Coordenadora dos povod indígenas Panamempha se solidariza com povo equatoriano

Organização dos povos indígenas do Panamá presta solidariedade ao povo equatoriano.

A Segundoadora Nacional dos Povos Indígenas do Panamá-COONAPIP, órgão representativo de todos os povos e territórios indígenas do Panamá, expressa sua total solidariedade aos povos indígenas e à nação irmã do Equador, em face da grave crise econômica, política e social que o país vive nestes momentos.

A crise que está afetando severamente a paz social do Equador afeta muito os povos indígenas equatorianos, cujos líderes e dirigentes assumiram de maneira responsável e histórica uma luta contra as medidas econômicas adotadas pelo governo do Presidente Lenin Moreno, claramente imposta por organismos internacionais que o povo equatoriano rejeita esmagadoramente porque vão contra os interesses e os valores dessa nobre nação sul-americana.

Marcelo Guerra, Presidente da COONAPIP, sustentou a necessidade de pedir à comunidade internacional e às organizações de direitos humanos que olhem atentamente para a situação dos irmãos do Equador e ajudem a levantar suas vozes para deter o confronto que hoje continua acumulando feridos, mortos e grande número de danos materiais, com consequências imprevisíveis para o futuro e a democracia deste país.

“Lamentamos os ataques violentos, a violação dos direitos humanos e a repressão injusta contra os irmãos indígenas equatorianos que estão apenas defendendo seus direitos e a estabilidade econômica e democrática de seu país, hoje comprometida pelas medidas impopulares do presidente Lenín Moreno, conhecidas como “o Paquetazo”, disse Marcelo Guerra.

Segundo o líder indígena do Panamá, a COONAPIP permanece vigilante sobre a grave crise no Equador e reitera a necessidade de a comunidade internacional se solidarizar com os povos indígenas e cessar a repressão e as mortes que atingem esta grande nação.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
Esta é uma edição especial de nossa Revista Movimento, de números 19 e 20. Nela, publicamos um dossiê que celebra os 150 anos de nascimento de Rosa Luxemburgo, vinculado à iniciativa coordenada por nossa camarada Luciana Genro: o curso da Escola Marx “150 anos de Rosa Luxemburgo: pensamento e ação”.