Marisa Matias acusa Macron de agir como “um pequeno Napoleão”

A eurodeputada do Bloco de Esquerda ataca Macron sobre qual sua concepção de “democracia” após os ataques imperialistas na Síria.

Marisa Matias 19 abr 2018, 19:28

“Senhor Macron, o senhor apresentou-se aqui como Presidente de França, mas na realidade parece pensar que é um pequeno Napoleão. É que veio fazer uma declaração de amor à democracia, disse mesmo que a democracia não é uma palavra oca, e eu pergunto-lhe: que democracia? A democracia que decidiu executar há menos de uma semana, quando unilateralmente com [Donald] Trump e [Theresa] May avançou para um ataque sobre a Síria sem consultar rigorosamente ninguém?”, questionou Marisa Matias no debate no Parlamento Europeu sobre o “Futuro da Europa” com o presidente francês, Emmanuel Macron.

“A sua conceção de democracia não tem cidadãos? Não tem parlamentos? Não ouviu sequer a assembleia francesa? Ridicularizou as instituições europeias. É essa a sua conceção de democracia? Senhor Presidente, a sua conceção de democracia não é oca, é inexistente. A sua conceção de democracia é napoleónica. E nós queremos uma democracia completa”, acrescentou Marisa Matias.

De acordo com a dirigente do Bloco de Esquerda, se Macron “quer paz no Médio Oriente, tem um bom remédio”: “Pare de vender armas. Está numa ótima posição para fazê-lo”, rematou a eurodeputada bloquista.

Durante a sua intervenção, o presidente francês reforçou que a operação militar na Síria, levada a cabo no passado sábado pelos Estados Unidos, França e Reino Unido, foi legítima, não sendo comparável às intervenções em países com o Iraque e Líbia.

“Tínhamos o dever de intervir para defender os nossos valores”, vincou.

Reprodução de esquerda.net.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Ver todos

Podcast Em Movimento

Capa da última edição da Revista Movimento
Esta é a vigésima primeira edição da Revista Movimento, dedicada aos debates em curso do VII Congresso Nacional do PSOL. Nela encontram-se artigos de análise, polêmica e discussão programática para subsidiar os debates de nossos camaradas em todo o país e contribuir com a batalha pela pré-candidatura de nosso companheiro Glauber Braga à presidência da República pelo PSOL. A edição também conta com análises de importantes questões internacionais contemporâneas e de outros temas de interesse, como os desafios da luta pelo “Fora, Bolsonaro” e as crises hídrica e elétrica no Brasil. Num ano de 2021 ainda marcado pela tragédia da pandemia da Covid-19 e pelo descaso criminoso de governos em todo o mundo, lamentamos a perda de nosso grande camarada Tito Prado (1949-2021), militante internacionalista e dirigente de Nuevo Perú. A ele dedicamos esta edição de nossa revista e, em sua homenagem, publicamos artigos em sua memória. Boa leitura!