Parem a guerra na Ucrânia!
ukraine-042022225-2

Parem a guerra na Ucrânia!

Declaração do caucus Bread & Roses do DSA sobre a invasão russa da Ucrânia. Parar a guerra e o imperialismo russo. Opor-se à intervenção dos EUA e da OTAN.

Caucus Bread & Roses do DSA 1 mar 2022, 20:18

Via The Call

Na manhã de quinta-feira, 24 de fevereiro, o presidente russo Vladimir Putin anunciou o início das “operações militares especiais” na Ucrânia. O bombardeio das principais cidades, aeroportos e posições militares ucranianas começou pouco depois. Mais tarde, as tropas russas avançaram em direção à capital Kiev e à segunda maior cidade Kharkiv.

Condenamos com veemência esta invasão da Rússia. Os socialistas se posicionam inequivocamente contra o imperialismo – seja ele dos EUA, russo ou de qualquer outra safra. Esta guerra é uma tragédia que trará morte e destruição e semeará as sementes do ódio nacional. Nossa solidariedade é com o povo da Ucrânia e da Rússia, que arcará com seus horríveis custos.

As origens desta invasão remontam ao final da Guerra Fria em 1991. As manobras imperialistas americanas – a rápida incorporação da Europa Oriental à OTAN em particular – são parcialmente responsáveis por aumentar as tensões. O cerco gradual da Rússia pelos Estados Unidos e seus aliados alimentou os receios russos de uma eventual intervenção. Com um descaso assustador pelas possíveis consequências, os Estados Unidos antagonizaram a Rússia, outra potência nuclear. Mais recentemente, os EUA se recusaram a se comprometer a manter a Ucrânia neutra e fora da OTAN e ofereceram seu apoio às forças reacionárias nos eventos de Maidan em 2014.

No entanto, há um agressor claro no conflito imediato: o governo de Vladimir Putin. Esse governo é apoiado e representa a classe oligárquica capitalista russa e é movido pelas ambições de reconstruir o império russo dos séculos XVIII e XIX.

Ao escolher uma invasão militar ao invés de negociações diplomáticas, o governo de Putin está adotando uma estratégia imperialista, isolando-se ainda mais e mergulhando o mundo em uma possível nova guerra global.

Os socialistas democráticos nos Estados Unidos estão limitados por nosso tamanho e pela distância do conflito naquilo que podemos fazer para lutar pela paz. Mas nossas tarefas e exigências são cada vez mais claras.

Devemos continuar resistindo à escalada do conflito em uma guerra mundial. Os socialistas nos Estados Unidos e nos outros 29 países membros da OTAN devem se opor a uma intervenção liderada pela OTAN no conflito. À medida que os acontecimentos se desenvolvem, devemos estar prontos para exigir mobilizações em massa contra uma possível intervenção militar.

Apoiamos os apelos dos socialistas democráticos no Congresso para impor pesadas sanções às fortunas maciças dos líderes estatais e capitalistas russos. Para isso, será necessário enfrentar os interesses de Wall Street, que prefeririam que tais fortunas permanecessem ocultas. Ao mesmo tempo, devemos nos opor à guerra econômica na forma de sanções de base ampla contra os russos comuns.

Apoiamos a exigência de abrir a fronteira dos EUA aos refugiados da Guerra Russo-Ucraniana (assim como de outras guerras e conflitos no exterior).

Oferecemos nossa solidariedade às classes trabalhadoras ucranianas e russas e aos movimentos socialistas e antiguerra em ambos os países. As mobilizações iniciais do povo russo – diante de uma tremenda repressão estatal – são inspiradoras. Exortamos o DSA, através de seu Comitê Político Nacional e seu Comitê Internacional, a oferecer nos termos mais fortes sua solidariedade aos movimentos socialistas e antiguerra na Ucrânia e na Rússia.

Exortamos os Estados Unidos, a Rússia e a Ucrânia a voltarem às negociações para encontrar uma solução diplomática para o conflito. Como parte dessa resolução, apoiamos a dissolução da OTAN – uma aliança de Estados capitalistas que sempre foi usada para promover os interesses capitalistas de seus membros através de intervenções agressivas – e a construção de um acordo de segurança mútua real e duradouro com a Rússia. As tropas russas também devem se retirar do território ucraniano.

As esperanças reais de paz duradoura, justiça e socialismo democrático estão finalmente nas mãos da classe trabalhadora internacional. Em casa, nos Estados Unidos e nos países da OTAN, os trabalhadores podem deter a escalada do conflito militar através de mobilizações em massa e da derrota de seus próprios governos imperialistas. Na Ucrânia, o povo trabalhador pode resistir à invasão pela força e através de greves e ações econômicas. E, sobretudo na Rússia, os trabalhadores podem, através de suas mobilizações, deter a invasão e derrubar o regime de Putin.

A ação em massa dos trabalhadores pode construir um mundo melhor. É a nossa única defesa real contra a guerra imperialista e contra o capitalismo. Parem a guerra na Ucrânia!


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

   

Podcast Em Movimento

Capa da última edição da Revista Movimento
Esta é a vigésima quarta edição da Revista Movimento. Iniciando nossas publicações em 2022, preparamos uma edição com um dossiê de mulheres, organizado pelas mulheres do Movimento Esquerda Socialista (MES).