Seis co-prefeitos do HDP são removidos do serviço no sudeste da Turquia
Reprodução

Seis co-prefeitos do HDP são removidos do serviço no sudeste da Turquia

Além disso, prefeito de província oriental foi detido.

Seis co-prefeitos do pró-curdo Partido Popular Democrático (HDP) foram afastados de seus postos pelo Ministério do Interior. Enquanto todos os seis foram substituídos por curadores do Ministério do Interior, três dos co-presidentes da região sudeste foram detidos mais tarde. Enquanto isso, o prefeito de uma província do leste foi detido sob acusações relacionadas a uma investigação em andamento.

O Ministério do Interior da Turquia retirou seis co-prefeitos do Partido Democrático Popular (HDP) pró-curdo no dia 15 de maio na província sudeste de Siirt, e deteve o prefeito da cidade oriental de Iğdır.

Os dois co-prefeitos da cidade de Siirt, e dois pares de co-prefeitos dos distritos de Baykan e Kurtalan foram substituídos por curadores, que anteriormente serviam como governadores e governadores de distrito.

O prefeito de Iğdır Yaşar Akkuş foi detido sob acusações relacionadas a uma investigação em andamento sobre ele, embora nenhuma outra informação tenha sido fornecida.

A substituição de funcionários eleitos por designados tem sido uma prática comum no âmbito do Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP): Dos 65 municípios que o HDP ganhou nas eleições locais de março de 2019, 43 cargos foram preenchidos com funcionários fiduciários nomeados.

Eleitos co-prefeitos da cidade de Siirt, Berivan Helen Işık e Peymandara Turhan foram substituídos pelo curador Ali Fuat Atik, que antes atuava como governador de Siirt, cargo para o qual foi designado pelo Ministério do Interior.

Eleitos co-prefeitos do distrito de Siirt’s Baykan, Ramazan Sarsılmaz e Özden Gülmez foram substituídos pelo curador Mehmet Tunç, anteriormente governador do distrito de Baykan.

Os co-prefeitos do distrito de Kurtalan, Baran Akgül e Esmer Baran foram substituídos pelo curador İhsan Emre Aydın, anteriormente governador do distrito de Kurtalan.

O co-prefeito de Siirt, Berivan Helen Işık, o co-prefeito de Baykan Ramazan Sarsılmaz, e o co-prefeito de Kurtalan, Baran Akgül, foram detidos após serem afastados de seus cargos.

A Prefeitura do Distrito de Baykan publicou um tweet dizendo que a polícia tinha simultaneamente cercado os edifícios municipais de Baykan e Kurtalan para deter os co-prefeitos nas primeiras horas do dia 15 de maio.

“Foi a polícia que fez isso na casa dela, onde vivem sua mãe e seu filho. É óbvio quem deu a ordem”. Não procure por golpistas em nenhum outro lugar, aqui está o golpe e aqui estão os golpistas”, disse Danış Beştaş em seu tweet.

O ciclo de notícias da Turquia tem sido ocupado com discussões sobre uma tentativa de golpe, já que o Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP) acusou o principal partido da oposição Partido Republicano do Povo (CHP) de conspirar uma tentativa.

A acusação foi seguida de comentários de representantes do partido, incluindo o presidente de Istambul Canan Kaftancıoğlu, indicando que o público deve se preparar para uma mudança na administração em breve.

Artigo originalmente publicado no Observatório Internacional do PSOL


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
Na 16ª edição, estão disponíveis dois dossiês. No primeiro, sobre o ecossocialismo, podem-se se encontrar as recentes teses de Michael Löwy, além de uma entrevista com o sociólogo e dirigente da IV Internacional. Também publicamos uma entrevista com Zé Rainha, dirigente da FNL, sobre sua trajetória de luta e os desafios dos socialistas no Brasil; uma entrevista com Antônia Cariongo, dirigente quilombola e do PSOL-MA; e artigos de Luiz Fernando Santos, sobre a lógica marxista e a Amazônia, e de Marcela Durante, do Setorial Ecossocialista do PSOL. O segundo dossiê traz algumas análises iniciais sobre a pandemia de coronavírus. Há artigos de Mike Davis e Daniel Tanuro; documentos do MES e do Bureau da IV Internacional; além de uma densa análise de nossas companheiras Evelin Minowa, Joyce Martins, Luana Alves, Natália Peccin Gonçalves, Natalia Pennachioni e Vanessa Couto e de um artigo do camarada Bruno Magalhães. A seção de depoimentos traz um instigante artigo de Pedro Fuentes sobre a história de seu irmão Luis Pujals, o primeiro desaparecido político da história da Argentina. Já a seção internacional traz uma análise do sociólogo William I. Robinson sobre a situação latino-americana.