Revista Movimento Movimento Movimento: crítica, teoria e ação

Solidariedade, atitude e respostas pelos atingidos em Brumadinho

O coletivo Juntos! se solidariza com a comunidade de Brumadinho (MG) e respostas da Vale e dos governos.

Mais uma tragédia anunciada, mais um crime ambiental assola o povo de Minas. Dessa vez na região metropolitana de Belo Horizonte, colocando em risco a vida e o abastecimento hídrico de milhares de pessoas. Ainda é muito cedo para divulgar o número de mortos e efeitos do rompimento da barragem, porém é evidente que os danos ambientais e sociais são imensos.

A barragem estava na Mina do Córrego do Feijão, uma unidade de empresas da Vale, no alto da serra. O rompimento atingiu casas, sítios, linha férrea e chegou no Rio Paraopeba – um dos principais Rios da região que abastece a represa de Rio Manso -, sendo ele um dos 3 principais reservatórios de água que abastece toda a região metropolitana e afluente do Rio São Francisco.

A flexibilização do licenciamento ambiental do governo Pimentel, feito em 2015, fez com que empreendimentos de grande impacto ambiental fossem aprovados a toque de caixa, reduzindo a participação popular dos processos de licenciamento. Tal política de flexibilização permanecerá no governo Zema (NOVO), com indicativos de ser cada vez mais irresponsável, tornando ainda mais frágeis a situação ambiental do estado. O rompimento dessa barragem é a prova de que o setor privado de mineração não é capaz de administrar o processo de extração mineral no estado, e demonstram a intenção desses em sobrepor o lucro das mineradoras sobre a vida, bem estar social e ambiental.

O coletivo Juntos! se solidariza com a comunidade atingida, os bombeiros e todos os profissionais de resgate que estão trabalhando intensamente no caso. Exigimos respostas da Vale do Rio Doce e uma posição do governador Romeu Zema, pois há menos quatro anos, o desastre em Mariana gerou revolta com a irresponsabilidade dessa empresa, tornando imensurável nossa indignação! Um novo desastre é a confirmação das ações criminosas que a Vale carrega na sua estrutura e na sua relação com o governo.

Acionaremos nossa rede de apoiadores para ajudar as vítimas.

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

Neste mês de março, preparamos uma nova edição da Revista Movimento, dedicada especialmente para a reflexão e elaboração política sobre a luta das mulheres. Selecionamos um conjunto de materiais - artigos teóricos, textos políticos, documentos e uma especial entrevista - com o intuito de aprofundar o esforço consciente demonstrado por nossa organização nos últimos anos em avançar na compreensão sobre o tipo de feminismo que defendemos, bem como sobre o papel essencial e a importância estratégica que a luta feminista tem para a construção de um projeto anticapitalista. Um desafio exigido pela atual conjuntura, marcada pela ascensão de governos de extrema-direita no mundo, na qual o movimento feminista tem se apresentado como contraponto e trincheira de resistência fundamental. Por isso, esta edição pretende, antes de mais nada, auxiliar e fortalecer nossas intervenções feministas nesse momento, a começar por duas datas muito significativas que inauguram este mês: o 8 e o 14 de março, dia em que se completará um ano do brutal assassinato de nossa companheira Marielle Franco. Esperamos que seja proveitoso e sirva como instrumento para as nossas batalhas. Boa leitura!

Solzinho

MES: Movimento Esquerda Socialista MES: Movimento Esquerda Socialista