Revista Movimento Movimento Movimento: crítica, teoria e ação

Não à fraude eleitoral de Bolsonaro!

O PSOL exige investigação imediata e, a se comprovarem as denúncias, a impugnação da candidatura de Jair Bolsonaro.

A Executiva Nacional do PSOL manifesta sua preocupação e indignação com as graves revelações de reportagem do jornal Folha de S.Paulo publicada hoje, segundo a qual a campanha de Jair Bolsonaro tem recebido doações ilegais milionárias de empresas, que contratam agências de serviços digitais para espalhar materiais de apoio ao candidato do PSL e, sobretudo, notícias falsas e fraudulentas sobre o candidato adversário Fernando Haddad. Segundo a jornalista Patrícia Campos Mello, ao menos quatro agências – Quickmobile, Yacows, Croc Services e SMS Market – estariam sendo contratadas por empresas apoiadoras de Bolsonaro, recebendo até R$ 12 milhões em cada um dos vários contratos de disseminação de propaganda ilegal e notícias fraudulentas por whatsapp.

A eleição de 2018, desde o primeiro turno, já está marcada pela tentativa sistemática de fraudar a vontade popular por meio da difusão de materiais fraudulentos em redes sociais pela campanha de Bolsonaro. As revelações de hoje vão além: se se confirmam as denúncias, o candidato do PSL estaria recebendo milhões de reais em caixa 2, dinheiro ilegal não declarado e de fonte desconhecida, para disseminar calúnias e estimular a violência que se verifica nas ruas de todo o país. O candidato Fernando Haddad manifestou há poucas horas ter tomado conhecimento de áudios em que o próprio Jair Bolsonaro estimula e orienta a disseminação deste tipo de material de campanha ilegal.
Estamos diante da contaminação do processo eleitoral pelo poder econômico e por agentes espúrios, inclusive possivelmente estrangeiros, que buscam fraudar os resultados eleitorais e atacar a democracia brasileira. O PSOL exige investigação imediata e, a se comprovarem as denúncias, a impugnação da candidatura de Jair Bolsonaro.

Este também é um momento de mobilização. Por isso, a Executiva Nacional do PSOL orienta todos seus filiados e simpatizantes a ampliarem a mobilização na campanha contra Bolsonaro e por Haddad 13 para evitarmos, nas urnas e nas ruas, um resultado eleitoral que traria retrocessos de toda ordem ao Brasil. Nesse sentido, estimulamos nossa militância a fortalecer as manifestações do dia 20/10 contra a candidatura de Jair Bolsonaro. É hora de ação! Não ao caixa 2 de Bolsonaro! Ditadura nunca mais! Em defesa da democracia, vote Haddad 13!

Originalmente publicada no site do PSOL.

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

A décima terceira edição da Revista Movimento dedica-se ao debate sobre os desafios da esquerda socialista no Brasil diante da crise nacional que se desenrola há anos e do governo Bolsonaro. Para tanto, foram convidados dirigentes do PSOL, do MES e de outras organizações revolucionárias que atuam no partido. O dossiê sobre a estratégia da esquerda e o PSOL reflete os desafios da organização de um polo socialista no interior do partido. Há também, na seção nacional, reflexões sobre a crise econômica brasileira, as revelações de The Intercept e as lutas da juventude e da negritude. As efemérides do centenário da escola Bauhaus e do cinquentenário do levante de Stonewall também aparecem no volume, além da tese das mulheres do MES para o Encontro de Mulheres do PSOL.

Ilustração da capa da Revista Movimento

MES: Movimento Esquerda Socialista MES: Movimento Esquerda Socialista