Pôsteres soviéticos: El Lissitzky
El Lissitzky, Esboço para um pôster (1920)

Pôsteres soviéticos: El Lissitzky

Lissitzky acreditava no potencial transformador da arte e utilizou em suas obras uma linguagem inventiva e experimental para levantar debates concretos sobre a transformação social da Rússia revolucionária.

Flavia Brancalion 7 nov 2017, 17:50

Lazar Markovich Lissitzky (23 de novembro de 1890 — 30 de dezembro de 1941), mais conhecido como El Lissitzky, foi um artista de vanguarda e polemista russo. Acreditava no potencial transformador da arte e utilizou em seus desenhos, quadros, ilustrações, livros e construções uma linguagem inventiva e experimental para levantar debates concretos sobre a transformação social da Rússia revolucionária.

Seguiu seu mentor, Kazimir Malevich, pelas veredas do Suprematismo, movimento para o qual contribuiu misturando referências da arquitetura, da tipografia e do design gráfico com imagens abstratas bi-dimensionais. Utilizava cores fortes e formas geométricas simples para criar mensagens políticas marcantes. Influenciou grupos importantes como De Stijl e Bauhaus. A seguir, uma seleção de seus desenhos e pôsteres:

El Lissitzky, Viajante (no tempo) [1923]


El Lissitzky, Parte da Feira de Maquinaria (1923)


El Lissitzky, Cálculo Básico (1928)


El Lissitzky, Vence os brancos com a cunha vermelha (1920)


El Lissitzky, Esboço para um pôster (1920)


El Lissitzky, Voando para Terra a partir de uma distância (1920)


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
Na 16ª edição, estão disponíveis dois dossiês. No primeiro, sobre o ecossocialismo, podem-se se encontrar as recentes teses de Michael Löwy, além de uma entrevista com o sociólogo e dirigente da IV Internacional. Também publicamos uma entrevista com Zé Rainha, dirigente da FNL, sobre sua trajetória de luta e os desafios dos socialistas no Brasil; uma entrevista com Antônia Cariongo, dirigente quilombola e do PSOL-MA; e artigos de Luiz Fernando Santos, sobre a lógica marxista e a Amazônia, e de Marcela Durante, do Setorial Ecossocialista do PSOL. O segundo dossiê traz algumas análises iniciais sobre a pandemia de coronavírus. Há artigos de Mike Davis e Daniel Tanuro; documentos do MES e do Bureau da IV Internacional; além de uma densa análise de nossas companheiras Evelin Minowa, Joyce Martins, Luana Alves, Natália Peccin Gonçalves, Natalia Pennachioni e Vanessa Couto e de um artigo do camarada Bruno Magalhães. A seção de depoimentos traz um instigante artigo de Pedro Fuentes sobre a história de seu irmão Luis Pujals, o primeiro desaparecido político da história da Argentina. Já a seção internacional traz uma análise do sociólogo William I. Robinson sobre a situação latino-americana.