Mandato de Sâmia Bomfim recebe denúncias contra diretoria do Metrô de SP
Reprodução

Mandato de Sâmia Bomfim recebe denúncias contra diretoria do Metrô de SP

Segundo a delação, funcionários não têm acesso aos procedimentos de saúde recomendados pela OMS.

Equipe Sâmia Bomfim 23 mar 2020, 15:59

O mandato da Deputada Sâmia Bomfim recebeu algumas denúncias de que a diretoria do Metrô de SP não está garantindo que seus funcionários tenham os cuidados necessários para evitar o contágio do COVID-19 (Coronavírus).

Há relatos de que nas estações e demais postos faltam insumos básicos, como sabonete líquido, álcool em gel, papel toalha, entre outros. Além disso, a quantidade de equipamentos de proteção, como luvas e máscaras, é insuficiente para atender a todos os funcionários. Também não há lugar suficiente para dispensa de materiais contaminados.

Todos nós sabemos dos riscos e das restrições que o mundo está enfrentando por conta do Coronavírus. Diante desse contexto, é necessário que a Diretoria do Metrô de SP tome uma atitude urgente para garantir que todos seus funcionários tenham a saúde preservada. Exigimos um plano de redução de prestação de serviço, a exemplo do que foi feito em outros países.

Artigo originalmente publicado no site da deputada.

Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
“Enquanto os efeitos sanitários e econômicos da Covid-19 seguem fazendo-se sentir, escancarando a crise global do capitalismo, as lutas na América Latina começam a apresentar importantes conquistas no enfrentamento da extrema-direita continental. Na Bolívia, após meses de enfrentamentos e mobilização popular, a contundente vitória da chapa do MAS pôs fim ao governo ilegítimo e reacionário de Jeanine Áñez. No Chile, após as multitudinárias manifestações de 2019, o plebiscito levou a uma vitória esmagadora em favor de uma nova constituição elaborada por assembleia exclusiva. Na campanha eleitoral estadunidense em curso, está em jogo a possibilidade de derrotar o trumpismo, que anima movimentos neofascistas e racistas naquele país e em todo o mundo. Ao mesmo tempo, as eleições municipais brasileiras abrem a possibilidade de construir uma alternativa nas cidades que contribua para isolar e derrotar o bolsonarismo. A décima oitava edição da Revista Movimento debruça-se sobre esses processos de mobilização nas ruas e de enfrentamento eleitoral em curso”.