50 anos do Metrô de São Paulo – em defesa do patrimônio público
Companhia do Metropolitano de São Paulo, fundada em 24 de abril de 1968

50 anos do Metrô de São Paulo – em defesa do patrimônio público

Vamos comemorar os 50 anos com o que sempre fizemos de melhor: trabalhando com presteza, defendendo o transporte público e nossos direitos.

Ana Cláudia Borguin 24 abr 2018, 13:39

O Metrô de SP completa 50 anos hoje. Uma idade simbólica, porém curta pro impacto que este serviço tem na cidade de São Paulo: o Metrô de SP foi muitas vezes indicado como um dos melhores serviços públicos do Estado e hoje transporta milhões de usuários.

Mas em meio ao orgulho de ser funcionária desta companhia, esta data não deixa de acontecer no momento mais contraditório de sua história. O processo de privatização e terceirização se acelera cada dia mais – a Linha 5 Lilás passou por leilão em Janeiro e parte das bilheterias já operam hoje com terceiros.

Uma mácula triste em uma grande história. Mais do que apenas prover transporte veloz, o Metrô se destacou por sua excelência em atendimento a população, retrato este que tem se modificado dia após dia com a precarização de nossos postos de trabalho. Somos hoje um quadro de funcionários reduzido, que não consegue cumprir suas metas de atendimento humanizado e de qualidade.

Para quem não sabe, não é apenas vender bilhete e dirigir trem as funções dos metroviários. O serviço humano sempre foi um diferencial. Exemplos não faltam. O metrô é considerado o segundo lugar mais seguro para se ter uma parada cardiorrespiratória (ficando atrás apenas de hospitais) – tem todo seu quadro operacional treinado em RCP e desfribilador automático. Também temos treinamento de atendimento à Pessoa com Deficiência – fazendo com que a locomoção desta camada da população aconteça com mais segurança. Nossos conhecimentos em Primeiros Socorros já salvaram muitas vidas e a disposição de ouvir e atender já confortaram muitos usuários em momentos realmente difíceis.

Todo esse serviço, mesmo com falhas, é o verdadeiro legado da Cia. Do Metropolitano e a responsabilidade disto é da categoria Metroviária. Mesmo com a desvalorização de seu trabalho, com as agressões constantes em estações, com as tentativas de retirada de direitos e a perseguição cada vez mais constante por parte da chefia, é a categoria Metroviária aquela que mais compreende prestar um serviço como qualidade e segurança.

Mas apesar deste cenário de desmonte – semelhante a que outros serviços públicos do Estado passaram visando a privatização – é importante ressaltar a combatividade em defende o Metrô. Os Metroviários de São Paulo sempre se destacaram pelo papel de vanguarda nas lutas da classe trabalhadora. Puxaram a greve geral de 2017 e este ano obtiveram uma vitória histórica com a reintegração dos companheiros demitidos na greve de 2014.

É desta forma que devemos comemorar este dia – não com a falsidade de um Governo que se diz orgulhoso, mas que só retirar diretos, piora o serviço, aumenta o preço da passagem e quer vender o serviço público. Vamos comemorar os 50 anos com o que sempre fizemos de melhor: trabalhando com presteza, defendendo o transporte público e nossos direitos!


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
Publicamos a décima sétima edição da Revista Movimento ainda sob o impacto da pandemia da Covid-19. Em todo o mundo, as contradições acumulam-se. Este volume está dedicado à análise de várias dimensões desta verdadeira crise global e de seus desdobramentos. Com destaque, tratamos da mobilização antirracista nos Estados Unidos e no mundo, iniciada após o assassinato de George Floyd, e da situação brasileira, discutindo a crise do governo Bolsonaro e as recentes manifestações dos trabalhadores por aplicativos.