Pela saúde dos trabalhadores rodoviários
Foto: Guilherme Almeida

Pela saúde dos trabalhadores rodoviários

A categoria há dias exige equipamentos de proteção individual (EPIs) para que motoristas e cobradores possam trabalhar com segurança.

Roberto Robaina 6 abr 2020, 11:31

Transporte é um serviço essencial, certo? Mas quando se olha o tratamento que as empresas estão dando aos trabalhadores do setor é, no mínimo, revoltante. Fui chamado pelos rodoviários da Nortran para acompanhar mais uma luta da categoria. Estou seguindo as medidas de segurança e o isolamento social, ficando em casa. Mas a gravidade da situação exigiu que eu fosse ver de perto o que está se passando com os trabalhadores do transporte de Porto Alegre. Desrespeito total!

Bem cedo, nesta segunda-feira (6), um grupo grande se mobilizou nos portões da garagem para exigir o pagamento de direitos, atrasados já desde antes da pandemia. Os rodoviários reclamam da falta de pagamento de horas extras, de tíquetes de férias e da diferença de 20% nos salários. Pedem ainda o pagamento de insalubridade e isenção por 60 dias do pagamento de empréstimos consignados em razão da pandemia.

Alguém vai dizer: mas como estão aglomerados para protestar? Para eles, os riscos estão no dia a dia de trabalho. A categoria há dias exige equipamentos de proteção individual (EPIs) para que motoristas e cobradores possam trabalhar com segurança. Não têm álcool em gel e máscaras. Um horror nos tempos que vivemos.

Conversei com o secretário de Transportes e vou encaminhar oficialmente os pedidos dos rodoviários para que as providências sejam tomadas imediatamente. É a saúde dos trabalhadores rodoviários que está em jogo.

Transporte é um serviço essencial, certo? Mas quando se olha o tratamento que as empresas estão dando aos trabalhadores…

Posted by Roberto Robaina on Monday, April 6, 2020

Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
Publicamos a décima sétima edição da Revista Movimento ainda sob o impacto da pandemia da Covid-19. Em todo o mundo, as contradições acumulam-se. Este volume está dedicado à análise de várias dimensões desta verdadeira crise global e de seus desdobramentos. Com destaque, tratamos da mobilização antirracista nos Estados Unidos e no mundo, iniciada após o assassinato de George Floyd, e da situação brasileira, discutindo a crise do governo Bolsonaro e as recentes manifestações dos trabalhadores por aplicativos.