Sâmia Bomfim e Toninho Vespoli exigem convocação de profissionais de saúde aprovados em concurso
Reprodução

Sâmia Bomfim e Toninho Vespoli exigem convocação de profissionais de saúde aprovados em concurso

Deputada federal e vereador denunciaram ao Ministério Público inação da prefeitura de São Paulo.

22 abr 2020, 19:55

A deputada federal Sâmia Bomfim e o vereador de SP Toninho Vespoli protocolaram uma denúncia no Ministério Público para que a prefeitura de São Paulo faça a convocação dos profissionais de saúde aprovados em concurso público.

Saiba mais aqui.

Com a pandemia do Covid-19, o sistema de saúde da cidade de São Paulo, epicentro da doença no Brasil, está sobrecarregado. Com isso, os profissionais de saúde têm trabalhado de forma extenuante. Ao haver profissionais já devidamente aprovados em concursos públicos, competentes e aptos ao trabalho, não há motivo para sigam ocorrendo apenas contratações precárias, por exemplo, para os hospitais de campanha, quando novos funcionários públicos efetivos podem se somar ao quadro do SUS.

“Esses trabalhadores merecem nosso respeito. Não podem ficar sujeitos às jornadas tão exaustivas. Está faltando profissionais na saúde, e é fundamental que a prefeitura convoque os profissionais que já foram aprovados nos concursos”, diz Toninho Vespoli.

Sâmia acrescenta que “não há nenhum impedimento legal para fazer o chamamento dos aprovados. Portanto, já que existem profissionais aptos para assumir esses cargos vagos, a prefeitura deve agir já e evitar um colapso ainda maior no sistema público de saúde”.

Artigo originalmente publicado no site da deputada.

Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
“Enquanto os efeitos sanitários e econômicos da Covid-19 seguem fazendo-se sentir, escancarando a crise global do capitalismo, as lutas na América Latina começam a apresentar importantes conquistas no enfrentamento da extrema-direita continental. Na Bolívia, após meses de enfrentamentos e mobilização popular, a contundente vitória da chapa do MAS pôs fim ao governo ilegítimo e reacionário de Jeanine Áñez. No Chile, após as multitudinárias manifestações de 2019, o plebiscito levou a uma vitória esmagadora em favor de uma nova constituição elaborada por assembleia exclusiva. Na campanha eleitoral estadunidense em curso, está em jogo a possibilidade de derrotar o trumpismo, que anima movimentos neofascistas e racistas naquele país e em todo o mundo. Ao mesmo tempo, as eleições municipais brasileiras abrem a possibilidade de construir uma alternativa nas cidades que contribua para isolar e derrotar o bolsonarismo. A décima oitava edição da Revista Movimento debruça-se sobre esses processos de mobilização nas ruas e de enfrentamento eleitoral em curso”.