Trabalhadores do Grupo Hospitalar Conceição elegem Arlindo Ritter para a linha de frente da ASERGHC mais uma vez

Trabalhadores do Grupo Hospitalar Conceição elegem Arlindo Ritter para a linha de frente da ASERGHC mais uma vez

Trabalhador do maior complexo hospitalar 100% SUS do Rio Grande do Sul, Arlindo Ritter atua no movimento sindical há 26 anos.

Nathália Bittencurt 9 jun 2021, 13:13

Referência em saúde pública da atenção básica até o tratamento de doenças complexas, o Grupo Hospitalar Conceição também é reconhecido como local de greves históricas e conquistas de importantes direitos trabalhistas para os profissionais da saúde.

Nas décadas de 90 e 2000, seus trabalhadores foram fundamentais para resistir ao processo de transformação do GHC em Fundação Pública de Direito Privado, um tipo de Organização Social, o que abriria as portas para a privatização da rede que garante o acesso à saúde não apenas na capital, mas também na região metropolitana e parte do interior. Na gestão hospitalar petista, realizaram grandes greves que foram articuladas para manter o caráter público do Grupo, inclusive revertendo a terceirização no setor de higienização. Também houve greve para conquistar o direito ao Vale-Alimentação, assim como mobilizações para defender profissionais do assédio moral e perseguições de gestores, e da tentativa de governos de retirar direitos históricos.

Em todos esses momentos, nos últimos 26 anos, o Técnico em Segurança do Trabalho Arlindo Ritter esteve presente no movimento sindical. Também chamado de Peão pelos corredores dos hospitais, Arlindo trabalha há 32 anos no Hospital Nossa Senhora da Conceição. Em abril de 2020, venceu a Covid-19 após uma semana de internação, depois de participar de protestos reivindicando equipamentos de proteção individual (EPIs) e testagem em massa para o coronavírus em diversos hospitais de Porto Alegre.
 

Com mais de nove mil trabalhadores, o GHC conta com grande rede de assistência: quatro hospitais, doze unidades de Saúde Comunitária, três Centros de Atenção Psicossocial, um Consultório na Rua e uma Unidade de Pronto Atendimento. Grande parte desses profissionais são sindicalizados em entidades de suas próprias categorias, ou no maior sindicato da saúde da região, o Sindisaúde-RS. Mas sem dúvidas a entidade de maior presença no cotidiano dos trabalhadores, desde o setor administrativo e a higienização até a assistência ao usuário do SUS na ponta, é a Associação dos Servidores, a ASERGHC. Em maio deste ano, a associação completou 45 anos em meio a um processo eleitoral para escolher a nova diretoria e conselho fiscal, com mandato até 2024. Arlindo é o atual presidente da entidade, e também atua na diretoria do Sindisaúde-RS.

A campanha contou com quatro chapas, que discutiram rumos e visões distintas para as pautas dos profissionais da saúde. Assim como em 2018, os derrotados foram aqueles que se identificaram com o projeto bolsonarista de entrega da saúde à gestão privada, redução de investimentos e retirada de direitos. Também se articularam outros servidores que já fizeram parte de gestões do Grupo, com a intenção de acabar com a independência de classe da associação, pois foram responsáveis pela terceirização e por aprofundar a política de precarização nas relações de trabalho.
 

Arlindo Ritter já liderou a ASERGHC outras vezes, e agora encara mais um combate ao lado de Graziela Palma, também Técnica em Segurança do Trabalho, atuante no Hospital Cristo Redentor há 14 anos. A chapa vencedora, Resistência, Unidade e Confiança, reuniu dezenas de trabalhadores combativos espalhados pelas unidades de saúde, com profissionais recém chegados no movimento sindical e lutadores históricos do GHC. Com 738 votos, Arlindo Ritter e Graziela Palma vão seguir na linha de frente das lutas dos trabalhadores, e a ASERGHC vai permanecer na defesa do SUS 100% público e de qualidade para todos, independente de quaisquer governos e gestores.

  Chapa 1 Resistência, Unidade e ConfiançaChapa 2 ASERGHC para Todos Chapa 3 ASERGHC Somos Todos NósChapa 4 Recuperar a Identidade, Retomar a LutaBrancosNulosTotal de votos
Total de votos por chapa73824239917115361.601 (1.550 válidos)

Confira vídeo produzido pela Chapa 1 – Resistência, Unidade e Confiança: https://www.facebook.com/chapa1aserghc/posts/116972723894031


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Ver todos

Podcast Em Movimento

Capa da última edição da Revista Movimento
Esta é a vigésima primeira edição da Revista Movimento, dedicada aos debates em curso do VII Congresso Nacional do PSOL. Nela encontram-se artigos de análise, polêmica e discussão programática para subsidiar os debates de nossos camaradas em todo o país e contribuir com a batalha pela pré-candidatura de nosso companheiro Glauber Braga à presidência da República pelo PSOL. A edição também conta com análises de importantes questões internacionais contemporâneas e de outros temas de interesse, como os desafios da luta pelo “Fora, Bolsonaro” e as crises hídrica e elétrica no Brasil. Num ano de 2021 ainda marcado pela tragédia da pandemia da Covid-19 e pelo descaso criminoso de governos em todo o mundo, lamentamos a perda de nosso grande camarada Tito Prado (1949-2021), militante internacionalista e dirigente de Nuevo Perú. A ele dedicamos esta edição de nossa revista e, em sua homenagem, publicamos artigos em sua memória. Boa leitura!