Frente à desmarcação da greve nacional façamos um dia de luta e protestos!
Reprodução

Frente à desmarcação da greve nacional façamos um dia de luta e protestos!

É necessário manter o dia 5 de dezembro como Dia Nacional de Lutas para acumular forças para enfrentar o governo Temer e a patronal.

MOVER 1 dez 2017, 16:52

Os ataques que estamos sofrendo são duríssimos: desemprego, nova lei trabalhista e a reforma da previdência. Quando todos sabemos que uma nova Greve Geral é necessária, as burocracias das cúpulas das centrais mostraram sua natureza: suspendem a Greve Nacional, convocada para o dia 05 de Dezembro, sem consultar os sindicatos e tratam os trabalhadores como marionetes. Fazer isso justamente no momento em que o governo está sofrendo várias derrotas é um golpe, uma verdadeira traição.

Nesta semana a MP do Programa de Demissão Voluntária caducou sem ser votada, perdendo validade. Os servidores federais fizeram fortes mobilizações e abriram negociação. A propaganda milionária que contava mentiras em rede nacional de televisão para aprovar a reforma da previdência foi retirada do ar por decisão judicial e o governo ainda não tem nos 308 votos para acabar com a aposentadoria.

A decisão das centrais vem na contramão da necessidade dos trabalhadores derrotarem de vez esse governo e suas reformas. Não podemos confiar plenamente que a reforma está derrotada, assim como também devemos parar o país exigindo a revogação da reforma trabalhista, da PEC do congelamento dos gastos e das terceirizações sem limites.

Seria razoável ao menos que chamassem um dia de luta, chamando a classe a se manter alerta a um Congresso corrupto e entreguista. Sabemos que pode sair um dia de luta digno, ainda que uma Greve Geral depende das principais estruturas sindicais do país.

Diante dos vários desafios que estão colocados, um deles é buscar uma alternativa de luta e combativa no movimento sindical. O MOVER – Plataforma Anticapitalista, atuando dentro da CSP-CONLUTAS, considera que é necessário manter o dia 05 de Dezembro como “Dia Nacional de Lutas”, pois podemos acumular forças para fazer um verdadeiro enfrentamento ao governo Temer e à patronal.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
O MES completa 20 anos. A edição n. 14-15 da Revista Movimento é dedicada por completo ao importante evento que marca duas décadas de nossa história. Apesar de jovens, podemos dizer que poucas organizações na história política da esquerda brasileira alcançaram essa marca com tamanho vigor. Longe de autoproclamação, desejamos transformar nossos êxitos em força social e militante para novos e amplos impulsos. Ainda não cumprimos uma maratona, mas nossa história sem dúvida deixou para trás a visão de curto prazo, que alguns adversários nos chegaram a prognosticar. Diante das muitas provas, vitórias e algumas derrotas, podemos celebrar e somar forças para enfrentar as tarefas imediatas: derrotar a tentação autoritária de Bolsonaro e avançar na construção de uma alternativa socialista.