Revista Movimento Movimento Movimento: crítica, teoria e ação

183 anos da Revolta dos Malês

Reafirmar a memória da Revolta dos Malês é manter viva a nossa luta contra o racismo ainda presente em nossa sociedade.

Reprodução
Reprodução

A Revolta do Malês foi um levante de escravos em Salvador, capital da Bahia, que aconteceu na noite de 24 para 25 de janeiro de 1835.

Organizado por negros africanos recém chegados ao Brasil, a Revolta dos Malês foi um dos maiores movimentos de resistência a Escravidão e a intolerância religiosa no período imperial.

Diferente da historiografia oficial, a luta do negro no Brasil é marcada por várias formas de luta. Os quilombos, os levantes, as “guerras de mato” foram processos legitimos de autodefesa e organização de luta pela liberdade. Reivindicamos uma releitura da história de nosso país onde coloque o papel de centralidade do oprimido na construção social.

Reafirmar a memória da Revolta dos Malês é manter viva a nossa luta contra o racismo ainda presente em nossa sociedade.

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

A décima terceira edição da Revista Movimento dedica-se ao debate sobre os desafios da esquerda socialista no Brasil diante da crise nacional que se desenrola há anos e do governo Bolsonaro. Para tanto, foram convidados dirigentes do PSOL, do MES e de outras organizações revolucionárias que atuam no partido. O dossiê sobre a estratégia da esquerda e o PSOL reflete os desafios da organização de um polo socialista no interior do partido. Há também, na seção nacional, reflexões sobre a crise econômica brasileira, as revelações de The Intercept e as lutas da juventude e da negritude. As efemérides do centenário da escola Bauhaus e do cinquentenário do levante de Stonewall também aparecem no volume, além da tese das mulheres do MES para o Encontro de Mulheres do PSOL.

Ilustração da capa da Revista Movimento

MES: Movimento Esquerda Socialista MES: Movimento Esquerda Socialista