Iniciada auditoria do contrato de concessão da Arena das Dunas
Foto: Guilherme Prado

Iniciada auditoria do contrato de concessão da Arena das Dunas

Grupo de Trabalho foi com o deputado Sandro Pimentel.

Mariana Reis 21 maio 2019, 14:49

O deputado estadual Sandro Pimentel (PSOL), o Controlador-Geral do RN Pedro Lopes e a Auditora-Geral Débora Cristiane Barreto de Souza estiveram reunidos nessa sexta-feira (17), na sede da Controladoria Geral do Estado (CONTROL), para a instalação de auditoria do contrato de concessão da Arena das Dunas. Esse primeiro encontro serviu para afinar alguns detalhes de como o processo acontecerá e também para que a CONTROL apresentasse suas primeiras impressões, mesmo que ainda superficiais, sobre os documentos. 

Um Grupo de Trabalho (GT) foi formado e será o responsável pela condução dos trabalhos da Auditoria. Até semana que vem, o Poder Executivo publicará uma portaria para oficializá-lo. Participarão desse GT representantes da CONTROL, do mandato de Sandro Pimentel – requerente da Auditoria e que representará a Assembleia Legislativa do RN – e um convite também será feito para que o Tribunal de Contas do Estado (TCE) se incorpore aos trabalhos. 

Alguns dos pontos já ressaltados pelo Controlador-Geral como passíveis de averiguação dizem respeito aos pagamentos feitos a empresa OAS Arenas, responsável pela administração do estádio. Atualmente, o valor mensal pago pelo governo do estado é composto por uma parcela fixa de 85% e uma variável de 15%, mas não há clareza sobre a base de cálculo utilizada para essa segunda porcentagem.

Além do mais, existe um dispositivo no contrato que prevê a partilha do lucro obtido com a realização de eventos. Porém, cabe a Arena das Dunas informar quanto seria esse lucro e esses valores deveriam ser descontados do total pago pelo estado. Contudo, nos últimos dois anos, não foi verificada nenhuma alteração nos pagamentos mensais e o governo não soube precisar quanto já foi “devolvido” ao estado como fruto da concessão compartilhada entre a inciativa privada e o poder público.   

A previsão é de que os trabalhos sejam concluídos em 90 dias, com possibilidade de ampliação do prazo caso os membros do GT julguem necessário. A próxima reunião, que marcará o início efetivo do processo de Auditoria, está marcada para a próxima quinta-feira (23).​


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
A décima terceira edição da Revista Movimento dedica-se ao debate sobre os desafios da esquerda socialista no Brasil diante da crise nacional que se desenrola há anos e do governo Bolsonaro. Para tanto, foram convidados dirigentes do PSOL, do MES e de outras organizações revolucionárias que atuam no partido. O dossiê sobre a estratégia da esquerda e o PSOL reflete os desafios da organização de um polo socialista no interior do partido. Há também, na seção nacional, reflexões sobre a crise econômica brasileira, as revelações de The Intercept e as lutas da juventude e da negritude. As efemérides do centenário da escola Bauhaus e do cinquentenário do levante de Stonewall também aparecem no volume, além da tese das mulheres do MES para o Encontro de Mulheres do PSOL.