Contra a agressão imperialista de Putin! Fora tropas russas da Ucrânia! Em defesa da paz e da libertação dos pacifistas russos!
86e34110d590c5c312afbf609e1e9cd5

Contra a agressão imperialista de Putin! Fora tropas russas da Ucrânia! Em defesa da paz e da libertação dos pacifistas russos!

Declaração do Secretariado do Movimento Esquerda Socialista sobre a invasão russa na Ucrânia.

Secretariado Nacional do MES 27 fev 2022, 09:15

(Declaração do Secretariado do Movimento Esquerda Socialista)

A escalada da invasão militar russa na Ucrânia já deixa evidente as reais intenções de Vladimir Putin: promover uma guerra imperialista para a anexação de territórios e o reestabelecimento de um regime fantoche da Rússia como aquele que controlava o país antes de 2014. Putin não aceita a autodeterminação do povo ucraniano e já se declarou publicamente contra um estado independente, utilizando a guerra para afirmar seus interesses imperialistas na região e repetindo a mesma violência aplicada na invasão Geórgia e na colaboração à repressão promovida pelas ditaduras de Belarus e do Casaquistão contra seus próprios povos.

Esta ação militar responde às necessidades internas de Putin, que enfrenta um questionamento cada vez maior do povo russo contra seu governo antidemocrático e uma profunda crise econômica e social que aumenta a desigualdade no país. Servindo aos interesses dos capitalistas russos – que conquistaram sua riqueza através das privatizações mafiosas desenvolvidas após a restauração capitalista – Putin se declarou abertamente contra a posição de Lenin sobre a autodeterminação das então repúblicas soviéticas e baseia sua posição no chauvinismo grão-russo profundamente estimulado pelo regime czarista e combatido pelos bolcheviques.

A manutenção da OTAN após o fim da Guerra Fria e sua expansão para o leste demonstram a posição cínica do imperialismo estadounidense, que há mais de três décadas avança contra os interesses dos povos do leste europeu estimulando a escalada armamentista e a guerra, e por isso defendemos veementemente o fim da OTAN. Entretanto, esta situação não pode ignorar o fato de que hoje é a Rússia que bombardeia e invade a Ucrânia nem servir de justificativa para a violência do imperialismo russo contra o povo ucraniano. Da mesma forma, nada pode justificar a repressão e prisões de russos e russas que se manifestam corajosamente pela paz em Moscou, São Petesburgo e outras cidades.

Os internacionalistas de todo mundo não podem vacilar neste momento! Devemos expressar nossa solidariedade ao povo ucraniano e aos russos que lutam pela paz! Para materializar esta solidariedade é essencial desenvolver uma campanha mundial contra a invasão russa, reunindo personalidades, partidos e movimentos sociais que não aceitam a guerra criminosa de Putin nem as falácias da OTAN e do imperialismo ocidental. Para tanto, fazemos um chamado à construção de um ato internacional virtual “Pela retirada das tropas russas da Ucrânia!“. Este chamado é feito especialmente ao movimento trotskista, presente em inúmeros processos de luta no mundo e que, como regra, está na primeira linha do internacionalismo proletário exigindo o fim do ataque russo à Ucrânia, sem nunca deixar de denunciar a política imperial da OTAN.

Fim da invasão russa na Ucrânia!

Autodeterminação do povo ucraniano!
Liberdade para os pacifistas russos!
Contra os imperialismos em disputa!
Construir uma campanha internacional pela paz!


TV Movimento

Palestina livre: A luta dos jovens nos EUA contra o sionismo e o genocídio

A mobilização dos estudantes nos Estados Unidos, com os acampamentos pró-Palestina em dezenas de universidades expôs ao mundo a força da luta contra o sionismo em seu principal apoiador a nível internacional. Para refletir sobre esse movimento, o Espaço Antifascista e a Fundação Lauro Campos e Marielle Franco realizam uma live na terça-feira, dia 14 de maio, a partir das 19h

Roberto Robaina entrevista Flávio Tavares sobre os 60 anos do golpe de 1º de abril

Entrevista de Roberto Robaina com o jornalista Flávio Tavares, preso e torturado pela ditadura militar brasileira, para a edição mensal da Revista Movimento

PL do UBER: regulamenta ou destrói os direitos trabalhistas?

DEBATE | O governo Lula apresentou uma proposta de regulamentação do trabalho de motorista de aplicativo que apresenta grandes retrocessos trabalhistas. Para aprofundar o debate, convidamos o Profº Ricardo Antunes, o Profº Souto Maior e as vereadoras do PSOL, Luana Alves e Mariana Conti
Editorial
Paula Kaufmann | 16 jun 2024

O outono feminista em defesa do aborto legal

A luta contra o retrocesso representado pelo PL do aborto coloca o movimento de mulheres novamente nas ruas
O outono feminista em defesa do aborto legal
Edição Mensal
Capa da última edição da Revista Movimento
Revista Movimento nº 51
Esta edição da Revista tem como centro temático um “Dossiê: Transviando o marxismo”, por ocasião ao mês do Mês do Orgulho LGBTQIA+. Ela começa com o texto Manifesto Marxista-Pajubá que se propõe a imprimir uma perspectiva marxista à luta de travestis e demais pessoas trans e às formulações respectivas à transgeneridade. Organizado pelo Núcleo Pajubá do MES, este manifesto oferece um espaço de reflexão, resistência e articulação política, onde vozes diversas e potentes se encontram para desafiar o status quo opressor e explorador e construir lutas de emancipação.
Ler mais

Podcast Em Movimento

Colunistas

Ver todos

Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Ver todos

Podcast Em Movimento

Capa da última edição da Revista Movimento
Esta edição da Revista tem como centro temático um “Dossiê: Transviando o marxismo”, por ocasião ao mês do Mês do Orgulho LGBTQIA+. Ela começa com o texto Manifesto Marxista-Pajubá que se propõe a imprimir uma perspectiva marxista à luta de travestis e demais pessoas trans e às formulações respectivas à transgeneridade. Organizado pelo Núcleo Pajubá do MES, este manifesto oferece um espaço de reflexão, resistência e articulação política, onde vozes diversas e potentes se encontram para desafiar o status quo opressor e explorador e construir lutas de emancipação.