Vamos por uma segunda reforma agrária
Reprodução

Vamos por uma segunda reforma agrária

No Peru, governo vem tomando medidas importantes de fortalecimento agrícola.

Ricardo Yauricasa 15 out 2021, 17:25

No domingo, 3 de outubro em Cusco, após 53 anos da reforma agrária dada por Juan Velasco Alvarado, nosso presidente constitucional, Professor Pedro Castillo Terrones, lançou a IIª REFORMA AGRÁRIA. Esta é uma questão muito importante, por uma razão fundamental, as sociedades são sustentadas pela agricultura. Além disso, porque esta IIª Reforma Agrária implicaria um novo passo na direção iniciada pela Velasco.

O Peru é um país rico na produção agrícola de vários produtos; no entanto, apoiamos a tabela de milhões de peruanos, beneficiando-se das importações. Em outras palavras, somos um país que produz batatas e arroz, mas em vez de comprar de produtores peruanos, as empresas preferem comprar do exterior.

Portanto, os eixos que o governo tem promovido em Cusco são importantes:

1.- Segurança alimentar.
2.- Associatividade e Cooperativismo.
3.- Infra-estrutura Hidráulica.
4.- Serviço Civil no Setor Agrário.
5.- A industrialização rural.
6.- Promoção dos Mercados dos Produtores e das Compras do Estado.
8.- Repovoamento pecuário.
9.- Articulação Intergovernamental e Intersetorial no território.
10.- Crédito de um Banco de Desenvolvimento Agrário.

Estes são excelentes eixos para o FORTALECIMENTO AGRÍCOLA e devemos apoiá-los; no entanto, os problemas da terra, da administração da água, da mudança da institucionalidade do Setor e das organizações agrárias e dos agricultores sem terra ainda estão pendentes de solução.

A questão da terra pode ser resumida em termos de propriedade de terra em larga escala e de propriedade de terra em pequena escala na produção agrícola. Os pequenos agricultores (60% da terra) têm terra em lugares com baixa qualidade; no entanto, a melhor qualidade da terra está nas mãos dos agroexportadores. Outro exemplo é a água: a gestão da água está nas mãos dos grandes agroexportadores.

Mais um eixo a considerar a fim de aprofundar a IIª Reforma Agrária em favor daqueles que menos têm, deve considerar que as novas terras que são incorporadas à atividade agrícola devem ser concedidas aos AGRICULTORES SEM TERRA organizados em cooperativas, associações, etc. e que o Estado deve estar presente.

É essencial avançar com a reforma agrária dada pelo governo em conjunto com os trabalhadores rurais, já que são eles que fornecem o sustento de todos os peruanos. A terra para quem a trabalha.

Artigo originalmente publicado em Súmate. Reprodução da tradução realizada pelo Observatório Internacional do PSOL.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Ver todos

Podcast Em Movimento

Capa da última edição da Revista Movimento
Esta é a vigésima primeira edição da Revista Movimento, dedicada aos debates em curso do VII Congresso Nacional do PSOL. Nela encontram-se artigos de análise, polêmica e discussão programática para subsidiar os debates de nossos camaradas em todo o país e contribuir com a batalha pela pré-candidatura de nosso companheiro Glauber Braga à presidência da República pelo PSOL. A edição também conta com análises de importantes questões internacionais contemporâneas e de outros temas de interesse, como os desafios da luta pelo “Fora, Bolsonaro” e as crises hídrica e elétrica no Brasil. Num ano de 2021 ainda marcado pela tragédia da pandemia da Covid-19 e pelo descaso criminoso de governos em todo o mundo, lamentamos a perda de nosso grande camarada Tito Prado (1949-2021), militante internacionalista e dirigente de Nuevo Perú. A ele dedicamos esta edição de nossa revista e, em sua homenagem, publicamos artigos em sua memória. Boa leitura!