183 anos da Revolta dos Malês
Reprodução

183 anos da Revolta dos Malês

Reafirmar a memória da Revolta dos Malês é manter viva a nossa luta contra o racismo ainda presente em nossa sociedade.

Josemar Carvalho 24 jan 2018, 17:38

A Revolta do Malês foi um levante de escravos em Salvador, capital da Bahia, que aconteceu na noite de 24 para 25 de janeiro de 1835.

Organizado por negros africanos recém chegados ao Brasil, a Revolta dos Malês foi um dos maiores movimentos de resistência a Escravidão e a intolerância religiosa no período imperial.

Diferente da historiografia oficial, a luta do negro no Brasil é marcada por várias formas de luta. Os quilombos, os levantes, as “guerras de mato” foram processos legitimos de autodefesa e organização de luta pela liberdade. Reivindicamos uma releitura da história de nosso país onde coloque o papel de centralidade do oprimido na construção social.

Reafirmar a memória da Revolta dos Malês é manter viva a nossa luta contra o racismo ainda presente em nossa sociedade.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
Na 16ª edição, estão disponíveis dois dossiês. No primeiro, sobre o ecossocialismo, podem-se se encontrar as recentes teses de Michael Löwy, além de uma entrevista com o sociólogo e dirigente da IV Internacional. Também publicamos uma entrevista com Zé Rainha, dirigente da FNL, sobre sua trajetória de luta e os desafios dos socialistas no Brasil; uma entrevista com Antônia Cariongo, dirigente quilombola e do PSOL-MA; e artigos de Luiz Fernando Santos, sobre a lógica marxista e a Amazônia, e de Marcela Durante, do Setorial Ecossocialista do PSOL. O segundo dossiê traz algumas análises iniciais sobre a pandemia de coronavírus. Há artigos de Mike Davis e Daniel Tanuro; documentos do MES e do Bureau da IV Internacional; além de uma densa análise de nossas companheiras Evelin Minowa, Joyce Martins, Luana Alves, Natália Peccin Gonçalves, Natalia Pennachioni e Vanessa Couto e de um artigo do camarada Bruno Magalhães. A seção de depoimentos traz um instigante artigo de Pedro Fuentes sobre a história de seu irmão Luis Pujals, o primeiro desaparecido político da história da Argentina. Já a seção internacional traz uma análise do sociólogo William I. Robinson sobre a situação latino-americana.