Manifesto 18M: Dia Nacional de Luta Contra o Genocídio da Juventude Negra

Manifesto pela justiça de João Pedro e por todas as vidas negras interrompidas pelo Estado.

17 maio 2021, 16:20

No dia 18 de Maio de 2020, João Pedro estava brincando dentro da sua própria casa quando foi covardemente assassinado por policiais que entraram atirando, em uma operação abusiva da polícia. Há um ano sua família clama por justiça, mas nada acontece. Como muitos jovens negros assassinados pelo Estado, João Pedro virou um número. Sua morte foi sentida em todo Brasil, gerando o levante negro que vimos no ano passado. De norte a sul, o grito por justiça, pelo fim das operações policiais abusivas e pela importância das vidas negras se fez ouvir.

Em nosso país o genocídio do povo negro é ima política de Estado. E este genocídio avança com o governo Bolsonaro. A morte de um jovem negro não é exceção, é REGRA. Não é mera coincidência que a maior chacina da história do Rio de Janeiro aconteça um dia depois da visita do presidente ao governador Claudio Castro, um de seus maiores aliados. É possível uma nova forma de pensar segurança. Para isso, precisamos de justiça para não esquecer daqueles que foram assassinados e luta pelo fim do genocídio.

Essa é uma aliança entre os movimentos sociais, a sociedade civil, as famílias vítimas da violência de estado, parlamentares e lutadores. Somos aqueles que sabem que, nesse momento, NADA É MAIS URGENTE DO QUE LUTAR PELA NOSSA VIDA.

Nem de tiro, nem fome, nem de covid! Queremos viver! Basta de genocídio!

Estamos aqui para gritar BASTA! Estamos aqui para exigir justiça por João Pedro e por toda juventude negra que tem o direito de seguir viva! QUEREMOS JOVENS PRETOS VIVOS!

Dia nacional de luta contra o genocídio.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
Esta é uma edição especial de nossa Revista Movimento, de números 19 e 20. Nela, publicamos um dossiê que celebra os 150 anos de nascimento de Rosa Luxemburgo, vinculado à iniciativa coordenada por nossa camarada Luciana Genro: o curso da Escola Marx “150 anos de Rosa Luxemburgo: pensamento e ação”.