Nunca os ricos foram tão ricos
grandes-fortunas

Nunca os ricos foram tão ricos

Pesquisa mostra que número de milionários e suas fortunas bateram recorde. E que é preciso taxá-los logo

Tatiana Py Dutra 10 jun 2024, 11:38

Foto: Gimphy

Um estudo da consultoria Capgemeni publicado na semana passada revelou que nunca como hoje o mundo teve tantas pessoas ricas e sua fortuna nunca foi tão grande. A pesquisa “World Wealth Report”, realizada em 71 países,  considera ricos aqueles cujo e capital disponível ultrapassa US$ 1 milhão (R$ 5,3 milhões). 

Essa parcela da população cresceu 5,1% em um ano, chegando a 22,8 milhões de pessoas em 2023. Já a fortuna desta categoria aumentou 4,7% no período, e seu patrimônio total avaliado em US$ 86,8 trilhões (R$ 454,5 trilhões). É um recorde da série histórica da pesquisa, iniciada em 1997, catapultada pelo crescimento das Bolsas de todo o mundo.

No Brasil

Artigo de Livi Gerbr, Pesquisadora do Centre for International Corporate Tax Accountability and Research (Cictar), e Nathalie Beghin, do Colegiado de Gestão do Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc) publicado na Folha de S.Paulo destaca a posição do Brasil nesse cenário.

Conforme o trabalho, nos últimos cinco anos, cinco famílias bilionárias brasileiras acumularam R$ 22 bilhões em dividendos recebidos de suas empresas. E como o Brasil não taxa esse rendimento, os valores entraram “limpinhos” em suas contas. As pesquisadoras fizeram um rápido exercício imaginativo para projetar os benefícios aos cofres públicos caso fossem cobrados impostos apenas dessas mesmas cinco famílias. Aplicada uma alíquota de 24%, como na média europeia, o governo federal poderia ter arrecadado ao menos R$ 5,3 bilhões. Daria para custear o Programa Nacional de Alimentação Escolar para mais de 40 milhões de alunos de escolas públicas com refeições diárias por um ano.

“Esse exemplo ilustra uma questão estrutural das desigualdades no Brasil: 60% da renda do 1% mais rico é composta apenas por dividendos, o que significa que, no geral, os muito ricos pagam, proporcionalmente, poucos impostos. Portanto, a tributação dos dividendos deve aparecer como uma medida urgente na reforma tributária em curso no país”, dizem as pesquisadoras..

Imposto sobre a riqueza

O economista francês Gabriel Zucman defende um imposto global sobre a riqueza. Ele analisa que se fosse implementada uma taxa de apenas 2% sobre a riqueza de um grupo de 3 mil bilionários, a medida liberaria US$ 250 bilhões adicionais em receitas com imposto – contribuindo na redução das desigualdades.

“Ao imposto global sobre a riqueza devem somar-se outros mecanismos de contenção da enorme drenagem de recursos praticada pelos muitos ricos e pelas grandes empresas privadas. As multinacionais e os bilionários possuem uma série de ferramentas a seu dispor – inalcançáveis para a maioria das pessoas e empresas – para fugir dos impostos e que levam os países a perderem cerca de US$ 480 bilhões por ano. A não taxação de dividendos no Brasil é só um exemplo de um emaranhado de brechas legais e ilegais construído pelos muitos ricos para pagar pouco ou nenhum imposto”, finalizam Gerbr e Beghin.


TV Movimento

Palestina livre: A luta dos jovens nos EUA contra o sionismo e o genocídio

A mobilização dos estudantes nos Estados Unidos, com os acampamentos pró-Palestina em dezenas de universidades expôs ao mundo a força da luta contra o sionismo em seu principal apoiador a nível internacional. Para refletir sobre esse movimento, o Espaço Antifascista e a Fundação Lauro Campos e Marielle Franco realizam uma live na terça-feira, dia 14 de maio, a partir das 19h

Roberto Robaina entrevista Flávio Tavares sobre os 60 anos do golpe de 1º de abril

Entrevista de Roberto Robaina com o jornalista Flávio Tavares, preso e torturado pela ditadura militar brasileira, para a edição mensal da Revista Movimento

PL do UBER: regulamenta ou destrói os direitos trabalhistas?

DEBATE | O governo Lula apresentou uma proposta de regulamentação do trabalho de motorista de aplicativo que apresenta grandes retrocessos trabalhistas. Para aprofundar o debate, convidamos o Profº Ricardo Antunes, o Profº Souto Maior e as vereadoras do PSOL, Luana Alves e Mariana Conti
Editorial
Paula Kaufmann | 16 jun 2024

O outono feminista em defesa do aborto legal

A luta contra o retrocesso representado pelo PL do aborto coloca o movimento de mulheres novamente nas ruas
O outono feminista em defesa do aborto legal
Edição Mensal
Capa da última edição da Revista Movimento
Revista Movimento nº 51
Esta edição da Revista tem como centro temático um “Dossiê: Transviando o marxismo”, por ocasião ao mês do Mês do Orgulho LGBTQIA+. Ela começa com o texto Manifesto Marxista-Pajubá que se propõe a imprimir uma perspectiva marxista à luta de travestis e demais pessoas trans e às formulações respectivas à transgeneridade. Organizado pelo Núcleo Pajubá do MES, este manifesto oferece um espaço de reflexão, resistência e articulação política, onde vozes diversas e potentes se encontram para desafiar o status quo opressor e explorador e construir lutas de emancipação.
Ler mais

Podcast Em Movimento

Colunistas

Ver todos

Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Ver todos

Podcast Em Movimento

Capa da última edição da Revista Movimento
Esta edição da Revista tem como centro temático um “Dossiê: Transviando o marxismo”, por ocasião ao mês do Mês do Orgulho LGBTQIA+. Ela começa com o texto Manifesto Marxista-Pajubá que se propõe a imprimir uma perspectiva marxista à luta de travestis e demais pessoas trans e às formulações respectivas à transgeneridade. Organizado pelo Núcleo Pajubá do MES, este manifesto oferece um espaço de reflexão, resistência e articulação política, onde vozes diversas e potentes se encontram para desafiar o status quo opressor e explorador e construir lutas de emancipação.