Revista Movimento Movimento Movimento: crítica, teoria e ação

Triunfo democrático: fechamos o congresso e seguimos nos mobilizando

Pronunciamento de organizações sociais sobre acontecimentos políticos no Peru.

Pronunciamento de uma ampla gama de organizações sociais e políticas nas quais é coordenada a mobilização na quinta-feira, 3 de outubro

O presidente constitucional Martín Vizcarra, no uso de seus poderes constitucionais, e diante da exigência cidadã de lutar contra a corrupção, dissolveu o Congresso; dando origem a um novo cenário de transição democrática que deve ser acompanhado e monitorado pelos cidadãos que se mobilizam ativamente desde 2016.

Alertamos que forças conservadoras, autoritárias e corruptas – desesperadas – tentam confundir, criando uma falsa controvérsia a impor na presidência a ex-congressista Mercedes Araoz, buscando assim questionar e quebrar a ordem democrática e constitucional. Nos afirmamos, por esta razão, como defensores da democracia e que não estamos enfrentando um golpe de estado, mas sim decisões constitucionais tomadas pelo executivo em resposta à atitude obstrucionista e corrupta da maioria parlamentar; os responsáveis pela crise.

Temos uma oportunidade histórica de erradicar a corrupção na sociedade, no congresso e em todos os níveis do governo, para alcançar uma democracia real, com justiça social, trabalho decente, sem discriminação ou violência de gênero e soberania de nossos recursos naturais. Portanto, com esperança e firmeza, nos declaramos em vigilância e mobilização permanente.

Saudamos os pronunciamentos em apoio à saída democrática e constitucional da crise, consolidada através da Questão da Confiança e da dissolução do Congresso. Invocamos toda a cidadania, expressa em todas as suas diversidades, bem como as forças democráticas, a mobilizar-se em defesa de uma transição que abre caminho para as mudanças e transformações urgentes de que o país precisa.
Reafirmamo-nos na defesa da democracia e pedimos uma mobilização nacional por respeito à vontade do cidadão que requer uma transição democrática que começa com o fechamento do Congresso.

NEM UM PASSO ATRÁS PERANTE A MÁFIA E À CORRUPÇÃO:
MOBILIZAÇÃO NACIONAL, QUINTA-FEIRA, 03 DE OUTUBRO

ASSINAM:

Coordinadora Nacional de Derechos Humanos
Confederación General de Trabajadores del Perú
Asociación Nacional de Centros del Perú
Central Unitaria de Trabajadores del Perú
Federación de Estudiantes de la PUCP
Asociación Nacional de Periodistas del Perú
CLADEM Perú
Foro Salud
Movimiento Nuevo Perú
Partido Acción Popular
Juntos por el Perú
Foro Juvenil de Izquierda
Colectivo 2da. República
FEMUCARINAP
FENUPETROL
FETRATEL
FOVIDA
Somos 2074 y muchas más
DEMUS
Movimiento Manuela Ramos
CMP Flora Tristán
Asociación Civil Japiqay, Memoria y Ciudadanía
Frente Callao Dignidad
Comité Ciudadano por el Perú
Colegio de Sociólogos del Perú

Reprodução da versão publicada pelo Portal da Esquerda em Movimento.

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

A décima terceira edição da Revista Movimento dedica-se ao debate sobre os desafios da esquerda socialista no Brasil diante da crise nacional que se desenrola há anos e do governo Bolsonaro. Para tanto, foram convidados dirigentes do PSOL, do MES e de outras organizações revolucionárias que atuam no partido. O dossiê sobre a estratégia da esquerda e o PSOL reflete os desafios da organização de um polo socialista no interior do partido. Há também, na seção nacional, reflexões sobre a crise econômica brasileira, as revelações de The Intercept e as lutas da juventude e da negritude. As efemérides do centenário da escola Bauhaus e do cinquentenário do levante de Stonewall também aparecem no volume, além da tese das mulheres do MES para o Encontro de Mulheres do PSOL.

Ilustração da capa da Revista Movimento

MES: Movimento Esquerda Socialista MES: Movimento Esquerda Socialista