo em Transformação”