Revista Movimento Movimento Movimento: crítica, teoria e ação

A Primavera Feminista deve ocupar o PSOL

Contribuição de mulheres para o VI Congresso Nacional do PSOL.

8 de março de 2017. Crédito: Italo dos Santos
8 de março de 2017. Crédito: Italo dos Santos

“Nós reconhecemos que somos agentes coletivos da história e que a história não pode ser apagada como páginas da Internet.” (Angela Davis, na Marcha das Mulheres contra Trump)

É incontestável que na presente década a luta das mulheres atingiu um novo patamar. Não há como entender este novo momento do feminismo sem ter um olhar internacionalista sobre o tema.

Desde 2011, as mulheres passaram a protagonizar as mais importantes lutas sociais recentes em todo o mundo. A Primavera Árabe, os Indignados da Espanha, o Ocuppy Wall Street, as Jornadas de Junho são exemplos de processos políticos fundamentais dos nossos tempos que tiveram nas suas primeiras fileiras de lutas as mulheres e a juventude. A retomada do feminismo e de suas pautas por uma nova geração de mulheres foi forte e contundente tanto no cotidiano de jovens comuns, como nas as redes sociais. As redes foram essenciais para a popularização do feminismo alcançando, inclusive, grandes figuras da cultura pop e possibilitando, por exemplo, que o enorme movimento latino- americano Ni Una a Menos fosse bem sucedido em diversos países e uma greve internacional das mulheres, sob o chamado de Angela Davis e feministas de todo o mundo, se tornasse uma notícia internacional.

O fortalecimento das pautas feministas veio acompanhado do protagonismo deste setor nos principais embates políticos que se deram no último período. No Brasil, o grande exemplo foi a Primavera das Mulheres, que pela primeira vez emplacou a palavra de ordem “Fora Cunha” com centenas de milhares de mulheres nas ruas de todo o país, pauta que depois foi abraçada pelo conjunto dos movimentos sociais. A Marcha das Mulheres Negras que ocupou a Esplanada dos Ministérios em Brasília fortaleceu o importante protagonismo que essas mulheres tem tido em nossas lutas. Neste ano, o dia 8 de março deu início, sob comando das mulheres, à luta pelo Fora Temer. Também saudamos a luta cotidiana das mulheres que estão nos bairros periféricos, trabalhadoras autônomas, domésticas, jovens estudantes, mães, negras, LBTs.

O descontentamento dessa geração de mulheres com a casta política que rege nosso país é flagrante. Uma demonstração disso foi a eleição de diversas jovens e feministas pelo Brasil em 2016. O sucesso das candidaturas e a organização da Bancada Feminista do PSOL é a mais forte demonstração de que as mulheres querem também ter voz nos parlamentos e grandes palácios do país.

Por um feminismo para os 99%

Acreditamos que as mulheres do PSOL devem ser parte ativa na disputa dentro do feminismo. Sabemos que, ao mesmo tempo em que o feminismo se fortalece como ideia, é preciso intensificar o debate sobre que concepção de feminismo defendemos. Desde seu surgimento, o feminismo não constitui um campo homogêneo. Possui diferentes concepções, estratégias políticas e matrizes teóricas.

O atual momento exige uma política feminista interseccional, que identifique as interações das diferentes formas de dominação e de discriminação com as estruturas de poder e que capture as consequências do patriarcado, do sexismo, do racismo e da discriminação à mulher lésbica, bisexual e trans. Um feminismo que seja sensível aos processos internacionais e à construção de alternativas sociais e políticas frente à crise que assola a vida do povo.

O “Feminismo dos 99%” é uma síntese de um tipo de feminismo que conecta a luta das mulheres aos processos de luta anticapitalista em escala global, muito inspirado nas manifestações que surgiram em 2011, a partir da consigna dos 99% contra a desigualdade social encarnada no 1% que concentra a riqueza global.

Assim, o feminismo é entendido como uma força social e política que trabalha em concerto com outros movimentos sociais na luta pelo fim das desigualdades, e que combina as preocupações econômicas com o aspecto cultural da diversidade daqueles que propriamente compõe os 99% – mulheres trabalhadoras, negras, trans, indígenas, imigrantes, refugiadas, desempregadas, etc. – combinando o problema do machismo ao do racismo, LGBTfobia, transfobia, xenofobia. Em nossa opinião, isso significa que o feminismo precisa ter lado na luta de classes e ser protagonista deste embate.

