Sandro quer ações para reduzir aglomerações na Caixa Econômica

Sandro quer ações para reduzir aglomerações na Caixa Econômica

Não podemos naturalizar que as opções para o povo sejam morrer de fome ou de Covid.

Sandro Pimentel 8 maio 2020, 11:31

Por conta das longas filas e aglomerações nas agências da Caixa Econômica Federal, nosso mandato convocou os órgãos competentes para debater o tema na próxima reunião da Comissão Especial de Enfrentamento ao Coronavírus da ALRN – na quinta-feira (7), 14h.

Entendemos que as filas são frutos da necessidade e urgência da população, mas também que é função do poder público garantir que o acesso ao Auxílio respeite as normas de segurança sanitária orientadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Não podemos naturalizar que as opções para o povo sejam morrer de fome ou de Covid!

Para discutir e pensar soluções para o problema, foram convidados José Ricardo Gama (Superintendente Regional da Caixa Econômica Federal), Elequicina Maria dos Santos (Secretária da STTU), Cipriano Maia de Vasconcelos (Secretário Estadual de Saúde Pública do RN) e Iris Maria de Oliveira (Secretária de Estado do Trabalho, da Habitação e Assistência Social).

“Esperamos contar com a participação de todos e todas, e que possamos encaminhar ações concretas para resolver essa grave situação.”, afirmou Sandro Pimentel.

 Veja o requerimento aqui: https://bit.ly/requerimento_caixa

Fonte: http://sandropimentel.com.br/sandro-quer-acoes-para-reduzir-aglomeracoes-na-caixa-economica/


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
“Enquanto os efeitos sanitários e econômicos da Covid-19 seguem fazendo-se sentir, escancarando a crise global do capitalismo, as lutas na América Latina começam a apresentar importantes conquistas no enfrentamento da extrema-direita continental. Na Bolívia, após meses de enfrentamentos e mobilização popular, a contundente vitória da chapa do MAS pôs fim ao governo ilegítimo e reacionário de Jeanine Áñez. No Chile, após as multitudinárias manifestações de 2019, o plebiscito levou a uma vitória esmagadora em favor de uma nova constituição elaborada por assembleia exclusiva. Na campanha eleitoral estadunidense em curso, está em jogo a possibilidade de derrotar o trumpismo, que anima movimentos neofascistas e racistas naquele país e em todo o mundo. Ao mesmo tempo, as eleições municipais brasileiras abrem a possibilidade de construir uma alternativa nas cidades que contribua para isolar e derrotar o bolsonarismo. A décima oitava edição da Revista Movimento debruça-se sobre esses processos de mobilização nas ruas e de enfrentamento eleitoral em curso”.