Revista Movimento Movimento Movimento: crítica, teoria e ação

O que falta na República?

Sobre as insuficiências ainda presentes no modo de governo que substituiu a monarquia no Brasil há 129 anos.

Proclamação da República", 1893, Benedito Calixto
Proclamação da República", 1893, Benedito Calixto

O Brasil substituiu a Monarquia pela República na noite de 15 de novembro de 1889. Não foi um movimento popular e sim uma articulação de alguns líderes do Exército, mas havia muitos descontentes com o Império, já em declínio. Essa falta de povo foi suprida em 1993, quando, em um plebiscito nacional, 44.266.608 brasileiro(a)s definiram que este seria o nosso sistema de governo (apenas 6.843.19, cerca de 10% dos que compareceram às urnas, votaram na Monarquia).

Esse ‘governo do povo, para o povo e pelo povo’, porém, ao longo da história brasileira, teve muitas faces: oligárquica e coronelista, na República Velha (até 1930), modernizadora e autoritária (na Era Vargas, até 1945), liberal-democrática (até 1964), ditatorial (do golpe de 1º de abril daquele ano até 1985) e esta etapa atual, que tem como marco jurídico mais importante a avançada e nem sempre cumprida Constituição Cidadã, promulgada em 1988.

Uma boa maneira de celebrar a Proclamação da República é lançar um olhar sobre as suas deficiências, trazendo questões que nos coloquem em movimento.

Na busca do melhor ideal de República, cabe perguntar: 1) como anda a participação popular na vida pública?; 2) como eliminar a influência do poder econômico nas eleições?; 3) qual o zelo para com o dinheiro público?; 4) existe igualdade de oportunidades para todos?; 5) a transparência na gestão é praticada?; 6) tem sido respeitada a diversidade de culturas, hábitos, etnias e orientações das pessoas?

A superação dessas insuficiências não é só tarefa das ‘autoridades’, mas desse que dá legitimidade ao regime: Sua Excelência, o Povo. A ele, com luta e consciência, cabe ‘republicanizar a República’.

Texto originalmente publicado em: http://odia.ig.com.br/ noticia/opiniao/2014-11-15/ chico-alencar-o-que-falta-n a-republica.html

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

Publicamos a décima edição de nossa Revista Movimento. Dessa vez, celebramos os 80 anos de fundação da IV Internacional, comemorados em setembro de 2018, com uma seção especial. Há, também, artigos na seção internacional e de teoria. Fechamos esta edição quando a eleição brasileira se encerrava. Como não poderia deixar de ser, nesta décima edição de Movimento, apresentamos nossas primeiras análises sobre os resultados eleitorais. Sabemos que a vitória de Jair Bolsonaro trará graves ataques à classe trabalhadora e ao povo brasileiro. Estaremos com nosso povo, lutando em defesa das liberdades democráticas e de nossos direitos. Mais uma vez, esperamos que a revista seja uma ferramenta útil de construção e formação para nossos camaradas. Boa leitura!

Solzinho

Uma biografia inédita de Stalin escrita por Leon Trotsky Uma biografia inédita de Stalin escrita por Leon Trotsky

Leon Trotsky Joseph Stalin

MES: Movimento Esquerda Socialista MES: Movimento Esquerda Socialista