XX aniversário do MES/PSOL – Seminário Internacionalista

XX aniversário do MES/PSOL – Seminário Internacionalista

Nos dias 15, 16 e 17 de novembro de 2019 o MES, realizará um ato público e mesas de debate em São Paulo.

Executiva Nacional do MES 1 ago 2019, 17:30

Crise capitalista, novas alternativas políticas e estratégia socialista

Nos dias 15, 16 e 17 de novembro de 2019, por ocasião de seu XX Aniversário, o Movimento Esquerda Socialista – MES, realizará um ato público e mesas de debate em São Paulo.

Neste espaço, o MES promoverá também um Seminário Internacionalista, com o objetivo fazer uma reflexão sobre as experiências de mudança que ocorreram nestes últimos 20 anos na América Latina e nos EUA como parte dos acontecimentos que se sucederam em todo o mundo.

O MES é uma corrente fundadora do PSOL, que, junto a outras organizações, optou por gestar um Partido independente e socialista à esquerda do PT depois de que este assinou um compromisso de co-governo com a grande burguesia brasileira.

A ofensiva imperialista no continente, sendo um fator real de desestabilização, não consegue a explicar por si só os limites e contradições dos “governos progressistas”. Um olhar crítico a partir da esquerda se impõe para tirar conclusões que ajudem a encarar os novos processos que buscam abrir um novo curso como saída à crise capitalista na região. Ao mesmo tempo, nos EUA está se desenvolvendo uma nova onda socialista que abre novas expectativas para a esquerda. Entre suas demandas, está o enfrentamento ao muro de Trump e à repressão contra os imigrantes latino-americanos.

Esta nova situação que atravessamos necessita do intercâmbio de experiências e um debate sobre os desafios que enfrenta a esquerda anticapitalista, a partir justamente das experiências recentes que deixam estes processos. E nesse sentido propomos, entre outros, abordar diferentes pontos:

→ A crise mundial sistêmica e América Latina e os EUA como parte dela.
→ O crescimento do autoritarismo e ao mesmo tempo de uma grande reação democrática contrária.
→ A aparição de uma onda de protestos e rebeliões que rejeitam os planos neoliberais a serviço das grandes corporações e bancos.
→ O papel dos trabalhadores, da juventude e do movimento feminista dentro dos mesmos.
→ O fracasso do que chamamos velhas esquerdas e as tentativas de governos de conciliação de classes que também fracassaram.
→ A aparição de novos processos políticos do qual destacamos a maré socialista dos EUA, como a nova esquerda que se constrói na América Latina.
→ A necessidade do intercâmbio de ideias e debates dos quais participamos e estamos na linha de frente nesta situação em meio da desagregação e ausência de uma alternativa internacional, cientes de que tentativas são possíveis para superar esta situação.

Propomos uma reunião de trabalho para aportar, elaborar, encontrar coincidências de políticas e de iniciativas aberto às organizações de esquerda que se propõem abordar estes temas de maneira conjunta.

O desafio é imenso, posto que é preciso deter o autoritarismo e ao mesmo tempo gestar alternativas confluentes, amplas, unitárias, com um claro programa de ruptura a partir de uma estratégia socialista e internacionalista.

15 de Novembro: Ato público com presença de delegações internacionais (16h) e Confraternização (20h)
16-17 de Novembro: Reuniões e Seminário Internacional

*COMITÊ EXECUTIVO DE MES – 09 de Julho de 2019*


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
O MES completa 20 anos. A edição n. 14-15 da Revista Movimento é dedicada por completo ao importante evento que marca duas décadas de nossa história. Apesar de jovens, podemos dizer que poucas organizações na história política da esquerda brasileira alcançaram essa marca com tamanho vigor. Longe de autoproclamação, desejamos transformar nossos êxitos em força social e militante para novos e amplos impulsos. Ainda não cumprimos uma maratona, mas nossa história sem dúvida deixou para trás a visão de curto prazo, que alguns adversários nos chegaram a prognosticar. Diante das muitas provas, vitórias e algumas derrotas, podemos celebrar e somar forças para enfrentar as tarefas imediatas: derrotar a tentação autoritária de Bolsonaro e avançar na construção de uma alternativa socialista.