Solidariedade ativa: campanha de apoio material e político para refugiados da guerra!

Solidariedade ativa: campanha de apoio material e político para refugiados da guerra!

Comitiva de militantes e ativistas presta solidariedade ativa aos refugiados ucranianos.

23 mar 2022, 10:21

No dia 22 de março, próximo das 19 horas, o Alexandre Velychko, descendente de ucranianos vindo da primeira guerra mundial para o Brasil, integrante da direção da Associação dos ucranianos em Canoas recebeu dirigentes sindicais, do movimento popular e estudantil.  Uma comitiva articulada por Etevaldo Teixeira-coordenador da TLS/RS, que contou com a presença de Chagas, presidente, Ronas e Valeira do SINDIMETRÔ, Arlindo Ritter, presidente da ASERGHC e da direção do SINDISAÚDE, Claudia Fávaro, FNL, Gisele-EMANCIPA/Canoas, movimento popular e, ainda, Fran, Gustavo e Rafael do movimento Juntos conversaram por uma hora.

O Alexandre informou a grave situação da Ucrânia que já se estima em mais de 3 milhões de refugiados que estão mais localizados na Europa e uma parte importante na Polônia. Ele relata que Putin está destruindo tudo, as casas e condomínios foram bombardeados, e mesmo que acabe a guerra, as pessoas não tem para onde voltar. Mas, distingue, o povo russo não tem nada a ver com isso, acompanha as manifestações e as prisões ocorridas na Rússia. Muitos ucranianos falam o mesmo idioma, pois por muito tempo fizeram parte da União Soviética. O que eles querem é sua soberania e, por isso fizeram em 2014 uma revolução.

No bairro Niterói em Canoas vivem mais de 300 descendentes de ucranianos. Eles estão em contato com familiares que ainda estão na Ucrânia e, desde do início da guerra começaram articulações com prefeituras, governadores e uma campanha para arrecadar donativos, desde alimentos não perecíveis, roupas e brinquedos para crianças. 

É triste, é angustiante e, por um minuto o Alexandre se emocionou, e ao mesmo tempo expressou que é confortante a resposta a campanha que estamos realizando. Até o momento conseguimos apoio de uma proprietária de um sitio em Nova Santa Rita que colocou a disposição um alojamento para 40 pessoas. Além disso, diariamente estamos recebendo muitos donativos que as pessoas estão arrecadando e entregam na paroquia ou na associação. 

Na articulação política fizeram atividades que teve repercussão na imprensa. Na segunda-feira houve a reunião com o governador Eduardo Leite, articulada pela deputada estadual Luciana Genro (PSOL/RS). Nesta reunião, que contou a presença da deputada federal Fernanda Melchionna e os representantes da Comunidade Ucraniana no Brasil, o presidente da RCUB – Representação Central Ucraniano-Brasileira, Vitorio Sorotiuk, e a vice-presidente na Região Sul, Oliana Reszetiuk, que é moradora da Canoas e o Alexandre da Associação dos Ucranianos.

A comitiva se colocou a disposição para ajudar a angariar mantimentos e fazer campanhas, e integrar a Comissão que organiza a recepção dos refugiados. A proposta será de envolver o movimento sindical, buscar apoio na Reitoria da URGS, além da estrutura físicas que acolham da melhor maneira possível os refugiados.

Os próximos passos será preparar a logística para receber um grupo de refugiados que pode ser mais do que o esperado inicialmente, em torno de 80 pessoas. Porém, é necessário um acolhimento com moradias, com pessoas que falem o mesmo idioma, com atendimento médico e psicológico. As necessidades são múltiplas e, não se sabe, serão por um ano ou mais. Portanto, a comunidade espera como diz sua faixa: #paz na Ucrânia.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

   

Podcast Em Movimento

Capa da última edição da Revista Movimento
Esta é a vigésima quarta edição da Revista Movimento. Iniciando nossas publicações em 2022, preparamos uma edição com um dossiê de mulheres, organizado pelas mulheres do Movimento Esquerda Socialista (MES).