Revista Movimento Movimento Movimento: crítica, teoria e ação

100 filmes para entender o pós-modernismo

Uma seleção com filmes que apresentam de maneira contundente algumas das características fundamentais do pós-modernismo.

Cena de "Holy Motors"
Cena de "Holy Motors"

“Pós-modernismo” ou “pós-modernidade” é um conceito originalmente construído para definir uma modalidade de arte surgida nos anos 1960. Entre as décadas de 1970 e 1980, ele passou a ser usado por intelectuais como conceito histórico em geral que ajudasse a interpretar o período surgido a partir do final do século XX. Alguns teóricos marxistas, como Fredric Jameson, Terry Eagleton e David Harvey, deram novo significado ao termo (aquele que será utilizado aqui), associando as transformações do modo de produção capitalista no final do século XX à a formação filosófica, acadêmica, cultural e artística contemporânea. Para não correr o risco de errar, fico com a definição muito precisa e sintética de Terry Eagleton:

[…] A palavra pós-modernismo refere-se em geral a uma forma de cultura contemporânea, enquanto o termo pós-modernidade alude a um período histórico específico. Pós-modernidade é uma linha de pensamento que questiona as noções clássicas de verdade, razão, identidade e objetividade, a ideia de progresso ou emancipação universal, os sistemas únicos, as grandes narrativas ou os fundamentos definitivos de explicação. Contrariando essas normas do iluminismo, vê o mundo como contingente, gratuito, diverso, instável, imprevisível, um conjunto de culturas ou interpretações desunificadas gerando um certo grau de ceticismo em relação à objetividade da verdade, da história e das normas, em relação às idiossincrasias e a coerência de identidades. Essa maneira de ver, como sustentam alguns, baseia-se em circunstâncias concretas: ela emerge da mudança histórica ocorrida no Ocidente para uma nova forma de capitalismo – para o mundo efêmero e descentralizado da tecnologia, do consumismo e da indústria cultural, na qual a indústria de serviços, finanças e informação triunfam sobre a produção tradicional, e a política de classes cede terreno a uma série difusa de “políticas de identidade”. (Terry Eagleton, As ilusões do pós-modernismo, p. 7).

O objetivo dessa lista não é descrever longamente e com detalhes o que é pós-modernismo – algo que pode ser buscado nas excelentes obras Condição Pós-Moderna, de David Harvey, e Pós-modernismo: a lógica cultural do capitalismo tardio, de Fredric Jameson – e por isso a definição de Eagleton já nos basta. A intenção aqui é descrever o pós-modernismo por meio de outra linguagem: a linguagem dos filmes. Por se tratar de um fenômeno histórico, em alguma medida todas as produções culturais que se inserem nesse período irão refletir a sua subjetividade. Mas aqui procurei selecionar alguns filmes que apresentam de maneira contundente algumas das características fundamentais do pós-modernismo. Essas características são descritas brevemente abaixo.

Tomei a liberdade também de extrapolar o conceito estrito de pós-modernismo para acrescentar outras leituras do capitalismo contemporâneo que se relacionam em alguma medida com “pós-modernismo”: neoliberalismo (ou “razão neoliberal”) e neofascismo. Estes conceitos aparecem na parte final da lista de palavras-chave.

Antes de partirmos ao que interessa, só mais algumas observações: essa lista é limitada pelo meu repertório pessoal, ou seja, não inclui filmes que não vi ou dos quais não me lembro bem (por isso Edward Mãos de Tesoura ou Verdades e Mentiras, por exemplo, estão fora); como a ideia é que essa lista seja divertida de acompanhar, também busquei colocar apenas filmes que a média da crítica considera pelo menos razoável (Click, então, teve que sair); a lista vai do mais recente para o mais antigo e utilizei como marco inicial o emblemático ano de 1968 (um critério mais rigoroso me obrigaria a considerar apenas os filmes lançados a partir do final dos anos 1970, mas com isso perderíamos A Noite Dos Mortos Vivos e 2001: Uma Odisseia no Espaço, por exemplo); coloquei ao lado de cada filme quais as características pós-modernas que eu pude enxergar neles; não foi fácil nomear essas características, tenho dúvidas em relação a muitas delas, mas espero que a descrição ajude a entender do que se trata.

