Uma homenagem à Professora Lisete Arelaro
transferir

Uma homenagem à Professora Lisete Arelaro

Maurício Costa homenageia a Professora Lisete Arelaro na ocasião de seu falecimento.

Maurício Costa 13 mar 2022, 14:09

Professora Lisete,

A primeira vez que escutei seu nome eu era um estudante, oriundo da periferia, recém entrado na universidade pública, ainda tentando achar sentido em estar naquele lugar. Logo soube que, para além da sala de aula, você era também aquela professora da Faculdade de Educação que fazia dos movimentos de greve espaços pedagógicos sobre a importância da universidade, da ciência, do público.

Lembro, naqueles tempos atrás, de também te conhecer como a professora que apoiava os movimentos sociais. Que lutou arduamente para que a universidade, eivada de pensamento elitista, recebesse um curso de aperfeiçoamento para professores de escolas de assentamentos do MST. Foi ali que soube também que você era uma grande freireana e que tinha trabalhado diretamente com Paulo Freire na administração da Luiza Erundina. E que também era uma grande referência para nossos professores das escolas públicas.

Você foi uma apoiadora de primeira hora da Rede Emancipa de educação popular, inclusive no processo em que ela estava sendo criada. Esteve conosco em incontáveis oportunidades, nos nossos cursinhos, nas nossas ocupações da USP nas nossas aulas inaugurais. Ali você dizia que estava feliz, junto às multidões de jovens estudantes secundaristas e sonhadores que queriam acessar as universidades. Esteve, como não poderia deixar de ser, na inauguração da nossa Universidade Emancipa, espaço de formação de educadores populares. Deu um de nossos primeiros cursos, sobre os 50 anos da Pedagogia do Oprimido, de Paulo Freire.

Quando você entrou no PSOL e foi escolhida candidata a governadora e tive a oportunidade de também ser escolhido seu vice, foi um dos maiores aprendizados que tive na minha militância. Sua referência de combatividade, como você dizia, sua disposição incansável – sempre sorrindo, “animadinha”, contando algum causo – e sua abertura para sempre aprender algo novo mesmo com tanta experiência são marcas que vamos carregar para sempre, junto das lindas memórias daquela campanha educadora que fizemos.

Vamos sentir demais sua falta, querida Lisete. Você nos deixou em um dia de aulas inaugurais de cursinhos populares, de educação de jovens e adultos voltando a ocupar as periferias, da educação popular cumprindo seu papel histórico e imprescindível de ser combustível para as lutas populares. Em cada uma delas você seguirá presente. Obrigado e descanse em paz, Professora.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

   

Podcast Em Movimento

Capa da última edição da Revista Movimento
Esta é a vigésima quarta edição da Revista Movimento. Iniciando nossas publicações em 2022, preparamos uma edição com um dossiê de mulheres, organizado pelas mulheres do Movimento Esquerda Socialista (MES).