Nicarágua 2018-2022 ditadura e resistência

Nicarágua 2018-2022 ditadura e resistência

Publicado originalmente no Comitê de Solidariedade com Nicarágua (18.04).

Há quatro anos, no dia 18 de abril de 2018, na Nicarágua, teve início uma série de manifestações que mudou os rumos da história do país.


Dando seguimento a protestos que vinham explicitando o descontentamento da população com o governo e alta tensão social, coletivos de estudantes organizaram manifestações contra um decreto arbitrário de reforma da previdência. Para surpresa de todos, a repressão foi brutal, e o resultado foram dezenas de pessoas gravemente feridas.

A resposta nas redes sociais foi rápida, e algumas universidades foram ocupadas pelos estudantes. E num episódio repressivo sem precedentes, manifestantes começaram a ser assassinados, tanto pelas forças policiais, quanto por grupos paramilitares portando símbolos da FSLN, partido do presidente Daniel Ortega.

Os desdobramentos desse momento foram muitos, seguindo uma onda repressiva que deixou mais de 350 mortos em 4 meses, além de centenas de presos, escancarando uma ditadura que se mantém até hoje.

Nos próximos dias, postaremos aqui mais informações desse processo histórico e da situação atual que a Nicarágua enfrenta.

Acompanhe e compartilhe! Lutamos pelo fim da ditadura, pela liberdade dos presos políticos, e por memória, justiça e reparação!


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

   

Podcast Em Movimento

Capa da última edição da Revista Movimento
Esta é a vigésima quarta edição da Revista Movimento. Iniciando nossas publicações em 2022, preparamos uma edição com um dossiê de mulheres, organizado pelas mulheres do Movimento Esquerda Socialista (MES).