Nota do PSOL sobre a situação política na Venezuela

O Partido Socialismo e Liberdade tem, como princípios, a soberania dos povos e a não-intervenção.

Executiva Nacional do PSOL 3 fev 2019, 15:11

O Partido Socialismo e Liberdade tem, como princípios, a soberania dos povos e a não-intervenção. Por isso, repudiamos o reconhecimento, por parte do governo Bolsonaro, de um autoproclamado “presidente encarregado” na República Bolivariana da Venezuela.

O deputado Juan Guaidó é parte de uma inaceitável intervenção externa urdida pelo Departamento de Estado dos EUA, com apoio dos governos de direita e extrema-direita da América do Sul, entre eles, o Brasil. A diplomacia brasileira é reconhecida pelos constantes esforços em assegurar a paz através de saídas negociadas para conflitos e crises de natureza política.

Alinhar-se aos interesses dos EUA e à oposição de direita representa, portanto, um grave ataque à soberania do povo venezuelano, que só se justifica pela necessidade de encobrir os graves escândalos envolvendo a família Bolsonaro.

O PSOL defende uma saída pacífica e constitucional para a crise da Venezuela, respeitando a soberania de seu povo e rechaça qualquer interferência estrangeira neste país irmão.

23 de janeiro de 2019


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Ver todos

Podcast Em Movimento

Capa da última edição da Revista Movimento
Esta é uma edição especial de nossa Revista Movimento, de números 19 e 20. Nela, publicamos um dossiê que celebra os 150 anos de nascimento de Rosa Luxemburgo, vinculado à iniciativa coordenada por nossa camarada Luciana Genro: o curso da Escola Marx “150 anos de Rosa Luxemburgo: pensamento e ação”.