Passamos, finalmente, às características:

Pastiche: A imitação de estilos mortos. Quando um filme utiliza a estética de algum estilo do passado fora de seu contexto, muitas vezes simulando ser um filme daquele período. Em Planeta Terror, por exemplo, Robert Rodriguez utiliza um filtro que simula a película de um filme trash dos anos 1980.

Niilismo: Uma das teses mais marcantes do pós-modernismo foi a do “fim da história”, de Fukuyama. A falência das grandes utopias, a crise das metanarrativas e do marxismo levou à percepção de que não há nada a se esperar do futuro, exceto a repetição de padrões do passado ou a barbárie (daí a popularização das ficções científicas distópicas). Portanto, a vida perde o sentido. O pós-modernismo nega também possibilidade de se estabelecer qualquer sentido abstrato para toda a humanidade (ou mesmo para uma classe), reduzindo tudo ao particular, ao contingente, ao fugidio. Dessa forma, não há qualquer propósito na existência da humanidade.

Morte do Sujeito”: O pós-modernismo desconstrói a noção de indivíduo, de “eu” abstrato ou qualquer definição que dê identidade aos membros de uma coletividade. A história é uma sequência aleatória de fatos, não há um “sujeito” que “age”. Desse modo, resta perguntar-se: “Quem sou eu? O que me define? Com o que me identifico?” Frequentemente isso se traduz na paranoia da despersonalização: transtorno em que o indivíduo se sente apartado de sua própria pessoa, como se não tivesse controle sobre si mesmo, como se os arredores ou ele próprio não fossem reais, ou como se perdesse sua consciência e personalidade próprias (como num filme de zumbi).

Confusão no espaço-tempo: A televisão a cores e a internet deformaram a nossa percepção do espaço-tempo. O que é distante pode parecer próximo, o que é antigo pode parecer recente. Há uma profusão enorme de informações desconexas que nos levam a uma percepção fragmentada e confusa da realidade. As coisas parecem fora de seu contexto histórico e geográfico, como se tudo acontecesse no aqui e agora (presentificação).

Hiper-realidade: A pós-modernidade é a era da indústria cultural, da televisão, das propagandas, da internet, dos jogos de videogame cada vez mais realistas, do “espetáculo”, numa palavra, da primazia das imagens. As imagens tornam-se relevantes a tal ponto que parecem sobrepor os objetos reais – do fetichismo da mercadoria, isto é, da autonomia ilusória das coisas, passamos ao fetichismo da imagem, ou seja, a autonomia ilusória das imagens. A estética se sobrepõe ao conteúdo. Isso posto, fica a dúvida: “O que é real?” E se na verdade estivermos vivendo em um universo paralelo, ilusório, como em Matrix?

Metalinguagem: A primazia da estética e da forma desperta interesse renovado nesse tipo de linguagem. Além disso, se todo o sentido da existência é questionado, se não existem verdades abstratas, cabe a um filme questionar a sua própria existência enquanto filme.

Razão Neoliberal: Pierre Dardot e Christian Laval, em A Nova Razão do Mundo, concebem o neoliberalismo não apenas como regime político-econômico mas como uma mentalidade que projeta a lógica de mercado, isto é, de concorrência individual, para o conjunto das relações sociais e práticas culturais.

Neoliberalismo: Nesta palavra-chave me refiro mais especificamente ao regime político-econômico do capitalismo contemporâneo e as consequências sociais dele, como aumento da desigualdade, violência, pobreza, consumismo, destruição do meio ambiente, etc.

Desumanização: O niilismo, a “razão neoliberal” e o desmonte do tecido social causado pelo neoliberalismo dariam origem a indivíduos apáticos, sem perspectivas, psicopatas, incapazes de sentir empatia ou afetos positivos.

