Arequipa rebelde, o Sul está contigo, o Peru te acompanha
Reprodução

Arequipa rebelde, o Sul está contigo, o Peru te acompanha

Peruanos se colocam contra instalação de indústria extrativa em região de vale agrícola.

Tito Prado 29 jul 2019, 15:03

Arequipa novamente epicentro de uma luta que faz história não somente porque defende um vale agrícola da voracidade extrativista, mas porque põe em questão essa lógica da CONFIEP de se acharem os donos do Peru e com direito a rematá-lo a empresas estrangeiras em troca de quase nada submetendo aos governos a seus interesses particulares. Pois isso é o que está em questão ao fim e ao cabo.

Da mesma maneira que CONGA pôs o direito à água como prioridade, Tía María coloca o agro do eixo do desenvolvimento social e põe em questão o extrativismo tal como é concebido hoje em mãos das grandes multinacionais. Se queremos que a riqueza de nosso solo sirva para o desenvolvimento temos que recuperar a soberania sobre nossos recursos e gerar valor agregado com desenvolvimento industrial impulsionado desde o próprio Estado, respeitando o meio ambiente e os direitos sociais como a consulta prévia e não a caricatura de diálogo que quer impor ao governo.

Agora sabemos que essas mineradoras como a Souther evadem impostos, gozam de tratados preferenciais e violam sistematicamente seus próprios convênios enquanto engordam seus lucros deixando pobreza e atraso por onde passam.

Temos que por um fim a essa depredação capitalista colonizante com uma mudança de fundo via uma nova Constituição e um novo governo verdadeiramente democrático, popular e soberano que inicie as mudanças estruturais que o país requer.

O governo já está na defensiva enquanto Roque Benavides e os seus clamam por fim à luta contra a corrupção que também lhes compromete e pouco lhes falta para reclamar o império da “autoridade”.

Mas Arequipa não se rende e no sábado na Assembleia da Macro Sul decidirão as medidas de luta para reforçar a defesa do Valle de Tambo em greve há uma semana.

Vamos Arequipa estamos contigo!!!

Artigo originalmente publicado no blog do autor. Reprodução da tradução realizada pelo Portal da Esquerda em Movimento.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
“Enquanto os efeitos sanitários e econômicos da Covid-19 seguem fazendo-se sentir, escancarando a crise global do capitalismo, as lutas na América Latina começam a apresentar importantes conquistas no enfrentamento da extrema-direita continental. Na Bolívia, após meses de enfrentamentos e mobilização popular, a contundente vitória da chapa do MAS pôs fim ao governo ilegítimo e reacionário de Jeanine Áñez. No Chile, após as multitudinárias manifestações de 2019, o plebiscito levou a uma vitória esmagadora em favor de uma nova constituição elaborada por assembleia exclusiva. Na campanha eleitoral estadunidense em curso, está em jogo a possibilidade de derrotar o trumpismo, que anima movimentos neofascistas e racistas naquele país e em todo o mundo. Ao mesmo tempo, as eleições municipais brasileiras abrem a possibilidade de construir uma alternativa nas cidades que contribua para isolar e derrotar o bolsonarismo. A décima oitava edição da Revista Movimento debruça-se sobre esses processos de mobilização nas ruas e de enfrentamento eleitoral em curso”.