Revista Movimento Movimento Movimento: crítica, teoria e ação

Sobre a condenação de Lula pelo TRF

Luciana Genro manifesta-se sobre a condenação de Lula e, guardando as profundas diferenças com seu projeto, defende politicamente seu direito a candidatar-se em 2018.

O ex-presidente Lula - Reuters
O ex-presidente Lula - Reuters

Tenho defendido o direito de Lula ser candidato e ser julgado pelo povo nas urnas. Sua condenação no TRF-4 pode impedir que isso ocorra. Uma eleição sem Lula pode sim ser considerada uma fraude, como diz o PT. E todos sabem que não tenho nenhuma ligação com Lula nem com o PT. Tenho uma opinião jurídica sobre o processo. Ocorre que a política manipula até mesmo processos judiciais. Por isso o STF salvou Aécio Neves, que segue sendo senador, e Michel Temer segue sendo presidente, apesar das provas cabais contra ele. Então minha manifestação é política.

Num quadro destes, um líder popular ser barrado pela Justiça não é admissível. Vai apenas restringir mais a capacidade de decisão do povo. Uma capacidade de decisão que já é muito pequena, se é que podemos dizer que existe, nesta podridão de sistema, ao qual a cúpula petista se adaptou e agora paga o preço. Um sistema que, além do mais, vem encarcerando em massa a juventude pobre e negra em nome do “estado de direito” e mantém presas milhares de pessoas sem julgamento.

Cabe ao PSOL lutar para construir uma esquerda consequente, antissistema, anticapitalista e que se mantenha coerente com as bandeiras da defesa dos interesses do povo.

Artigo originalmente publicado no site da autora

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

A décima terceira edição da Revista Movimento dedica-se ao debate sobre os desafios da esquerda socialista no Brasil diante da crise nacional que se desenrola há anos e do governo Bolsonaro. Para tanto, foram convidados dirigentes do PSOL, do MES e de outras organizações revolucionárias que atuam no partido. O dossiê sobre a estratégia da esquerda e o PSOL reflete os desafios da organização de um polo socialista no interior do partido. Há também, na seção nacional, reflexões sobre a crise econômica brasileira, as revelações de The Intercept e as lutas da juventude e da negritude. As efemérides do centenário da escola Bauhaus e do cinquentenário do levante de Stonewall também aparecem no volume, além da tese das mulheres do MES para o Encontro de Mulheres do PSOL.

Ilustração da capa da Revista Movimento

MES: Movimento Esquerda Socialista MES: Movimento Esquerda Socialista