É importante recuperar e atualizar as elaborações oriundas do feminismo classista e sua trajetória histórica. Ter havido uma greve internacional de mulheres no centenário da Revolução Russa é mais do que simbólico, e deve nos inspirar. Em um momento de tanta dispersão nos movimentos sociais, inclusive no feminismo, a tradição marxista é fundamental para conectar as partes com o todo. Isso não deve significar retroceder para um estágio onde as diferenças eram solapadas. Devemos cada vez mais entender a pluralidade que existe no termo “mulheres”. Ao mesmo tempo, é importante ganhar as feministas para um projeto global de emancipação da humanidade que unifique suas pautas. Nos inspiramos em Ângela Davis por um feminismo de classe e raça.

O movimento feminista deve contagiar o PSOL

O movimento de mulheres promoveu um terremoto político na esquerda no último período, em especial com a Primavera Feminista em 2015. O feminismo mobilizou as ruas e as redes ultrapassando os muros dos debates acadêmicos ou do campo progressista.

A Primavera das Mulheres também refletiu no PSOL. Elegemos uma combativa bancada feminista de vereadoras. Algumas estiveram entre as mais votadas das suas cidades, como Áurea Carolina, Marielle Franco, Fernanda Melchionna e Talíria Petrone. Com Samia Bomfim, conquistamos pela primeira vez um mandato feminista na maior cidade da América Latina. Apesar da falta de uma política de mulheres da direção do PSOL, a eleição dessas vereadoras é uma grande vitória.

Essa bancada mostrou sua combatividade, levando às Câmaras e às ruas a luta das mulheres. Chegou até o STF, ao articular com o ANIS a ADPF pela descriminalização do aborto, apoiada por movimentos de mulheres e tendo como advogadas nossas companheiras Luciana Genro e Luciana Boiteux. Este foi um movimento jurídico histórico para a luta feminista.

Mas durante esse período de fortalecimento da luta das mulheres, o impulsionamento de pautas feministas por parte da direção do nosso partido foi muito aquém do seu potencial e do que a conjuntura pede. A greve internacional das mulheres, por exemplo, foi um dos maiores feitos históricos recentes do feminismo e esta direção não encarou como prioridade a necessidade de impulsionar essa construção. O PSOL precisa estar conectado com as pautas feministas e valorizando seus espaços.

Nos orgulhamos da campanha de Luciana Genro em 2014, que defendeu em rede nacional o combate à transfobia, a legalização do aborto e as pautas históricas do movimento feminista. É central que nossa próxima campanha presidencial não recue destas formulações. Além disso, é preciso enegrecer e trazer cada vez mais diversidade ao PSOL. O racismo estrutural existente na nossa sociedade impõe às mulheres negras uma carga ainda maior de discriminação e violência. Nosso feminismo precisa ser negro ou não será. As mulheres trans, rejeitadas por um setor do movimento

feminista, precisam ser abraçadas e ter a sua luta reconhecida pelo PSOL como uma luta de mulheres por dignidade e reconhecimento.

Em um país onde 60% dos 14 milhões de desempregados são mulheres e em sua maioria, negras, onde o índice de feminicídio das mulheres negras aumentou em 54,2% enquanto das mulheres brancas diminuiu em 9,8%, precisamos ter seriedade com a pauta feminista no nosso partido. Fortalecer e ampliar os fóruns de mulheres dentro do PSOL conectando-os às lutas em curso, sem sequestrar os organismos históricos de organização das nossas mulheres, como a Setorial Nacional.

É preciso construir um calendário de formação política para nossas militantes e fortalecer mecanismos de resolução sobre casos de violência às mulheres dentro do partido. Os avanços da primavera das mulheres são irreversíveis. É necessário que a política de mulheres seja prioridade no nosso partido para que ele possa se oxigenar. A Primavera Feminista deve ocupar cada vez mais o PSOL!


