Ruralistas tentam agredir Juma Xipaya e Raoni Kaiapó em Altamira-Pará
Foto: Mídia Ninja

Ruralistas tentam agredir Juma Xipaya e Raoni Kaiapó em Altamira-Pará

Grupo de ruralistas invade o Seminário “Amazônia: Centro do Mundo”, na cidade de Altamira/PA, e ameaça lideranças indígenas.

Heloise Rocha 19 nov 2019, 19:46

Na manhã do dia 18 de novembro, teve início o Seminário “Amazônia: Centro do Mundo”, na cidade de Altamira/PA, tendo como objetivo discutir e buscar formas de proteção da floresta e pensar coletivamente formas de desenvolvimento sustentável para os povos da Amazônia. 

Na plenária estavam presentes ativistas de movimentos sociais em defesa da floresta, pesquisadores, ambientalistas e indígenas de diversas etnias (kaiapo, juruna, xikrins, xipayas, yanomamis, entre outros). As mulheres eram maioria no evento. 

De maneira lamentável, o evento foi invadido por ruralistas e representantes do agronegócio, alguns deles armados, acompanhados do “antropólogo dos ruralistas” Edward Luz, figura já conhecida e bastante repudiada por suas teses racistas que negam, com argumentos pseudocientíficos, os direitos originários dos povos indígenas, a exemplo do que ele tem feito na região do Baixo Tapajós, no Pará. 

O grupo de ruralistas invadiu de forma truculenta o evento a fim de tumultuar e tentaram agredir de forma covarde uma mulher indígena, grande liderança do Povo Xipaya, JUMA XIPAYA, e nosso grande líder dos povos indígenas do Brasil RAONI METUKTIRE KAIAPO. 

Esse grave atentado deve ser denunciado amplamente e repudiado pois fere a liberdade de organização democrática dos indígenas e movimentos sociais em defesa da floresta. 

Infelizmente os casos de agressões aos povos da floresta está virando algo recorrente, pois os assassinos da floresta se sentem respaldados pelo governo racista e fascista de Bolsonaro que faz discurso de ódio contra os povos originários. Mas não nos calaremos diante as ameaças do ruralistas e defensores do agronegócio. Vamos denunciar e seguir lutando em defesa da vida.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
O MES completa 20 anos. A edição n. 14-15 da Revista Movimento é dedicada por completo ao importante evento que marca duas décadas de nossa história. Apesar de jovens, podemos dizer que poucas organizações na história política da esquerda brasileira alcançaram essa marca com tamanho vigor. Longe de autoproclamação, desejamos transformar nossos êxitos em força social e militante para novos e amplos impulsos. Ainda não cumprimos uma maratona, mas nossa história sem dúvida deixou para trás a visão de curto prazo, que alguns adversários nos chegaram a prognosticar. Diante das muitas provas, vitórias e algumas derrotas, podemos celebrar e somar forças para enfrentar as tarefas imediatas: derrotar a tentação autoritária de Bolsonaro e avançar na construção de uma alternativa socialista.