Mais humanos que humanos: Junte o que foi dito no tópico anterior (desumanização) às avançadas tecnologias de computação e inteligência artificial e temos a hipótese de que os robôs poderão nos suplantar em tudo aquilo que é caracteristicamente humano: seja o raciocínio complexo e abstrato (novamente, como em Matrix) ou mesmo a capacidade de ter afeto e empatia (como em A.I.: Inteligência Artificial).

Neofascismo: Como seriam (ou como são) os regimes totalitários numa era em que as técnicas de espionagem e informação estão tão desenvolvidas? Além disso, a figura de autoridade agora não é mais o Estado corporativista, mas as grandes corporações capitalistas, o mercado.

1. Pantera Negra (2018) [https://www.imdb.com/title/tt1825683/?], de Ryan Coogler. Neofascismo, Neoliberalismo.

2. Star Wars: Os últimos Jedi (2017) [https://www.imdb.com/title/tt2527336/], de Rian Johnson. Pastiche, Neofascismo, Neoliberalismo.

3. No Intenso Agora (2017) [https://www.imdb.com/title/tt6532954/], de João Moreira Salles. Neoliberalismo

4. A Chegada (2016) [https://www.imdb.com/title/tt2543164/], Denis Villeneuve. Confusão no Espaço-Tempo, Hiper-Realidade.

5. Demônio de Neon (2016) [https://www.imdb.com/title/tt1974419/], Nicolas Winding Refn. Desumanização, Metalinguagem, Hiper-realidade (fetichismo das imagens).

6. Eu, Daniel Blake (2016) [https://www.imdb.com/title/tt5168192/], de Ken Loach. Neoliberalismo.

7. O Lagosta (2015) [https://www.imdb.com/title/tt3464902/], de Yorgos Lanthimos. Niilismo, Desumanização, Razão Neoliberal.

8. A Grande Aposta (2015) [https://www.imdb.com/title/tt1596363/], de Adam Mckay. Neoliberalismo

9. Mad Max – Estrada da Fúria (2015) [https://www.imdb.com/title/tt1392190/], de George Miller. Niilismo, Neofascismo.

10. Ex Machina (2014) [https://www.imdb.com/title/tt0470752/], de Alex Garland. Morte do Sujeito, Hiper-realidade, Neofascismo, Mais humanos do que humanos.

11. O Olmo e a Gaivota (2014) [https://www.imdb.com/title/tt4160256/], de Petra Costa e Lea Glob. Metalinguagem

12. Interestelar (2014) [https://www.imdb.com/title/tt0816692/], de Christopher Nolan. Confusão no Espaço-Tempo.

13. Vício Inerente (2014) [https://www.imdb.com/title/tt1791528/], de Paul Thomas Anderson. Pastiche, Confusão no Espaço-Tempo, Hiper-realidade.

14. O Abutre (2014) [https://www.imdb.com/title/tt2872718/], de Dan Gilroy. Desumanização, Hiper-realidade.

15. Birdman (2014) [https://www.imdb.com/title/tt2562232/], de Alejandro González Iñárritu. Pastiche, Morte do Sujeito, Metalinguagem.

16. Leviatã (2014) [https://www.imdb.com/title/tt2802154/], de Andrey Zvyagintsev. Neofascismo, Neoliberalismo.

17. Ela (2013) [https://www.imdb.com/title/tt1798709/], de Spike Jonze. Morte do Sujeito, Desumanização, Mais humanos do que humanos.

18. Nebraska (2013) [https://www.imdb.com/title/tt1821549/], de Alexander Payne. Niilismo, Razão Neoliberal.

19. Django Livre (2012) [https://www.imdb.com/title/tt1853728/], de Quentin Tarantino. Pastiche.

20. Holy Motors (2012) [https://www.imdb.com/title/tt2076220/], de Leos Carax. Pastiche, Morte do Sujeito, Confusão no Espaço-Tempo, Metalinguagem, Hiper-realidade.

