Coronavírus: é hora de suspender as atividades

Coronavírus: é hora de suspender as atividades

Dirigente defende o cancelamento dos atos do dia 14 e das plenárias do congresso do PSOL.

Roberto Robaina 13 mar 2020, 15:14

O alerta está dado, e a população e os governo têm de fazer sua parte para aplacar os efeitos do coronavírus no Brasil. De minha parte, como vereador e liderança do PSOL, já trabalho para a SUSPENSÃO de eventos, manifestações e atividades que tenham aglomerações para que a propagação do vírus perca velocidade e se evite um colapso no sistema público de saúde, onde a maioria bate à porta para buscar atendimento.

Assim, estou defendendo junto ao PSOL cancelamento dos atos do dia 14 e das plenárias do congresso do partido. Também vou apresentar sugestão à Câmara Municipal para que suspenda as audiências públicas.
A saúde é luta de todos e seria irresponsável mobilizar as pessoas para colocá-las numa situação de risco deste tamanho.

Essa medida também é uma forma de ajudar os trabalhadores da saúde pública, sempre tão imprescindíveis em momentos como esse, mas tão atacados pelos governos reacionários. Deve-se exigir um cuidado especial a esses profissionais. Que tenham garantido o direito a materiais adequados ao trabalho seguro, como máscaras cirúrgicas e dos tipos N95/PFF2, além de outros tipos de equipamentos de proteção individual. 

No Brasil, temos o Sistema Único de Saúde (SUS) e seus profissionais de extrema competência em situações epidêmicas. Não faz muito, vivemos o drama do zika e percebeu-se o valor da saúde pública. Agora, com o coronavírus, tudo se encaminha para uma crise sem precedentes, em que esses trabalhadores de novo estarão na linha de frente do combate. 

É obrigação dos governantes garantir verbas e medidas que melhorem as condições de atendimento e também o máximo de proteção a esses profissionais que sempre, e agora mais, trabalham em situação de risco. Nossa mobilização agora é evitar aglomerações e ajudá-los a conter a doença.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
Na 16ª edição, estão disponíveis dois dossiês. No primeiro, sobre o ecossocialismo, podem-se se encontrar as recentes teses de Michael Löwy, além de uma entrevista com o sociólogo e dirigente da IV Internacional. Também publicamos uma entrevista com Zé Rainha, dirigente da FNL, sobre sua trajetória de luta e os desafios dos socialistas no Brasil; uma entrevista com Antônia Cariongo, dirigente quilombola e do PSOL-MA; e artigos de Luiz Fernando Santos, sobre a lógica marxista e a Amazônia, e de Marcela Durante, do Setorial Ecossocialista do PSOL. O segundo dossiê traz algumas análises iniciais sobre a pandemia de coronavírus. Há artigos de Mike Davis e Daniel Tanuro; documentos do MES e do Bureau da IV Internacional; além de uma densa análise de nossas companheiras Evelin Minowa, Joyce Martins, Luana Alves, Natália Peccin Gonçalves, Natalia Pennachioni e Vanessa Couto e de um artigo do camarada Bruno Magalhães. A seção de depoimentos traz um instigante artigo de Pedro Fuentes sobre a história de seu irmão Luis Pujals, o primeiro desaparecido político da história da Argentina. Já a seção internacional traz uma análise do sociólogo William I. Robinson sobre a situação latino-americana.