Revista Movimento Movimento Movimento: crítica, teoria e ação

Ato em São Paulo presta solidariedade ao povo curdo

O PSOL esteve presente em ato de solidariedade ao povo curdo diante do Consulado Geral da Turquia.

O secretário de Relações Internacionais do PSOL, Israel Dutra, em ato em São Paulo - Reprodução
O secretário de Relações Internacionais do PSOL, Israel Dutra, em ato em São Paulo - Reprodução

O secretário de Relações Internacionais do PSOL, Israel Dutra, acompanhado de um grupo de militantes do partido, participou, nesta quinta-feira (05), de um ato em solidariedade ao povo curdo, na Praça Califórnia, em São Paulo. A manifestação, que ocorreu em frente ao Consulado Geral da Turquia, fez parte de um ato internacional de solidariedade, realizado em vários países.

O objetivo foi denunciar a perseguição sistemática perpetrada pelo governo do ditador turco Recep Tayyip Erdogan contra o povo curdo e a brutal e covarde agressão resultado do bombardeio, nos dias 20 e 21 de janeiro, à cidade de Afrin, no norte da Síria, pela aviação turca. O ataque vitimou seis civis, um combatente da YPG (Unidades em defesa do povo) e duas combatentes da YPJ (Unidades de defesa da Mulher), além de também atacar o campo de refugiados de Rubar.

Durante o ato, uma base móvel da Polícia Militar protegia a entrada do Consulado no bairro Jardim Paulista. Para Israel Dutra, o fato de as autoridades turcas no Brasil terem pedido proteção do governo de Geraldo Alckmin é um claro sinal de medo daqueles que acusam de “terroristas”, quando, na verdade, são os curdos e outros povos da cidade de Afrin as vítimas do terrorismo do regime totalitário de Erdogan, movido por interesses imperialistas, respaldados pela Rússia e silenciados pela comunidade internacional.

Para o PSOL, a bravura e o fortalecimento deste povo é um grande exemplo para os lutadores do mundo inteiro que, apesar da barbárie, resiste historicamente na região da Turquia, Síria e Iraque pela independência e reconhecimento do Curdistão. “Nos inspira por suas comunidades radicalmente democráticas e sua frente de luta feminina, cujos batalhões expulsaram o Estado Islâmico da cidade de Kobane”, destaca o secretário de Relações Internacionais.

O PSOL se soma à luta contra essa operação ilegal, que precisa mover um amplo apoio internacional de todos os progressistas, não só do Brasil mas do continente americano. Parem os ataques contra o povo curdo! Basta de barbárie! Pela autodeterminação dos povos! Curdistão livre!

Fonte: http://www.psol50.org.br/ato-em-sao-paulo-presta-solidariedade-ao-povo-curdo/

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

A décima terceira edição da Revista Movimento dedica-se ao debate sobre os desafios da esquerda socialista no Brasil diante da crise nacional que se desenrola há anos e do governo Bolsonaro. Para tanto, foram convidados dirigentes do PSOL, do MES e de outras organizações revolucionárias que atuam no partido. O dossiê sobre a estratégia da esquerda e o PSOL reflete os desafios da organização de um polo socialista no interior do partido. Há também, na seção nacional, reflexões sobre a crise econômica brasileira, as revelações de The Intercept e as lutas da juventude e da negritude. As efemérides do centenário da escola Bauhaus e do cinquentenário do levante de Stonewall também aparecem no volume, além da tese das mulheres do MES para o Encontro de Mulheres do PSOL.

Ilustração da capa da Revista Movimento

MES: Movimento Esquerda Socialista MES: Movimento Esquerda Socialista