Parem os ataques ao povo curdo!

Parem os ataques ao povo curdo!

Em nota, o Partido Socialismo e Liberdade reafirma sua solidariedade internacional com os curdos.

Executiva Nacional do PSOL 22 jan 2018, 18:12

Entre os dias 20 e 21, a aviação turca abriu fogo contra a cidade de Afrin, no norte da síria, buscando destruir as posições do Curdistião sírio. Uma agressão brutal e covarde, que deixou mortos e feridos civis, não apenas entre os curdos, mas também contra cristãos, árabes e demais povos da região.

Essa agressão é um gesto de ódio, um crime de guerra. Muito similar aos crimes impetrados pelo Estado Islâmico. Agredir um país que não se encontra em estado de guerra é um ataque desmedido.

O governo turco encabeçado pelo désposta Recep Tayyip Erdogan mantém o cerco em duas frentes: no ambito interno, perseguindo, prendendo opositores, fechando instituições para perpetuar um regime autoritário e no frente externo- em aliança com setores da AlQuaeda- tendo como estratégia liquidar as zonas liberadas pelos Curdos.

Em sua primeira investida, a aviação turca matou seis civis e um combatente do YPG (Unidades em defesa do povo) e duas de YPJ (Unidades de defesa da Mulher); além de atacar Afrin, a aviação turca também o fez no campo de refugiados de Rubar.

A partir desses ataques, se iniciou uma campanha internacional para denunciar os bombardeios. Precisamos somar forças e rodear de solidariedade o povo curdo. Vale lembrar que foram os curdos, com seus destacados batalhões femininos, que expulsaram o Estado Islâmico de Kobane.

O PSOL se soma à solidariedade com o povo curdo, exigindo a imediata ruptura de relações com o governo turco. É preciso ampliar a campanha internacional de denúncia contra essa operação ilegal.

Nossa posição é categórica e vamos amplificar a campanha “Parem as bombas contra o povo curdo” entre parlamentares, partidos progressistas, democratas, no Brasil e em todo continente americano.

Partido Socialismo e Liberdade

21/01/2018

Fonte: http://www.psol50.org.br/parem-os-ataques-ao-povo-curdo/


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
Publicamos a décima sétima edição da Revista Movimento ainda sob o impacto da pandemia da Covid-19. Em todo o mundo, as contradições acumulam-se. Este volume está dedicado à análise de várias dimensões desta verdadeira crise global e de seus desdobramentos. Com destaque, tratamos da mobilização antirracista nos Estados Unidos e no mundo, iniciada após o assassinato de George Floyd, e da situação brasileira, discutindo a crise do governo Bolsonaro e as recentes manifestações dos trabalhadores por aplicativos.