21. Shame (2011) [https://www.imdb.com/title/tt1723811/], de Steve McQueen. Niilismo, Desumanização.

22. A Pele Que Habito (2011) [https://www.imdb.com/title/tt1189073/], de Pedro Almodóvar. Morte do Sujeito.

23. Melancolia (2011) [https://www.imdb.com/title/tt1527186/], de Lars Von Trier. Niilismo, Morte do Sujeito, Desumanização.

24. A Origem (2010) [https://www.imdb.com/title/tt1375666/], de Christopher Nolan. Morte do Sujeito, Confusão no Espaço-Tempo, Hiper-realidade, Razão Neoliberal.

25. Ilha do Medo (2010) [https://www.imdb.com/title/tt1130884/], de Martin Scorsese. Niilismo, Morte do Sujeito, Hiper-realidade.

26. Avatar (2009) [https://www.imdb.com/title/tt0499549/], de James Cameron. Morte do Sujeito, Confusão no Espaço-Tempo, Hiper-realidade, Mais Humanos do que os Humanos.

27. Distrito 9 (2009) [https://www.imdb.com/title/tt1136608/], de Neil Blomkamp. Morte do Sujeito, Neoliberalismo, Neofascismo.

28. Lunar (2009) [https://www.imdb.com/title/tt1182345/], de Duncan Jones. Niilismo, Morte do Sujeito, Desumanização, Confusão no Espaço-Tempo, Mais Humanos do que Humanos.

29. Mary e Max (2009) [https://www.imdb.com/title/tt0978762/], de Adam Elliot. Niilismo, Desumanização.

30. Bastardos Inglórios (2009) [https://www.imdb.com/title/tt0361748/], de Quentin Tarantino. Pastiche, Confusão no Espaço-Tempo.

31. Wall-E (2008) [https://www.imdb.com/title/tt0910970/], de Andrew Stanton. Neoliberalismo, Desumanização, Mais Humanos do que Humanos.

32. Ensaio Sobre a Cegueira (2008) [https://www.imdb.com/title/tt0861689/], de Fernando Meirelles. Desumanização, Razão Neoliberal, Neoliberalismo.

33. Tropa de Elite I [https://www.imdb.com/title/tt0861739/] e II [https://www.imdb.com/title/tt1555149/] (2007-2010), de Alexandre Padilha. Neofascismo, Neoliberalismo.

34. Onde os Fracos Não Têm Vez (2007) [https://www.imdb.com/title/tt0477348/], De Joel Coen e Ethan Coen. Desumanização, Razão Neoliberal, Neoliberalismo.

35. Planeta Terror (2007) [https://www.imdb.com/title/tt1077258/], de Robert Rodriguez. Pastiche.

36. O Cheiro do Ralo (2006) [https://www.imdb.com/title/tt0489458/], de Heitor Dhalia. Niilismo, Desumanização, Razão Neoliberal.

37. Os Infiltrados (2006) [https://www.imdb.com/title/tt0407887/], de Martin Scorsese. Morte do Sujeito, Hiper-realidade.

38. Babel (2006) [https://www.imdb.com/title/tt0449467/], de Alejandro González Iñárritu. Desumanização, Neoliberalismo.

39. V de Vingança (2005) [https://www.imdb.com/title/tt0449467/], de James McTeigue. Neofascismo.

40. Quanto Vale Ou É Por Quilo? (2005) [https://www.imdb.com/title/tt0458074/], de Sérgio Bianchi. Neoliberalismo.

41. Sin City (2005) [https://www.imdb.com/title/tt0401792/], de Robert Rodriguez. Pastiche, Niilismo, Desumanização, Neoliberalismo.