Assinam:

Luciana Genro — Candidata à Presidência da República (2014), Diretório Nacional do PSOL
Joanna Maranhão — Atleta olímpica
Fernanda Melchionna — Vereadora em Porto Alegre
Sâmia Bomfim — Vereadora em São Paulo
Fernanda Miranda — Vereadora em Pelotas
Rosana Pinheiro-Machado — Professora universitária
Daniela Mussi — Pós-doutoranda DCP/USP
Winnie Bueno — Emancipa Mulher, ativista do movimento feminista e movimento negro
Bárbara Aires — Transfeminista, mandato David Miranda
Mariana Riscali — Executiva Nacional do PSOL
Zeneide Nazare Lima dos Santos — Executiva Nacional do PSOL
Maria Aparecida Dantas — Diretório Nacional do PSOL, Coord. Geral do Sintest RN
Giulia Tadini — Executiva PSOL-DF

Bahia

Maira Tavares
Carolina Ramos Heleno
Mirian Hapuque
Linna Ramos

Distrito Federal

Lucci Del Santos Laporta
Isabela Scarambone Leal
Nayara Cortes Rocha
Mariana Andrade Bomfim
Sofia Silva de Miranda
Jamile Guerra Messias Sales
Ayla Viçosa
Natalia Frizarin
Jordhanna Cavalcante
Geovanna Cesario Silva Araujo
Simone Cristina da Silva
Maria Zumba da Silva
Tatiana de Pino Albuquerque Maranhão
Vanessa Fernanda Cavalheiro
Ana Flavia Oliveira Barbosa
Luana Roberta Da Mata Oliveira
Ianny De Abreu Figueiredo
Carla Larissa Cunha Sottomaior
Andressa Miranda Marques Silva
Nilana Regis Dias
Milena Regis Dias
Isamara Ferreira dos Santos
Paloma Leticia Lemes Anselmo
Erika Cristina Ribeiro da Silva

Maranhão

Maria da Conceição Costa
Erly Teixeira Dias
Cigana Zazuleia Zada
Maria Antônia Teixeira Dias
Sueli Teixeira Dias

Minas Gerais

Sara Azevedo
Cindy Ishida
Ana Paula Vieira Guerra
Juliana Selbach
Letícia Lourenço
Isabelle (Belinha) Moura
Gabriela Thiebaut
Ana Célia Generoso Ferreira
Débora Oliveira
Bárbara Puff
Luciana Daniele Costa
Dayana Batista Sena
Isabella Batista Silveira
Mayara Hellen Lemes Rossato
Cristiane de Ávila Silva
Lyllian Paula da Silva Pio Rodrigues
Elizângela Arildo de Souza
Ellen Rose Ferreira
Andréa Benetti
Priscila Carla Santana e Moura
Giovanna Borges Bortotto
Bianca Godoi de Sá Carvalho

Pará

Alanna Batista da Conceição
Alessandra Oliveira
Ana Carolina Gomes Bezerra
Ananda Monteiro
Angélica Oliveira
Annanda Cordeiro Pereira
Bárbara Dias dos Santos
Bianca Franco
Débora Pereira
Eliene do Socorro Souza de Castro
Gessica Cristiane Souza de Castro
Gessica da Silva Miranda
Heliane de Nazaré Pereira Abreu
Isadora Oliveira de Carvalho
Izabel Cristina de Carvalho Mendes
Jacqueline Costa
Juliana Silva de Moraes
Luíza Moreira Batista
Maria do Socorro Rocha
Mary Caroline Santos Ribeiro
Mayara Moura
Natalia Regina de Moraes Galvão
Olivia Varela Maia
Paula Maíra Alves Cordeiro
Rafaely Sarraf
Silvia Guerreiro Giese
Simone Rodrigues da Costa
Tarsila Amoras Sanches
Thaiana Amorim Meireles
Viviane Costa Reis
Marilsa Lina Martins Alves
Andrezza Mendes de Sousa
Naide Pacheco
Kislane Rodrigues
Jamily Menezes Pereira
Adiele Lopes
Gabriela Britto Heloise Rocha
Tatianne Picanço
Bruna Vaz
Renata Moara
Damilly Yared
Emilly Assis
Francieli Sarturi
Fabiane Correa
Eloany Janay Picanço

Pernambuco

Joana Angélica Silva
Ednyram Niolila
Maria Simao Silva
Denise Santos Melo

Rio de Janeiro

Nathalie Drumond
Samara Castro
Camila Souza Ramos
Adriana Herz Domingues
Bárbara Chiavegatti Dornelas
Barbara Emrich Henriques
Bruna Aparecida Bernardes da Silva
Fabiana Vinhola de Amorim
Gabriela Martins Campodonico Chagas Freitas
Giovana Braga Kebian
Julia Sprioli
Juliana Giaj Levra de Jesus
Mariana Moraes
Marília Bittencourt Bovolenta
Nagela Rithyele Pereira Dantas
Silvana Louzada da Silva
Vanderléa da Silva de Aguiar
Vanessa Couto
Patricia Sant’anna Pieratti
Janaína Bilate
Julia Barcelos Bittencourt
Alice Maciel Domingues
Julia Tessman Konflanz

