COVID-19 – Sâmia Bomfim defende que o Estado garanta acesso à água e sabão aos mais pobres
Reprodução

COVID-19 – Sâmia Bomfim defende que o Estado garanta acesso à água e sabão aos mais pobres

unto com a bancada do PSOL, deputada protocolou PL sobre Plano emergencial para enfrentamento Coronavírus nas favelas e comunidades.

Equipe Sâmia Bomfim 3 abr 2020, 15:11

“Infelizmente, muitos brasileiros vivem em regiões com casas e barracos amontoados e não têm condições de comprar sabonete, quem dirá máscara ou álcool gel”. A declaração da deputada Sâmia Bomfim resume a situação de milhões de brasileiros que estão vulneráveis economicamente e não têm condições de se proteger corretamente contra o COVID-19.

É por isso que Sâmia, junto com a bancada com PSOL na Câmara dos Deputados, protocolou um projeto de lei para criar um Plano emergencial para enfrentamento ao COVID-19 nas favelas e comunidades.

Clique aqui e leia o PL

Dados do Data Favela, divulgados pela Folha de S. Paulo, mostram que 72% dos moradores de favelas de todo o Brasil não conseguem manter o baixo padrão de vida que já tem se ficarem em casa, durante 1 semana, sem trabalhar. Ou seja, para essa parte da população é quase inexistente a realidade de fazer quarentena.

“O Estado tem que garantir uma assistência para essas pessoas, fornecendo materiais de proteção, cesta básica, além de uma renda básica emergencial”.

Originalmente publicado no site da deputada.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
“Enquanto os efeitos sanitários e econômicos da Covid-19 seguem fazendo-se sentir, escancarando a crise global do capitalismo, as lutas na América Latina começam a apresentar importantes conquistas no enfrentamento da extrema-direita continental. Na Bolívia, após meses de enfrentamentos e mobilização popular, a contundente vitória da chapa do MAS pôs fim ao governo ilegítimo e reacionário de Jeanine Áñez. No Chile, após as multitudinárias manifestações de 2019, o plebiscito levou a uma vitória esmagadora em favor de uma nova constituição elaborada por assembleia exclusiva. Na campanha eleitoral estadunidense em curso, está em jogo a possibilidade de derrotar o trumpismo, que anima movimentos neofascistas e racistas naquele país e em todo o mundo. Ao mesmo tempo, as eleições municipais brasileiras abrem a possibilidade de construir uma alternativa nas cidades que contribua para isolar e derrotar o bolsonarismo. A décima oitava edição da Revista Movimento debruça-se sobre esses processos de mobilização nas ruas e de enfrentamento eleitoral em curso”.