Deputada Luciana Genro protocola PEC para extinção da Justiça Militar do RS

Deputada Luciana Genro protocola PEC para extinção da Justiça Militar do RS

PEC prevê a extinção da Justiça Militar no Rio Grande do Sul.

Equipe Luciana Genro 7 jun 2019, 15:01

A deputada estadual Luciana Genro (PSOL) protocolou na quinta-feira (30/05) a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 278/2019 que extingue a Justiça Militar do Rio Grande do Sul, incluindo o Tribunal Militar e os Conselhos de Justiça Militar. Para protocolar uma PEC são necessárias 19 assinaturas. Neste caso, foram 20 parlamentares signatários, incluindo a deputada Luciana Genro.

A proposta é a reapresentação da PEC nº 248/2015, do ex-deputado estadual Pedro Ruas, hoje coordenador da bancada do PSOL no Parlamento Gaúcho, e da PEC 222/2011, de autoria do ex-deputado Raul Pont, do PT.

Uma das justificativas para a extinção da Justiça Militar é de evitar que o Estado mobilize um volume significativo de recursos públicos para manter uma estrutura judiciária paralela. O custo do funcionamento da Justiça Militar por processo chega a quase R$ 30 mil, valor 12 vezes maior que a média do Tribunal de Justiça do Estado, onde o custo gira em torno de R$ 2,5 mil reais por processo. No Brasil, apenas 3 Estados mantêm essa estrutura: Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais. 

“Com os R$ 44 milhões de orçamento do Tribunal de Justiça Militar poderíamos quase dobrar os recursos para a UERGS, por exemplo.A demanda da Justiça Militar poderia ser absorvida pela Justiça Comum. Deputados de vários partidos assinaram a PEC, acredito que haja um ambiente político favorável ao debate desta medida”, disse Luciana. 

Os deputados que assinaram a proposição:

Luciana Genro (PSOL)
Luiz Fernando Mainardi (PT)
Zé Nunes (PT)
Valdeci Oliveira (PT)
Jefferson Fernandes (PT)
Edegar Pretto (PT)
Fernando Marroni (PT)
Pepe Vargas (PT)
Sofia Cavedon (PT)
Sérgio Peres (PRB)
Fran Somensi (PRB)
Sebastião Melo (MDB)
Fábio Branco (MDB)
Gabriel Souza (MDB)
Edson Brum (MDB)
Luiz Marenco (PDT)
Juliana Brizola (PDT)
Neri O Carteiro (SD)
Eric Lins (DEM)
Rodrigo Maroni (Podemos)

Artigo originalmente publicado no site de Luciana Genro.

Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
“Enquanto os efeitos sanitários e econômicos da Covid-19 seguem fazendo-se sentir, escancarando a crise global do capitalismo, as lutas na América Latina começam a apresentar importantes conquistas no enfrentamento da extrema-direita continental. Na Bolívia, após meses de enfrentamentos e mobilização popular, a contundente vitória da chapa do MAS pôs fim ao governo ilegítimo e reacionário de Jeanine Áñez. No Chile, após as multitudinárias manifestações de 2019, o plebiscito levou a uma vitória esmagadora em favor de uma nova constituição elaborada por assembleia exclusiva. Na campanha eleitoral estadunidense em curso, está em jogo a possibilidade de derrotar o trumpismo, que anima movimentos neofascistas e racistas naquele país e em todo o mundo. Ao mesmo tempo, as eleições municipais brasileiras abrem a possibilidade de construir uma alternativa nas cidades que contribua para isolar e derrotar o bolsonarismo. A décima oitava edição da Revista Movimento debruça-se sobre esses processos de mobilização nas ruas e de enfrentamento eleitoral em curso”.