42. Entreatos (2004) [https://www.imdb.com/title/tt0430059/], de João Moreira Salles. Neoliberalismo.

43. Team America (2004) [https://www.imdb.com/title/tt0372588/], de Trey Parker. Pastiche, Neofascismo, Metalinguagem.

44. Fahrenheit 9/11 (2004) [https://www.imdb.com/title/tt8632862/], de Michael Moore. Neofascismo.

45. Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças (2004) [https://www.imdb.com/title/tt0338013/], de Michael Gondry. Morte do Sujeito, Confusão no Espaço-Tempo, Hiper-realidade.

46. Jogos Mortais (2004) [https://www.imdb.com/title/tt3348730/], de James Wan. Niilismo, Desumanização.

47. Kill Bill I [https://www.imdb.com/title/tt0266697/] e II [https://www.imdb.com/title/tt0378194/] (2003-2004), de Quentin Tarantino. Pastiche, Confusão no Espaço-Tempo.

48. Oldboy (2003) [https://www.imdb.com/title/tt0364569/], de Park Chan-Wook. Morte do Sujeito, Hiper-realidade.

49. Corporation (2003) [https://www.imdb.com/title/tt0379225/], de Mark Achbar. Neoliberalismo.

50. A.I. Inteligência Artificial (2001) [https://www.imdb.com/title/tt0212720/], de Steven Spielberg. Desumanização, Mais Humanos do que Humanos.

51. Cidade dos Sonhos (2001) [https://www.imdb.com/title/tt0166924/], de David Lynch. Morte do Sujeito, Confusão no Espaço-Tempo, Hiper-realidade.

52. Donnie Darko (2001) [https://www.imdb.com/title/tt0246578/], de Richard Kelly. Niilismo, Desumanização, Confusão no Espaço-Tempo.

53. Amnésia (2000) [https://www.imdb.com/title/tt0209144/], de Christopher Nolan. Niilismo, Morte do Sujeito, Confusão no Espaço-Tempo.

54. Réquiem Para Um Sonho (2000) [https://www.imdb.com/title/tt0180093/], de Darren Aronofsky. Niilismo, Morte do Sujeito, Desumanização, Hiper-realidade.

55. Psicopata Americano (2000) [https://www.imdb.com/title/tt0144084/], de Mary Harron. Morte do Sujeito, Desumanização, Hiper-realidade, Razão Neoliberal.

56. Magnólia (1999) [https://www.imdb.com/title/tt0175880/], de Paul Thomas Anderson. Niilismo, Desumanização, Confusão no Espaço-Tempo.

57. Clube da Luta (1999) [https://www.imdb.com/title/tt0137523/], de David Fincher. Niilismo, Morte do Sujeito, Desumanização, Hiper-realidade, Razão Neoliberal, Neoliberalismo, Neofascismo.

58. Beleza Americana (1999) [https://www.imdb.com/title/tt0169547/], de Sam Mendes. Niilismo, Desumanização, Hiper-realidade, Razão Neoliberal.

59. Quero Ser John Malkovich (1999) [https://www.imdb.com/title/tt0120601/], de Spike Jonze. Morte do Sujeito, Desumanização, Metalinguagem, Hiper-realidade, Razão Neoliberal.

60. Matrix (1999) [https://www.imdb.com/title/tt0133093/], de Lana e Lilly Wachowski. Niilismo, Morte do Sujeito, Desumanização, Hiper-realidade, Neofascismo, Mais Humanos do que os Humanos.

61. eXistenZ (1999) [https://www.imdb.com/title/tt0120907/], de David Cronenberg. Morte do Sujeito, Hiper-realidade, Razão Neoliberal.

62. O Show de Truman (1998) [https://www.imdb.com/title/tt0120382/], de Peter Weir. Hiper-realidade, Morte do Sujeito.

63. Corra, Lola, Corra (1998) [https://www.imdb.com/title/tt0130827/], de Tom Tykwer. Confusão no Espaço-Tempo, Razão Neoliberal.

64. Medo e Delírio em Las Vegas (1998) [https://www.imdb.com/title/tt0120669/], de Terry Gilliam. Niilismo, Morte do Sujeito, Hiper-realidade.

