Revista Movimento Movimento Movimento: crítica, teoria e ação

Os Assassinos de Marielle Franco tem que Ser Levados à Justiça

Organizações de esquerda norte-americanas prestam sua solidariedade à execução de Marielle Franco

Mídia NINJA / flickr
Mídia NINJA / flickr

No dia 14 de março, Marielle Franco e seu motorista Anderson Pedro Gomez foram assassinados a sangue frio após terem sairem de um evento promovendo os direitos de mulheres afro-brasileiras. Negra, mulher, lésbica, feminista, Marielle integrava do Partido Socialismo e Liberdade, sendo vereadora no Rio de Janeiro. O assassinato de Marielle traz todos os indícios de ter sido cometido por profissionais, acontecendo logo após ela ter feito denúncias contra a brutalidade policial e a intervenção militar direta do governo federal nas ruas do Rio de Janeiro.

Em 10 de março, Marielle divulgou denúncias de residentes da favela de Acari contra o 41.º batalhão da Polícia Militar, escrevendo que “Nessa semana dois jovens foram mortos e jogados em um valão. Hoje a polícia andou pelas ruas ameaçando os moradores. Acontece desde sempre e com a intervenção ficou ainda pior.”

Quatro dias depois, o carro dela estava cravado de balas.

Como Marielle servia como relatora de uma comissão criada pela câmara dos vereadores para monitorar a intervenção militar, não se pode permitir que seu assassinato silencie liberdades democráticas como liberdade de expressão e o direito de reunião.

Condenamos o assassinato de Marielle da forma mais veemente possível e exigimos que os responsáveis sejam trazidos à justiça. Incluímos nesta exigência tanto os capangas que puxaram o gatilho como também aqueles que deram as ordens.

Consideramos também responsáveis por esse crime o Presidente Michel Temer, o Governador do Rio de Janeiro Luiz Fernando Pezão, o Presidente da Câmara de Deputados Rodrigo Maia, e o General Braga Neto (supervisor da intervenção militar no Rio). Ao militarizarem as ruas do Rio de Janeiro e atacarem liberdades democráticas básicas, eles no mínimo criaram as condições para que tal ato abominável pudesse ocorrer.

Também responsabilizamos esses políticos pela segurança pessoal da família e amigos de Marielle, seus companheiros do PSOL, e todos os militantes por direitos civis, sindicatos, LGBT, feministas, e anti-racistas que com ela trabalhavam em busca de justiça e igualdade.

Enquanto organizações sediadas nos Estados Unidos, nos comprometemos também a divulgar o assassinato de Marielle e a exigir do governo americano a suspensão de todo financiamento militar, policial, e de inteligência ao governo brasileiro até que aqueles responsáveis pelo assassinato de Marielle sejam levados à justiça.

Democratic Socialists of America
International Socialist Organization
Left Roots
Philly Socialists
Socialist Alternative
Solidarity

Fonte: https://socialistworker.org/2018/03/28/marielles-assassins-must-be-brought-to-justice

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

Publicamos a décima edição de nossa Revista Movimento. Dessa vez, celebramos os 80 anos de fundação da IV Internacional, comemorados em setembro de 2018, com uma seção especial. Há, também, artigos na seção internacional e de teoria. Fechamos esta edição quando a eleição brasileira se encerrava. Como não poderia deixar de ser, nesta décima edição de Movimento, apresentamos nossas primeiras análises sobre os resultados eleitorais. Sabemos que a vitória de Jair Bolsonaro trará graves ataques à classe trabalhadora e ao povo brasileiro. Estaremos com nosso povo, lutando em defesa das liberdades democráticas e de nossos direitos. Mais uma vez, esperamos que a revista seja uma ferramenta útil de construção e formação para nossos camaradas. Boa leitura!

Solzinho

Uma biografia inédita de Stalin escrita por Leon Trotsky Uma biografia inédita de Stalin escrita por Leon Trotsky

Leon Trotsky Joseph Stalin

MES: Movimento Esquerda Socialista MES: Movimento Esquerda Socialista