PSOL pede visita emergencial de comissão de Direitos Humanos ao Brasil por gestão catastrófica de Bolsonaro

PSOL pede visita emergencial de comissão de Direitos Humanos ao Brasil por gestão catastrófica de Bolsonaro

Solicitação foi feita diante da gestão de Jair Bolsonaro em relação à pandemia de COVID-19.

Equipe Fernanda Melchionna 20 Maio 2020, 17:59

Bancada do PSOL na Câmara dos Deputados enviou uma solicitação, no último domingo (17), à Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) de uma visita emergencial ao Brasil diante da catastrófica gestão de Jair Bolsonaro em relação à pandemia de COVID-19.

Motivação foi a segunda alteração no comando do Ministério da Saúde em menos de um mês, oficializada após a demissão de Nelson Teich. Os parlamentares solicitam que uma delegação da Comissão Interamericana visite, com urgência, o país para averiguar a situação de desmonte e descontinuidade do sistema público de saúde, em meio à pandemia.

A carta foi endereçada ao presidente da Comissão Interamericana de Direitos Humanos, Joel Hernandez Garcia, e foi copiada ao secretário executivo da CIDH, o brasileiro Paulo Abrão.

Dados oficiais indicam que foram registradas já mais de 14 mil mortes provocadas pela Covid-19 e mais de 200 mil casos confirmados da doença em todo o País. O Brasil, lamentavelmente, é um dos países onde a curva epidêmica cresce mais aceleradamente, e onde a resposta do poder público tem causado maior preocupação.

“É nesse cenário dramático que o presidente Jair Bolsonaro se isola como um dos últimos líderes negacionistas. Jair Bolsonaro confronta e menospreza as orientações das autoridades sanitárias nacionais e internacionais, que vão no sentido de promover medidas de contenção, distanciamento social, restrição da circulação de pessoas, colocando em risco a vida dos brasileiros e brasileiras”, afirma o PSOL no pedido de visita emergencial.

Citando a recente Resolução da CIDH sobre “Pandemia e Direitos Humanos nas Américas”, as deputadas e deputados do PSOL também pedem que a Comissão se pronuncie com urgência sobre a conduta do governo Bolsonaro em relação à pandemia.

Também reiteram os pedidos apresentados em uma denúncia feita no último dia 17 de abril em conjunto com dezenas de entidades, professores, juristas, parlamentares e diferentes figuras públicas. Naquela ocasião, denunciaram o Estado brasileiro por violações cometidas por Bolsonaro aos direitos à saúde, à vida e à informação clara, precisa e cientificamente embasada sobre as ações, articulações e políticas públicas eficientes de combate à COVID-19.

Artigo originalmente publicado no site da deputada Fernanda Melchionna.

Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
Na 16ª edição, estão disponíveis dois dossiês. No primeiro, sobre o ecossocialismo, podem-se se encontrar as recentes teses de Michael Löwy, além de uma entrevista com o sociólogo e dirigente da IV Internacional. Também publicamos uma entrevista com Zé Rainha, dirigente da FNL, sobre sua trajetória de luta e os desafios dos socialistas no Brasil; uma entrevista com Antônia Cariongo, dirigente quilombola e do PSOL-MA; e artigos de Luiz Fernando Santos, sobre a lógica marxista e a Amazônia, e de Marcela Durante, do Setorial Ecossocialista do PSOL. O segundo dossiê traz algumas análises iniciais sobre a pandemia de coronavírus. Há artigos de Mike Davis e Daniel Tanuro; documentos do MES e do Bureau da IV Internacional; além de uma densa análise de nossas companheiras Evelin Minowa, Joyce Martins, Luana Alves, Natália Peccin Gonçalves, Natalia Pennachioni e Vanessa Couto e de um artigo do camarada Bruno Magalhães. A seção de depoimentos traz um instigante artigo de Pedro Fuentes sobre a história de seu irmão Luis Pujals, o primeiro desaparecido político da história da Argentina. Já a seção internacional traz uma análise do sociólogo William I. Robinson sobre a situação latino-americana.