65. Boogie Nights (1997) [https://www.imdb.com/title/tt0118749/], de Paul Thomas Anderson. Desumanização, Razão Neoliberal, Hiper-realidade.

66. Pânico (1996) [https://www.imdb.com/title/tt0117571/], de Wes Craven. Pastiche

67. Trainspotting (1996) [https://www.imdb.com/title/tt0117951/], de Danny Boyle. Niilismo, Desumanização, Confusão no Espaço-Tempo, Hiper-realidade.

68. Doze Macacos (1995) [https://www.imdb.com/title/tt0114746/], de Terry Gilliam. Niilismo, Confusão no Espaço-Tempo, Hiper-realidade, Neofascismo.

69. Ghost in the Shell (1995) [https://www.imdb.com/title/tt0113568/], de Mamoru Oshii. Morte do Sujeito, Hiper-realidade, Mais Humanos do que Humanos.

70. Se7en (1995) [https://www.imdb.com/title/tt0114369/], de David Fincher. Niilismo, Desumanização.

71. Assassinos por Natureza (1994) [https://www.imdb.com/title/tt0110632/], de Oliver Stone. Desumanização, Hiper-realidade, Neofascismo.

72. Pulp Fiction (1994) [https://www.imdb.com/title/tt0110912/], de Quentin Tarantino. Pastiche, Niilismo, Confusão no Espaço-Tempo.

73. Feitiço do Tempo (1993) [https://www.imdb.com/title/tt0107048/], de Harold Ramis. Niilismo, Confusão no Espaço-Tempo.

74. Drácula de Bram Stoker (1992) [https://www.imdb.com/title/tt0103874/], de Francis Ford Coppola. Pastiche, Confusão no Espaço-Tempo.

75. Mistérios e Paixões (1991) [https://www.imdb.com/title/tt0102511/], de David Cronenberg. Morte do Sujeito, Confusão no Espaço-Tempo, Metalinguagem, Hiper-realidade.

76. O Vingador do Futuro (1990) [https://www.imdb.com/title/tt0100802/], de Paul Verhoeven. Niilismo, Morte do Sujeito, Confusão no Espaço-Tempo, Hiper-realidade, Neofascismo, Neoliberalismo.

77. Robocop (1987) [https://www.imdb.com/title/tt0093870/], Paul Verhoeven. Morte do Sujeito, Mais Humanos do que Humanos, Neofascismo, Neoliberalismo.

78. A Mosca (1986) [https://www.imdb.com/title/tt0091064/], de David Cronenberg. Morte do Sujeito.

79. Veludo Azul (1986) [https://www.imdb.com/title/tt0090756/], de David Lynch. Pastiche, Confusão no Espaço-Tempo, Hiper-realidade.

80. Dia dos Mortos (1985) [https://www.imdb.com/title/tt0088993/], de George Romero. Niilismo, Morte do Sujeito, Neofascismo, Desumanização, Mais Humanos do que Humanos.

81. De Volta Para O Futuro I [https://www.imdb.com/title/tt0088763/], II [https://www.imdb.com/title/tt0096874/] e III [https://www.imdb.com/title/tt0099088/] (1985-1990), de Robert Zemeckis. Pastiche, Confusão no Espaço-Tempo.

82. Brazil (1985) [https://www.imdb.com/title/tt0088846/], de Terry Gilliam. Niilismo, Morte do Sujeito, Hiper-realidade, Neofascismo.

83. 1984 (1984) [https://www.imdb.com/title/tt0087803/], de Michael Radford. Niilismo, Neofascismo, Hiper-realidade (fetichismo das imagens).

84. Isso É Spinal Tap (1984) [https://www.imdb.com/title/tt0088258/], de Rob Reiner. Pastiche, Metalinguagem, Hiper-realidade.

85. Videodrome (1983) [https://www.imdb.com/title/tt0086541/], de David Cronenberg. Desumanização, Metalinguagem, Hiper-realidade, Neofascismo.

