Nota do PSOL à embaixada do Paquistão
Reprodução

Nota do PSOL à embaixada do Paquistão

Partido exige que o Governo do Paquistão dê informações sobre o paradeiro de 7 ativistas detidos durante manifestação no último domingo.

Ao Embaixador do Paquistão no Brasil, Sr. Najm us Saqib

Tomamos conhecimento de que num ato público realizado nesse domingo (22/04/2018) em Karachi no Paquistão, pelo menos 7 ativistas foram levados presos pelas forças armadas paquistanesas. Seus pares políticos e familiares até agora não têm notícia nenhuma de seu paradeiro. Eles protestavam contra o desaparecimento de mais de 32 mil pessoas da minoria Pashtun no Paquistão.

Nós, que no Brasil acabamos de perder uma grande lutadora pelos direitos humanos, Marielle Franco, assassinada por defender direitos, nos identificamos com a luta legítima pelas liberdades democráticas que esses ativistas paquistaneses desenvolvem e repudiamos a utilização do Exército paquistanês contra o seu próprio povo.

Fomos informados de que os 7 desaparecidos desde esse domingo, são:

1. Karim Parhar, dirigente do PTM e RWF de Qetta

2. Attaullah Afridi, organizador do PYA em Karachi

3. Aftab Ashraf, organizador central do RWF

4. Umer Riaz, organizador de PYA em Islamabad

5. Zain ul Abideen, organizador central do PYA

6. Gulbaz, organizador do RWF na Cachemira

7. Bilawal Baloch, vice-secretário geral da Aliança Progressista da Juventude do PYA no Baluchistão

Exigimos que o Governo do Paquistão dê informações sobre o paradeiro desses 7 ativistas e que os liberte imediatamente. Queremos o reaparecimento dos 7 ativistas com vida!

Informamos que o nosso partido no Brasil mobilizará seus parlamentares e acionará as devidas entidades internacionais para acompanhar os desenvolvimentos deste caso.

Aguardamos ansiosos uma resposta do Embaixador, inclusive para que possamos agendar uma reunião sobre esta questão em Brasília.

Atenciosamente,

Secretaria de Relações Internacionais

Executiva Nacional do PSOL

Fonte: http://portaldelaizquierda.com/pt_br/2018/04/nota-do-psol-a-embaixada-do-paquistao/


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
“Enquanto os efeitos sanitários e econômicos da Covid-19 seguem fazendo-se sentir, escancarando a crise global do capitalismo, as lutas na América Latina começam a apresentar importantes conquistas no enfrentamento da extrema-direita continental. Na Bolívia, após meses de enfrentamentos e mobilização popular, a contundente vitória da chapa do MAS pôs fim ao governo ilegítimo e reacionário de Jeanine Áñez. No Chile, após as multitudinárias manifestações de 2019, o plebiscito levou a uma vitória esmagadora em favor de uma nova constituição elaborada por assembleia exclusiva. Na campanha eleitoral estadunidense em curso, está em jogo a possibilidade de derrotar o trumpismo, que anima movimentos neofascistas e racistas naquele país e em todo o mundo. Ao mesmo tempo, as eleições municipais brasileiras abrem a possibilidade de construir uma alternativa nas cidades que contribua para isolar e derrotar o bolsonarismo. A décima oitava edição da Revista Movimento debruça-se sobre esses processos de mobilização nas ruas e de enfrentamento eleitoral em curso”.