Rio Grande do Norte

Maria Aparecida
Camila Barbosa dos Santos
Emanuelle Lourenço do Nascimento
Maria Salete Gomes da Silva
Jane Suely Calafange Damasceno
Marileide Batista

Rio Grande do Sul

Taís Ignacio Pinto
Jéssica Farias
Nathália Bittencurt
Tássia Lopes
Fabiana Lontra
Taynah Ignacio
Ana Paula Santos
Camila Goulart
Gabriela Tolotti
Raquel Matos
Adria Meira
Bete Lopes
Franciela Carlotto
Fernanda Piccolo
Patrícia Mazza
Tamires Paveglio
Jacqueline Tuerlinckx
Caroline Fonseca Machado Bona
Letícia Prado da Silva
Carla Vanessa Nunes Gomes
Mayra de Jesus Luiz
Milena Tuerlinckx Deiques Álvaro
Grazieli Madeira Vieira
Gabriela Muniz Figueiredo
Bruna Torres Tadiello
Vanessa Pinheiro da Rosa
Agnes Cunha
Ceres Torres
Cristina Altmann
Daniela Brizolara
Dany Mendiondo
Fernanda Antunes
Francine Marques
Gabi Braga
Isabela Rochedo
Janaína Calu Costa
Luiza Tessele
Mariele Domingues
Roberta Mello
Adriana Fontoura
Fernanda Lang
Daniela Lang
Ariana Fontoura
Bianca Vieira
Bruna Oliveira
Stefani Wetey
Maria Claudete Barcelos
Rita Azevedo
Inez Zacarias
Mirian Silva Estabel
Laura Amélia Cardoso
Karla Leal Ducarmo Guimaraes
Maria Darcila Tinoco
Maria Elisabeth Duarte
Viviane Rocha
Soraya Da Rocha Guex
Iraçu Bittencourt Streb
Ana Paula Vieira
Vergínia Montanari
Eliane Guimarães
Luciane Dutra
Daiana Testa
Estéfanie Olmes
Karoline Nagel
Julia da Silva Pereira
Mariana Johann
Ana Caroline da Rocha Guex
Fernanda Pereira
Gabriela da Rocha Guex
Jenifer Dutra
Elisa Cardoso
Araci Pereira da Silva
Gorete Santos
Tânia Maria Walter
Julia Sanches Margarete Nagel
Rita Cardoso
Andrea Machado Xavier
Lucilene Oliveira Machado
Candida Maria S. de Oliveira
Maria Aparecida da Rosa
Kassia Gomes Silva
Jéssica Tamires Teixeira Ricarte
Gisele Teixeira Ricarte
Joice Francieli Saldanha Barbosa
Jéssica Graziele Saldanha Barbosa
Pamela Regina da S. Pereira
Sirlei Dos Santos Gomes
Naira Gomes da Silva
Vanessa C. O. de Paula
Fatima Teresinha de Moraes Brites
Jenifer da Silva
Dalva Terezinha dos Santos Moreira
Andressa Rosa Mendes
Isabel Cristine Bertolli Salbani
Maria Albertina da Silva
Janaina Silva de Oliveira
Vitoria Chaves Gonçalves
Suzana Maria Marques Pacheco
Cleunice Castilhos Rosa
Jessica Bergenthal Ribeiro
Ana Lucia Rosa Metz
Madalena da Silva Schuch
Lara Mees Dos Santos
Ana Caroline Ortiz
Dalila Ortiz
Cerenira Ribeiro Dos Santos
Sabrina Ortiz
Maria Luiza Castilhos
Rosa Maribel Castilhos Heck
Adriane Castilhos Heck
Miriam De Oliveira Castilhos
Debora Regina Rodrigues Brazeiro
Mari Lucia Silva Rodrigues
Daniele Shipp Fração
Patricia Regina de Bastos
Vera Regina de Bastos
Lourdes Maria Metz

