Prisão imediata de Bolsonaro e toda quadrilha de golpistas! Sem Anistia!
49814462248_22d853f39b_b-1

Prisão imediata de Bolsonaro e toda quadrilha de golpistas! Sem Anistia!

A recente operação da Polícia Federal contra o entorno golpista de Bolsonaro coloca a prisão do ex-presidente na ordem do dia

Israel Dutra 9 fev 2024, 16:15

A hora da verdade. A operação da PF, batizada de “Tempus Veriatis”, “Tempo da Verdade”, em livre tradução, colocou na mira as principais cabeças do golpismo brasileiro. Ao defrontar figuras de relevo do Bolsonarismo, na esteira das revelações de Mauro Cid, se cumpriram ao todo quatro mandados de prisão, 33 mandados de busca e apreensão e 48 medidas cautelares. Bolsonaro teve seu passaporte apreendido. Foi preso Valdemar Costa Neto, o todo-poderoso presidente do PL, legenda que alberga Bolsonaro.
Às vésperas do carnaval, maior festa popular do país, a operação representa um ponto de inflexão na necessária criminalização da extrema direita e dos golpistas, sejam civis ou militares. Além disso, novas revelações, por gravações e registros de reuniões deixam patente a sanha golpista e as responsabilidades de Bolsonaro e sua cúpula.

É preciso mobilizar e disputar na opinião pública para que os próximos passos sejam colocar Jair Bolsonaro, o genocida, atrás das grades.

Um grande dia

A operação golpeou os principais tentáculos da articulação política do golpismo. Foi recebida com festejos de amplas camadas da sociedade, que repercutiram nas redes sociais um sentimento popular a favor de colocar toda a “quadrilha” na prisão.

A PF definiu os alvos da operação, em nota, como uma “organização criminosa que atuou na tentativa de golpe de Estado”.

Além do confisco do passaporte de Bolsonaro, a PF apreendeu na sua casa em Angra dos Reis, o celular de seu assessor, Tércio Arnaud; prendeu Filipe Martins, o discípulo predileto de Olavo de Carvalho, ex-assessor para assuntos internacionais da presidência que ficou conhecido pelo gesto supremacista que fez no Senado; o Coronel do Exército, Marcelo Câmara, que teria fraudado o cartão de vacina da Bolsonaro; e o Major Rafael Martins.

Da cúpula das Forças Armadas, a PF chegou no ex- comandante da Marinha, Almir Garnier, que teve o celular apreendido, e nos generais Paulo Sergio Nogueira, Augusto Helene, Braga Netto e Estevam Theóphilo.

A prisão de Costa Neto, por conta de porte ilegal de arma, foi a outra ponta da operação. A PF afirmou que o PL foi instrumentalizado para financiar a estrutura de apoio as narrativas que alegavam supostas fraudes às urnas eletrônicas. Ainda foi encontrada uma pepita de ouro em posse de Costa Neto.

A Globo revelou um vídeo que seria oriundo dos arquivos de Mauro Cid. Em seguida, Moraes suspendeu o sigilo, para que fosse publicado na íntegra. Nele se vê com nitidez a proposta de Heleno de “virar a mesa” e utilizar a ABIN para infiltrar agentes nos partidos de oposição. Bolsonaro conclama “nós vamos ter que reagir”.

Assim se fecha o circuito. A “minuta do golpe” está completa e seus protagonistas, desnudos e identificados. É preciso agir, prendendo imediatamente os golpistas.

É hora de lutar pela opinião pública

A partir dos novos fatos, além da compreensível comemoração, é preciso disputar com força a opinião pública. Seja nas redes ou nos espaços sociais, entre amigos, grupos de família, locais de trabalho e moradia, é preciso aproveitar a ação da PF para colocar o bolsonarismo na defensiva , recordando o legado terrível que deixou seu governo genocida.

Segundo dados da Quaest, Bolsonaro “perdeu” ontem o debate das redes sociais. Foram cerca de 58% de menções a favor de sua prisão, e apenas 42% de menções que criticavam a operação da PF.

É preciso construir um processo de mobilização que incida na relação de forças da política nacional; as entidades, os sindicatos, centrais, frentes e partidos têm que construir dentro do seu calendário, com hierarquia, a massificação da palavra-de-ordem de prisão para Bolsonaro e toda quadrilha golpista.

Isso deve envolver punição para os militares do alto generalato, a começar por Augusto Heleno. Não se pode deixar para depois, como escreveu o jornalista Kennedy Alencar:

“A operação da PF de hoje aproxima Bolsonaro e seus golpistas da cadeia. As provas estão sendo fortalecidas para mandar todos eles para o xadrez. Isso é ótimo. A democracia não pode tolerar quem ameaça destruí-la. O Genocida tem de ir para a cadeia para que nunca mais um presidente, usando todos os instrumentos do seu cargo, trame contra a democracia. Por último, nada de passada de pano para os militares.”

Sem Anistia para os golpistas

Além da prisão de Bolsonaro, é a “hora da verdade” para desmontar os esquemas, chegar aos financiadores, pedir a ilegalidade do PL e de todos os envolvidos.

Após um ano da intentona de 8 de janeiro, após se conhecer todos os detalhes do aparelhamento por parte da ABIN, já existem condições suficientes para um passo à frente contra o bolsonarismo.

A denúncia, feita pelos deputados do PSOL, Samia, Fernanda e Glauber, acerca das gravíssimas declarações feitas pelo senador Hamilton Mourão, em discurso, após a operação da PF, é um exemplo.
O carnaval, grande momento de coletividade e sinergia popular, terá bandeira do “sem anistia” presente nas manifestações artísticas e sociais.

E o mês de março será chave: um calendário que parte da luta das mulheres (8 de março), passa pela data que se rememora o assassinato de Marielle e Anderson (14 de março) e terminamos com a marca dos 60 anos do golpe militar. É hora da verdade.


TV Movimento

Lançamento: “A Alemanha da Revolução ao Nazismo: Reflexões para a Atualidade”, de Luciana Genro

O lançamento ocorre na quarta-feira (31), a partir das 19h, com um debate com Luciana Genro e Roberto Robaina. Assista!

ARGENTINA | Trabalhadores gaúchos prestando solidariedade ao povo argentino nas ruas contra Milei!

Diretamente de Buenos Aires, o presidente do Sindimetro/RS, Luis Henrique Chagas e uma delegação de sindicalistas está presente na enorme mobilização contra o governo de extrema direita de Javier Milei

VÍDEO | Cem anos depois, Lenin é atual?

Como parte dos debates sobre o centenário de Lenin, republicamos a entrevista de Breno Altman com o historiador e professor de Relações Internacionais (UFABC) Valter Pomar
Editorial
Israel Dutra | 25 fev 2024

Três bandeiras para enfrentar a extrema direita

Desde nossa localização independente, queremos agitar de forma combinada a solidariedade ao povo palestino, a prisão de Bolsonaro e a exigência de justiça por Marielle e Anderson
Três bandeiras para enfrentar a extrema direita
Edição Mensal
Capa da última edição da Revista Movimento
Revista Movimento nº 45-46
Confira a nova edição com o Dossiê - 100 anos da morte de Vladimir Lênin
Ler mais

Podcast Em Movimento

Colunistas

Ver todos

Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Ver todos

Podcast Em Movimento

Capa da última edição da Revista Movimento
Confira a nova edição com o Dossiê - 100 anos da morte de Vladimir Lênin