Pôsteres soviéticos: El Lissitzky

Lissitzky acreditava no potencial transformador da arte e utilizou em suas obras uma linguagem inventiva e experimental para levantar debates concretos sobre a transformação social da Rússia revolucionária.

Flavia Brancalion 7 nov 2017, 17:50

Lazar Markovich Lissitzky (23 de novembro de 1890 — 30 de dezembro de 1941), mais conhecido como El Lissitzky, foi um artista de vanguarda e polemista russo. Acreditava no potencial transformador da arte e utilizou em seus desenhos, quadros, ilustrações, livros e construções uma linguagem inventiva e experimental para levantar debates concretos sobre a transformação social da Rússia revolucionária.

Seguiu seu mentor, Kazimir Malevich, pelas veredas do Suprematismo, movimento para o qual contribuiu misturando referências da arquitetura, da tipografia e do design gráfico com imagens abstratas bi-dimensionais. Utilizava cores fortes e formas geométricas simples para criar mensagens políticas marcantes. Influenciou grupos importantes como De Stijl e Bauhaus. A seguir, uma seleção de seus desenhos e pôsteres:

El Lissitzky, Viajante (no tempo) [1923]


El Lissitzky, Parte da Feira de Maquinaria (1923)


El Lissitzky, Cálculo Básico (1928)


El Lissitzky, Vence os brancos com a cunha vermelha (1920)


El Lissitzky, Esboço para um pôster (1920)


El Lissitzky, Voando para Terra a partir de uma distância (1920)


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Ver todos

Podcast Em Movimento

Capa da última edição da Revista Movimento
Esta é a vigésima primeira edição da Revista Movimento, dedicada aos debates em curso do VII Congresso Nacional do PSOL. Nela encontram-se artigos de análise, polêmica e discussão programática para subsidiar os debates de nossos camaradas em todo o país e contribuir com a batalha pela pré-candidatura de nosso companheiro Glauber Braga à presidência da República pelo PSOL. A edição também conta com análises de importantes questões internacionais contemporâneas e de outros temas de interesse, como os desafios da luta pelo “Fora, Bolsonaro” e as crises hídrica e elétrica no Brasil. Num ano de 2021 ainda marcado pela tragédia da pandemia da Covid-19 e pelo descaso criminoso de governos em todo o mundo, lamentamos a perda de nosso grande camarada Tito Prado (1949-2021), militante internacionalista e dirigente de Nuevo Perú. A ele dedicamos esta edição de nossa revista e, em sua homenagem, publicamos artigos em sua memória. Boa leitura!