São Paulo

Agatha Maria Avino da Silva
Alessandra de Lima Felix
Aline Sampaio Rodrigues Schmidt
Amanda Cristina dos Santos Lopes
Ana Clara Bonazzi Nascimento
Ana Clara Fernandes de Souza
Ana Claudia Borguin Eustaquio
Ana Claudia de Aguiar Lopes
Ana Laura Cardoso Oliveira
Annie Schmaltz Hsiou
Areta Alem Santinho
Ariane Cristina Machado
Ariella Luiza Rodrigues Silva
Barbara E Silva Scatolin
Barbara Garcia Pedroso
Beatriz Fragnam Mei
Beatriz Gallardo Calderon
Beatriz Silva De Andrade
Bianca Aparecida de Souza
Camila Santana Mota de Castro
Carolina Borghi Ucha
Caroline Cardoso Amorim
Cibele Aparecida de Oliveira Ferreira
Cibele Barbalho Assensio
Clara Baeder de Paula Pinto
Dayana Coelho Souza
Eliaris Raira de Godoy Alvares
Emelly Godinho Martins
Emirena Ferraz Ferreira da Cunha
Esthefania Roberta de Oliveira
Evelin Minowa
Gabriela Rizzo Piton
Gabriela Soares Schmidt
Gabriela Soldera Ferro
Giovanna Ferreira Oliveira
Giovanna Henrique Marcelino
Gisele Cristina Santos da Silva
Hemilly Renally Avelino
Huang Yu Wen
Ingrid Reis Magalhaes Sotini
Isabela Santos Goncalves Costa
Ivie Macedo Sousa
Jaqueline De Alcantara Ribeiro
Joyce Godinho da Silva Martins
Julia Machini de Miranda
Julia Ribeiro Aidar
Karen Cecilio Takahara Marcelino
Karina Brandt Vianna
Karina Silva Gomes de Farias
Larissa Sara de Gire Queiroz de Moura
Laura Maria Duarte Oliveira
Leticia Benevides
Luana dos Santos Alves Silva
Luana Guidorzi Gurther
Luisa Mira Borges
Luiza Gonzalez
Maia Goncalves Fortes
Marcela Batista Durante
Maria Aldenir Mendes Cardoso
Maria Estela Silva Andrade
Maria Lucia Soares de Andrade
Maria Luiza Perroni da Silva
Marina Batalini Macedo
Marina Bozzetto
Marina Furquim de Oliveira
Michele Ferraz da Silva
Michelle Duarte Ferreira
Monica Cristina Seixas Bonfim
Naiara Schranck do Rosario
Natalia Caroline Peccin Goncalves
Natalia Duarte Santo Prete
Natalia Pressuto Pennachioni
Natasha Almeida Macedo
Pamela Carla Gomes da Silva
Pamela Cicera Gomes
Pamela Roque Paz
Paula Kaufmann Sacchetto
Renata Almeida Vieira
Rosangela Barbosa Ultramari Moreira
Samanta dos Santos Gasparim
Susana Aparecida dos Santos
Taline Chaves Silva
Tamires de Sousa Arantes
Tamiris Yuri Sakamoto
Tatiane Cristina Ribeiro
Taynara de Oliveira Cardoso
Thais Rodrigues Bueno da Silva
Vanessa Alves Da Silva
Vitoria Galete Gomes
Viviane Campezate Diniz
Yasmim E Silva Scatolin


É filiada ao PSOL e gostou dessas ideias?

Preencha o formulário abaixo para assinar nossa contribuição de mulheres para o VI Congresso do PSOL. Somente mulheres podem assinar.

Obrigado!

A assinatura foi efetuada com sucesso. Agora ajude a espalhar!

Compartilhe nas suas redes sociais


Copie o link e envie para seus amigos

https://movimentorevista.com.br/2017/07/contribuicao-mulheres-vi-congresso-psol/

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

Na quinta edição da Revista Movimento, trazemos ao público um especial sobre a crise brasileira. Nele, publicamos longa entrevista com o economista Plinio Sampaio Jr., que oferece instigante diagnóstico do fracasso da política econômica conduzida pelos governos do PT. Fecham a seção dois artigos sobre o poder das corporações no capitalismo global e a teia corrupta que estabelecem com Estados e governos. Um conjunto de artigos sobre a situação internacional aborda as dificuldades enfrentadas pelo governo Trump, a crise na Venezuela e o avanço das lutas no Peru.

Abaporu

Uma biografia inédita de Stalin escrita por Leon Trotsky Uma biografia inédita de Stalin escrita por Leon Trotsky

Leon Trotsky Joseph Stalin

MES: Movimento Esquerda Socialista MES: Movimento Esquerda Socialista