86. The Thing – O Enigma do Outro Mundo (1982) [https://www.imdb.com/title/tt0084787/], de John Carpenter. Morte do Sujeito, Razão Neoliberal.

87. Blade Runner (1982) [https://www.imdb.com/title/tt0083658/], de Ridley Scott. Pastiche, Niilismo, Morte do Sujeito, Desumanização, Mais Humanos do que Humanos, Neofascismo.

88. Pink Floyd: The Wall (1982) [https://www.imdb.com/title/tt0084503/], de Alan Parker. Niilismo, Desumanização, Hiper-realidade, Neofascismo, Razão Neoliberal.

89. Mad Max 2 (1981) [https://www.imdb.com/title/tt0082694/], de George Miller. Niilismo, Neofascismo, Razão Neoliberal.

90. Despertar dos Mortos (1978) [https://www.imdb.com/title/tt0077402/], de George Romero. Niilismo, Morte do Sujeito, Desumanização, Neoliberalismo, Razão Neoliberal.

91. Star Wars IV [https://www.imdb.com/title/tt0076759/], V [https://www.imdb.com/title/tt0080684/] e VI [https://www.imdb.com/title/tt0086190/] (1977-1983), de George Lucas. Pastiche.

92. Rede de Intrigas (1976) [https://www.imdb.com/title/tt0074958/], Sidney Lumet. Desumanização, Hiper-realidade, Metalinguagem, Neoliberalismo, Razão Neoliberal.

93. Taxi Driver (1976) [https://www.imdb.com/title/tt0075314/], de Martin Scorsese. Niilismo, Desumanização, Neofascismo.

94. The Rocky Horror Picture Show (1975) [https://www.imdb.com/title/tt0073629/], de Jim Sharman. Pastiche.

95. O Fantasma do Paraíso (1974) [https://www.imdb.com/title/tt0071994/], de Brian de Palma. Pastiche, Morte do Sujeito, Metalinguagem, Hiper-realidade.

96. Chinatown (1974) [https://www.imdb.com/title/tt0071315/], de Roman Polanski. Pastiche.

97. Laranja Mecânica (1971) [https://www.imdb.com/title/tt0066921/], de Stanley Kubrick. Niilismo, Morte do Sujeito, Desumanização, Hiper-realidade, Neofascismo.

98. A Noite Dos Desesperados (1969) [https://www.imdb.com/title/tt0065088/], de Sydney Pollack. Niilismo, Desumanização, Hiper-realidade, Neoliberalismo, Razão Neoliberal.

99. A Noite Dos Mortos Vivos (1968) [https://www.imdb.com/title/tt0063350/], de George Romero. Niilismo, A Morte Do Sujeito, Desumanização, Neofascismo, Neoliberalismo, Razão Neoliberal.

100. 2001: Uma Odisseia No Espaço (1968) [https://www.imdb.com/title/tt0062622/], de Stanley Kubrick. Confusão no Espaço-Tempo, Mais Humanos do que Humanos.

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

Publicamos a décima edição de nossa Revista Movimento. Dessa vez, celebramos os 80 anos de fundação da IV Internacional, comemorados em setembro de 2018, com uma seção especial. Há, também, artigos na seção internacional e de teoria. Fechamos esta edição quando a eleição brasileira se encerrava. Como não poderia deixar de ser, nesta décima edição de Movimento, apresentamos nossas primeiras análises sobre os resultados eleitorais. Sabemos que a vitória de Jair Bolsonaro trará graves ataques à classe trabalhadora e ao povo brasileiro. Estaremos com nosso povo, lutando em defesa das liberdades democráticas e de nossos direitos. Mais uma vez, esperamos que a revista seja uma ferramenta útil de construção e formação para nossos camaradas. Boa leitura!

Solzinho

Uma biografia inédita de Stalin escrita por Leon Trotsky Uma biografia inédita de Stalin escrita por Leon Trotsky

Leon Trotsky Joseph Stalin

MES: Movimento Esquerda Socialista MES: Movimento Esquerda Socialista