Vai ter PSOL em MG
Dirlene Marques e Sara Azevedo - Reprodução

Vai ter PSOL em MG

A candidatura de Dirlene Marques aparece em 4º lugar nas últimas pesquisas de intenções para o governo de Minas Gerais.

Sara Azevedo 26 jun 2018, 12:32

Nas eleições de 2018, no estado de Minas Gerais, as primeiras pesquisas divulgadas mostram as o descontentamento do povo contra os velhos políticos. A pesquisa divulgada hoje pelo DataPoder360 apresenta a marca de 27 a 30% de brancos e nulos demonstrando o repúdio aos velhos políticos do regime e a decepção com o governo do estado, hoje de Fernando Pimentel (PT).

A partir disso, o PSOL surge como o novo. Sendo a única candidata mulher no pleito, Dirlene Marques, apresenta a radicalidade do discurso em oposição aos 3 candidatos a sua frente. Apontada em 4° lugar com 5% das intenções de votos, demonstram a força das nossas idéias e o crescente espaço a esquerda no estado.

Temos ainda um caminho a percorrer, porém largamos na frente e vamos disputar pra chegar no segundo turno.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
“Enquanto os efeitos sanitários e econômicos da Covid-19 seguem fazendo-se sentir, escancarando a crise global do capitalismo, as lutas na América Latina começam a apresentar importantes conquistas no enfrentamento da extrema-direita continental. Na Bolívia, após meses de enfrentamentos e mobilização popular, a contundente vitória da chapa do MAS pôs fim ao governo ilegítimo e reacionário de Jeanine Áñez. No Chile, após as multitudinárias manifestações de 2019, o plebiscito levou a uma vitória esmagadora em favor de uma nova constituição elaborada por assembleia exclusiva. Na campanha eleitoral estadunidense em curso, está em jogo a possibilidade de derrotar o trumpismo, que anima movimentos neofascistas e racistas naquele país e em todo o mundo. Ao mesmo tempo, as eleições municipais brasileiras abrem a possibilidade de construir uma alternativa nas cidades que contribua para isolar e derrotar o bolsonarismo. A décima oitava edição da Revista Movimento debruça-se sobre esses processos de mobilização nas ruas e de enfrentamento eleitoral em curso”.