Por que ingressamos no MES/PSOL?

Por que ingressamos no MES/PSOL?

Carta de adesão ao MES/PSOL de militantes da região do ABC (São Paulo).

Viemos de diferentes caminhos, histórias e nos encontramos nas lutas pelos nossos direitos. Agora, decidimos dar um passo conjunto de ousadia e unidade política dos debaixo.

Vivemos tempos duros. A eleição de Bolsonaro colocou na presidência uma articulação empresarial, militar e ultraconservadora, que tratora direitos sociais, trabalhistas, ataca os espaços democráticos da classe trabalhadora e aumenta a violência. Cresce o desemprego e os subempregos, aumenta a concentração de capital, os monopólios e os salários caem para taxas de lucro dos grandes empresários se manterem.

Para enfrentar esse cenário trilhamos agora um caminho conjunto com os companheiros e companheiras do Movimento Esquerda Socialista (MES-PSOL).

Porém, mais do que resistir, queremos semear uma alternativa para o futuro do Brasil e do ABC. Para isso, precisamos acertar as contas com o passado recente e construir um projeto que supere as limitações do programa dos governos petistas. Não há mais espaço para negociação com nossos exploradores, é tempo de defender um projeto radical, democrático e socialista. É tempo de fortalecer nosso partido como alternativa política a esse sistema falido. Esse projeto deve ser construído pelos(as) protagonistas da nossa história: pelas mulheres, negros e negras, trabalhadores e trabalhadoras, juventude, LGBTs, ativistas ambientais e outros.

Passa, também, por enfrentar nas ruas o projeto tucano de privatização, desmonte do patrimônio público, desindustrialização e perdas de empregos da nossa região.

É por essas razões que entramos no MES, sabendo das dificuldades do presente, das nossas trajetórias distintas e até mesmo de divergências do passado, mas com o otimismo da vontade pela construção do socialismo.

Beatriz Alves Ensinas – São Caetano do Sul

Beatriz Carvalho da Silva – Santo André

Bruna Chamas Biondi – São Caetano do Sul

Camilo de Araújo Sousa – São Caetano do Sul

Gabriela Cristina Cavalcante – São Caetano do Sul

Matheus Garcia Boniolo – Santo André

Paulo Sérgio de Araújo Pereira – São Caetano do Sul

Pedro Henrique Teruji Jerônimo Minamidani – São Caetano do Sul

Pedro Mendonça Castelo Branco – São Caetano do Sul

Sandro Vinícius Ortega Nicodemo – Santo André


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
Na 16ª edição, estão disponíveis dois dossiês. No primeiro, sobre o ecossocialismo, podem-se se encontrar as recentes teses de Michael Löwy, além de uma entrevista com o sociólogo e dirigente da IV Internacional. Também publicamos uma entrevista com Zé Rainha, dirigente da FNL, sobre sua trajetória de luta e os desafios dos socialistas no Brasil; uma entrevista com Antônia Cariongo, dirigente quilombola e do PSOL-MA; e artigos de Luiz Fernando Santos, sobre a lógica marxista e a Amazônia, e de Marcela Durante, do Setorial Ecossocialista do PSOL. O segundo dossiê traz algumas análises iniciais sobre a pandemia de coronavírus. Há artigos de Mike Davis e Daniel Tanuro; documentos do MES e do Bureau da IV Internacional; além de uma densa análise de nossas companheiras Evelin Minowa, Joyce Martins, Luana Alves, Natália Peccin Gonçalves, Natalia Pennachioni e Vanessa Couto e de um artigo do camarada Bruno Magalhães. A seção de depoimentos traz um instigante artigo de Pedro Fuentes sobre a história de seu irmão Luis Pujals, o primeiro desaparecido político da história da Argentina. Já a seção internacional traz uma análise do sociólogo William I. Robinson sobre a situação latino-americana.