Junto com a bancada do PSOL, Sâmia Bomfim exige explicações sobre demissões na Embraer
Reprodução

Junto com a bancada do PSOL, Sâmia Bomfim exige explicações sobre demissões na Embraer

Em junho, Embraer assinou contrato milionário com o BNDES; Bancada pede que presidente do Banco esclareça a situação no Plenário.

Equipe Sâmia Bomfim 16 set 2020, 14:16

A deputada Sâmia Bomfim e a bancada do PSOL fizeram um requerimento para solicitar a presença do presidente do BNDES, Gustavo Montezano, no Plenário da Câmara dos Deputados. O intuito é que Montezano explique as denúncias sobre as demissões na Embraer.

No início de setembro, foi anunciado na imprensa que a Embraer iria demitir 2,5 mil trabalhadores e há denúncias de que a companhia demitirá mais 900 trabalhadores, além de outras 1,6 mil demissões via plano de demissão voluntária.

O que causa estranheza é o fato de a Embraer ter assinado, em junho de 2020, um contrato de financiamento com o BNDES no valor de US$ 300 milhões, além de financiar US$ 315 milhões por meio de um consórcio de bancos privados e públicos, incluindo o Banco do Brasil.

“Não é razoável que uma empresa que recebe dinheiro público por meio de financiamentos faça uma demissão em massa de trabalhadores. É preciso investigar o que está acontecendo e por isso solicitamos o comparecimento do presidente do BNDES”, diz Sâmia.

Outro fator grave, segundo denúncias dos trabalhadores, é que essas demissões foram realizadas sem nenhum tipo de acordo com sindicado. Isso fere um acordo firmado para preservar os empregos dos trabalhadores durante o período de pandemia.

“Não é justo que os trabalhadores da Embraer sejam prejudicados dessa forma, justamente em meio ao colapso social e econômico que estamos passando”, conclui a deputada.

Artigo originalmente publicado no site da deputada.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
Publicamos a décima sétima edição da Revista Movimento ainda sob o impacto da pandemia da Covid-19. Em todo o mundo, as contradições acumulam-se. Este volume está dedicado à análise de várias dimensões desta verdadeira crise global e de seus desdobramentos. Com destaque, tratamos da mobilização antirracista nos Estados Unidos e no mundo, iniciada após o assassinato de George Floyd, e da situação brasileira, discutindo a crise do governo Bolsonaro e as recentes manifestações dos trabalhadores por aplicativos.