Revista Movimento Movimento Movimento: crítica, teoria e ação

Nota da Executiva do PSOL/RS sobre o 2° turno no Rio Grande do Sul

Seremos oposição a Eduardo Leite (PSDB) e a José Ivo Sartori (MDB), nossa principal tarefa neste momento é derrotar Bolsonaro.

Apresentamos a candidatura de Roberto Robaina para o governo do Estado do Rio Grande do Sul, que defendeu de forma consistente um programa de combate aos privilégios, defesa dos trabalhadores do campo e da cidade e dos direitos civis. Estamos orgulhosos com o apoio às nossas ideias, com os votos de todas as nossas candidaturas, da grande votação do nosso guerreiro Pedro Ruas e pela eleição de Luciana Genro à Assembleia Legislativa e Fernanda Melchionna ao Congresso Nacional.

Nosso partido não dará o seu apoio a nenhuma das candidaturas que disputam o segundo turno no Rio Grande do Sul. Seremos oposição a Eduardo Leite (PSDB) e a José Ivo Sartori (MDB). Ambos representam uma mesma política de ajuste econômico contra o povo, privatização, desrespeito aos servidores e aos serviços públicos e a continuidade da lógica de um Estado a serviço dos mais ricos em detrimento da maioria da população. Agrega-se a isso o fato de que ambos os candidatos já declararam apoio a Jair Bolsonaro. Por isso, nosso voto no Estado será nulo. Ser contra Bolsonaro é nosso primeiro critério de definição. Nós do PSOL, que sempre fomos oposição aos governos do PT, votaremos no 13 no segundo turno nacional por conta de nosso repúdio a Bolsonaro, mesmo mantendo profundas diferenças políticas com o PT e preservando nossa independência.

Nossa principal tarefa neste momento é derrotar a extrema-direita fascista representada pela candidatura de Jair Bolsonaro e seguir nas ruas organizando a luta em defesa dos direitos dos trabalhadores. Dizemos em alto e bom som: Ele Não!

Porto Alegre, 09 de outubro de 2018

Extraído de: https://lucianagenro.com.br/2018/10/nota-da-executiva-do-psol-rs-sobre-o-2-turno-no-rio-grande-do-sul/

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

A décima terceira edição da Revista Movimento dedica-se ao debate sobre os desafios da esquerda socialista no Brasil diante da crise nacional que se desenrola há anos e do governo Bolsonaro. Para tanto, foram convidados dirigentes do PSOL, do MES e de outras organizações revolucionárias que atuam no partido. O dossiê sobre a estratégia da esquerda e o PSOL reflete os desafios da organização de um polo socialista no interior do partido. Há também, na seção nacional, reflexões sobre a crise econômica brasileira, as revelações de The Intercept e as lutas da juventude e da negritude. As efemérides do centenário da escola Bauhaus e do cinquentenário do levante de Stonewall também aparecem no volume, além da tese das mulheres do MES para o Encontro de Mulheres do PSOL.

Ilustração da capa da Revista Movimento

MES: Movimento Esquerda Socialista MES: Movimento Esquerda Socialista