Exército não vai punir os crimes e infrações de Pazuello
Foto: Edilson Rodrigues (Agência Senado)

Exército não vai punir os crimes e infrações de Pazuello

O Exército não puniu Pazuello pela participação em ato pró-Bolsonaro, mesmo o ex-ministro sendo um general da ativa.

Felipe Moreira 3 jun 2021, 17:05

O exército disse, em nota, que “em evento realizado na Cidade do Rio de Janeiro, no dia 23 de maio de 2021, o Centro de Comunicação Social do Exército informa que o Comandante do Exército analisou e acolheu os argumentos apresentados por escrito e sustentados oralmente pelo referido oficial-general”. E finalizou da seguinte forma “Desta forma, não restou caracterizada a prática de transgressão disciplinar por parte do General PAZUELLO”.

Pazuello é general da ativa e por isso proibido de participar de manifestações políticas, como a que participou junto ao presidente Jair Bolsonaro na data referida pelo exército.

Além disso, foi, junto novamente com Bolsonaro, um dos maiores responsáveis pela situação desastrosa do Brasil frente à pandemia. O ministério da saúde na sua gestão recusou a compra de cerca de 100 milhões de doses de vacina, além de compactuar com orientações do gabinete paralelo de defesa da cloroquina e da imunidade de rebanho

Faltam punições, mas crimes não faltam a Pazuello


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
Esta é uma edição especial de nossa Revista Movimento, de números 19 e 20. Nela, publicamos um dossiê que celebra os 150 anos de nascimento de Rosa Luxemburgo, vinculado à iniciativa coordenada por nossa camarada Luciana Genro: o curso da Escola Marx “150 anos de Rosa Luxemburgo: pensamento e ação”.