Não se pode privatizar o GHC: defesa do SUS urgente!

Servidores do GHC protestam por EPIs e contra a privatização dos hospitais.

Roberto Robaina 29 abr 2020, 20:11

Servidores do GHC protestam por EPIs e contra a privatização dos hospitais.

Os trabalhadores da saúde estão no limite do desespero. Há pouco, no começo da tarde desta quarta-feira (29), fui convidado por um grupo da Associação dia Servidores do Grupo Hospitalar Conceição (Aserghc) a participar de um protesto na frente do Conceição.

As reivindicações são básicas, como EPIs para os profissionais trabalharem com o mínimo de segurança, testes de Covid-19 para todos eles e o afastamento daqueles que estão nos grupos de risco. Claro, estivemos lá com os cuidados que o momento exige (embora defenda o isolamento social, não posso deixar de comparecer quando uma luta é necessária).

A pandemia, por si só, já é um inimigo forte, mas aí vêm os governos que só trabalham para atacar a saúde pública. Marchezan, em Porto Alegre, vai entregando a atenção básica às terceirizadas. Do governo federal, além das atitudes criminosas de Bolsonaro, a notícia de que o GHC está na lista de privatizações prioritárias.

É estarrecedor o que têm vivido esses profissionais. Já buscamos na Justiça o apoio para as reivindicações, mas nem a determinações legais esses governos atendem. Quando entrarmos num colapso sem precedentes, o valor da saúde pública ficará mais evidente.

Artigo originalmente publicado no Facebook do autor.

Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Ver todos

Podcast Em Movimento

Capa da última edição da Revista Movimento
Esta é a vigésima primeira edição da Revista Movimento, dedicada aos debates em curso do VII Congresso Nacional do PSOL. Nela encontram-se artigos de análise, polêmica e discussão programática para subsidiar os debates de nossos camaradas em todo o país e contribuir com a batalha pela pré-candidatura de nosso companheiro Glauber Braga à presidência da República pelo PSOL. A edição também conta com análises de importantes questões internacionais contemporâneas e de outros temas de interesse, como os desafios da luta pelo “Fora, Bolsonaro” e as crises hídrica e elétrica no Brasil. Num ano de 2021 ainda marcado pela tragédia da pandemia da Covid-19 e pelo descaso criminoso de governos em todo o mundo, lamentamos a perda de nosso grande camarada Tito Prado (1949-2021), militante internacionalista e dirigente de Nuevo Perú. A ele dedicamos esta edição de nossa revista e, em sua homenagem, publicamos artigos em sua memória. Boa leitura!