Revista Movimento Movimento Movimento: crítica, teoria e ação

Pôsteres soviéticos: El Lissitzky

Lissitzky acreditava no potencial transformador da arte e utilizou em suas obras uma linguagem inventiva e experimental para levantar debates concretos sobre a transformação social da Rússia revolucionária.

El Lissitzky, Esboço para um pôster (1920)
El Lissitzky, Esboço para um pôster (1920)

Lazar Markovich Lissitzky (23 de novembro de 1890 — 30 de dezembro de 1941), mais conhecido como El Lissitzky, foi um artista de vanguarda e polemista russo. Acreditava no potencial transformador da arte e utilizou em seus desenhos, quadros, ilustrações, livros e construções uma linguagem inventiva e experimental para levantar debates concretos sobre a transformação social da Rússia revolucionária.

Seguiu seu mentor, Kazimir Malevich, pelas veredas do Suprematismo, movimento para o qual contribuiu misturando referências da arquitetura, da tipografia e do design gráfico com imagens abstratas bi-dimensionais. Utilizava cores fortes e formas geométricas simples para criar mensagens políticas marcantes. Influenciou grupos importantes como De Stijl e Bauhaus. A seguir, uma seleção de seus desenhos e pôsteres:

El Lissitzky, Viajante (no tempo) [1923]


El Lissitzky, Parte da Feira de Maquinaria (1923)


El Lissitzky, Cálculo Básico (1928)


El Lissitzky, Vence os brancos com a cunha vermelha (1920)


El Lissitzky, Esboço para um pôster (1920)


El Lissitzky, Voando para Terra a partir de uma distância (1920)

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

Neste mês de março, preparamos uma nova edição da Revista Movimento, dedicada especialmente para a reflexão e elaboração política sobre a luta das mulheres. Selecionamos um conjunto de materiais - artigos teóricos, textos políticos, documentos e uma especial entrevista - com o intuito de aprofundar o esforço consciente demonstrado por nossa organização nos últimos anos em avançar na compreensão sobre o tipo de feminismo que defendemos, bem como sobre o papel essencial e a importância estratégica que a luta feminista tem para a construção de um projeto anticapitalista. Um desafio exigido pela atual conjuntura, marcada pela ascensão de governos de extrema-direita no mundo, na qual o movimento feminista tem se apresentado como contraponto e trincheira de resistência fundamental. Por isso, esta edição pretende, antes de mais nada, auxiliar e fortalecer nossas intervenções feministas nesse momento, a começar por duas datas muito significativas que inauguram este mês: o 8 e o 14 de março, dia em que se completará um ano do brutal assassinato de nossa companheira Marielle Franco. Esperamos que seja proveitoso e sirva como instrumento para as nossas batalhas. Boa leitura!

Solzinho

MES: Movimento Esquerda Socialista MES: Movimento Esquerda Socialista