Representantes da FNL debatem a situação das terras públicas do Pontal do Paranapanema com Secretário de Segurança Pública de SP

Representantes da FNL debatem a situação das terras públicas do Pontal do Paranapanema com Secretário de Segurança Pública de SP

A reunião era uma das reivindicações da marcha que a FNL está organizando desde quarta-feira, 10 de novembro.

Nathália Bittencurt 12 nov 2021, 18:00

Nesta sexta-feira, o Secretário de Segurança Pública de São Paulo, João Camilo Pires de Campos, recebeu os coordenadores da Frente Nacional de Luta, Zé Rainha, Claudemir Novais, Luciano Lima, Odenil Gonçalves e Edmara da Conceição. O encontro foi articulado pelo deputado estadual Raul Marcelo (PSOL), e aconteceu no Centro de Operações Integradas (COI). A reunião era uma das reivindicações da marcha que a Frente Nacional de Luta Campo e Cidade começou na última quarta-feira, em Sorocaba, em direção à capital paulista. Para a Frente, a marcha já é vitoriosa.

Como pauta, a FNL cobrou agilidade do governo Doria na arrecadação das terras públicas do Pontal do Paranapanema, que hoje soma mais de 300 mil hectares de terras. Os representantes do governo se comprometeram a fazer as demarcações das áreas públicas e ao mesmo tempo entrar com as ações reivindicatórias, além de iniciar o cadastro das milhares de famílias acampadas ainda em novembro. Para a estrutura dos acampamentos da FNL, o secretário se comprometeu a fornecer lonas e cestas básicas. O representante da Polícia Militar se comprometeu a participar de ações preventivas para evitar os conflitos por terra na região. Sobre a situação da habitação, será marcada uma reunião com o secretário de habitação o mais rápido possível.

Para o coordenador nacional da FNL, Zé Rainha, a marcha demonstrou que somente com a luta coletiva é possível ter conquistas. “Essa reunião hoje foi conquistada pela nossa mobilização. São mais de 800 militantes nesta marcha nacional, que conta com apoio dos companheiros do Movimento Esquerda Socialista, com destaque para a atuação da juventude do Juntos. Este é o começo de uma grande aliança que quer discutir a luta de classe e a construção da revolução. Vamos encerrar as nossas atividades no sindicato Metroviários de São Paulo, mostrando assim a busca das alianças práticas para avançar naluta pela conquista do solo urbano, e avançar na destruição do estado burguês.” – comemorou Zé Rainha.

A Frente seguirá acompanhando os desdobramentos do encontro de hoje. Neste sábado,a marcha chegará em Baruei. A previsão é de chegada na capital paulista no domingo, 14.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

   

Podcast Em Movimento

Capa da última edição da Revista Movimento
Esta é a vigésima quarta edição da Revista Movimento. Iniciando nossas publicações em 2022, preparamos uma edição com um dossiê de mulheres, organizado pelas mulheres do Movimento Esquerda Socialista (MES).