Nota do PSOL à embaixada do Paquistão
Reprodução

Nota do PSOL à embaixada do Paquistão

Partido exige que o Governo do Paquistão dê informações sobre o paradeiro de 7 ativistas detidos durante manifestação no último domingo.

Ao Embaixador do Paquistão no Brasil, Sr. Najm us Saqib

Tomamos conhecimento de que num ato público realizado nesse domingo (22/04/2018) em Karachi no Paquistão, pelo menos 7 ativistas foram levados presos pelas forças armadas paquistanesas. Seus pares políticos e familiares até agora não têm notícia nenhuma de seu paradeiro. Eles protestavam contra o desaparecimento de mais de 32 mil pessoas da minoria Pashtun no Paquistão.

Nós, que no Brasil acabamos de perder uma grande lutadora pelos direitos humanos, Marielle Franco, assassinada por defender direitos, nos identificamos com a luta legítima pelas liberdades democráticas que esses ativistas paquistaneses desenvolvem e repudiamos a utilização do Exército paquistanês contra o seu próprio povo.

Fomos informados de que os 7 desaparecidos desde esse domingo, são:

1. Karim Parhar, dirigente do PTM e RWF de Qetta

2. Attaullah Afridi, organizador do PYA em Karachi

3. Aftab Ashraf, organizador central do RWF

4. Umer Riaz, organizador de PYA em Islamabad

5. Zain ul Abideen, organizador central do PYA

6. Gulbaz, organizador do RWF na Cachemira

7. Bilawal Baloch, vice-secretário geral da Aliança Progressista da Juventude do PYA no Baluchistão

Exigimos que o Governo do Paquistão dê informações sobre o paradeiro desses 7 ativistas e que os liberte imediatamente. Queremos o reaparecimento dos 7 ativistas com vida!

Informamos que o nosso partido no Brasil mobilizará seus parlamentares e acionará as devidas entidades internacionais para acompanhar os desenvolvimentos deste caso.

Aguardamos ansiosos uma resposta do Embaixador, inclusive para que possamos agendar uma reunião sobre esta questão em Brasília.

Atenciosamente,

Secretaria de Relações Internacionais

Executiva Nacional do PSOL

Fonte: http://portaldelaizquierda.com/pt_br/2018/04/nota-do-psol-a-embaixada-do-paquistao/


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
Na 16ª edição, estão disponíveis dois dossiês. No primeiro, sobre o ecossocialismo, podem-se se encontrar as recentes teses de Michael Löwy, além de uma entrevista com o sociólogo e dirigente da IV Internacional. Também publicamos uma entrevista com Zé Rainha, dirigente da FNL, sobre sua trajetória de luta e os desafios dos socialistas no Brasil; uma entrevista com Antônia Cariongo, dirigente quilombola e do PSOL-MA; e artigos de Luiz Fernando Santos, sobre a lógica marxista e a Amazônia, e de Marcela Durante, do Setorial Ecossocialista do PSOL. O segundo dossiê traz algumas análises iniciais sobre a pandemia de coronavírus. Há artigos de Mike Davis e Daniel Tanuro; documentos do MES e do Bureau da IV Internacional; além de uma densa análise de nossas companheiras Evelin Minowa, Joyce Martins, Luana Alves, Natália Peccin Gonçalves, Natalia Pennachioni e Vanessa Couto e de um artigo do camarada Bruno Magalhães. A seção de depoimentos traz um instigante artigo de Pedro Fuentes sobre a história de seu irmão Luis Pujals, o primeiro desaparecido político da história da Argentina. Já a seção internacional traz uma análise do sociólogo William I. Robinson sobre a situação latino-americana.